Copa do Brasil

As sagas de Tocantinópolis e Altos seguem em frente na Copa do Brasil, com classificações inéditas

A quarta-feira teve um time da Série A classificado, três da Série B, um da Série C e dois da Série D

A Copa do Brasil pródiga em surpresas, nesta quarta-feira, não teria nenhum resultado tão espantoso. Todos os classificados tiraram equipes de uma divisão igual ou inferior no Brasileirão. O que não impede equipes menos tradicionais de ampliarem suas sagas e registrarem feitos inéditos. Os representantes da Série D contaram com a festa de Brasiliense e Tocantinópolis. Já a Série C viu o Altos dar um passo além na competição. Tombense, CSA e Cruzeiro dão um pouco mais de peso à Série B, maltratada nesta Copa do Brasil. E o São Paulo foi a equipe da Série A que entrou em campo e avançou na noite. Cada time embolsa R$1,9 milhão de prêmio.

O Tocantinópolis registra uma classificação inédita em sua história e repete o feito do Gurupi, outro time do estado que também chegou à terceira fase em 2017. Os alviverdes tinham passado pelo Náutico na etapa anterior e, em duelo de oponentes da Série D, dessa vez derrotaram o Cascavel por 2 a 0 no Tocantins. Os paranaenses pressionavam, mas uma bola parada permitiu que Bilau marcasse o primeiro aos tocantinenses. O segundo tempo não mudaria muito de perfil, com a resistência do time da casa, que contava com as defesas milagrosas do goleiro Jefferson. A classificação seria ratificada aos 45, quando Veraldo aproveitou a troca de passes para anotar o segundo gol.

O Brasiliense tem história na Copa do Brasil com um vice-campeonato, mas hoje figura na Série D. O Jacaré passou pelo Globo, com a vitória nos pênaltis depois do empate por 1 a 1 em Ceará-Mirim. O primeiro tempo seria morno, apesar de uma bola na trave dos potiguares, até que os visitantes marcassem o primeiro com Tobinha na volta do intervalo. O empate do Globo não demorou a sair, numa cabeçada de Eduardo Bahia. Na marca da cal, o aproveitamento do Brasiliense foi excelente. Todos os batedores converteram, enquanto o goleiro Edmar Sucuri defendeu as duas primeiras batidas dos adversários, facilitando o resultado de 4 a 1.

Em duelo de equipes da Série C, o Altos superou o ABC no Frasqueirão e chegou pela primeira vez na terceira fase da Copa do Brasil. Após o empate por 1 a 1 no tempo normal, os piauienses fizeram 4 a 2 nos pênaltis. Os potiguares assinalaram o primeiro gol cedo, com Fábio Lima. O Jacaré melhorou com o passar do tempo, mas perdeu um pênalti na segunda etapa e só empatou com Diguinho aos 21. A virada quase saiu na reta final, com bola na trave nos acréscimos. Nos pênaltis, então, o Altos prevaleceu. O goleiro Marcelo pegou o tiro de Richardson e Fábio Lima mandou na trave, abrindo alas à classificação dos visitantes.

O Tombense não é exatamente uma surpresa, atualmente na Série B. Os mineiros foram até o Nhozinho Santos e eliminaram o Moto Club nos pênaltis, após o empate por 1 a 1. O Papão do Norte foi mais ativo na primeira etapa e Emerson Nike abriu o placar após o passe de Ted Love. Antes do intervalo, ao menos, o Carcará empatou com o veterano Ciel. Depois de um segundo tempo sem emoções, a vitória nos pênaltis ficou mesmo com o Tombense, por 4 a 2. Enzzo e Ozeias desperdiçaram aos maranhenses, ambos parados pelo goleiro Rafael Santos.

A maior goleada foi aplicada pelo CSA, que recebeu o Paysandu no Trapichão e venceu por 4 a 1. Melhor no primeiro tempo, o Azulão criou as principais chances e abriu a contagem com Warley. O Papão se recuperou na volta do intervalo e Danrlei deixou tudo igual. No entanto, o técnico Mozart mexeu nos alagoanos e isso seria determinante na blitz que gerou o placar elástico. Warley marcou mais um, enquanto Yann Rolim e Lucas Barcelos fecharam a contagem numa sequência de três gols em oito minutos.

O Cruzeiro também venceu com conforto, nos 3 a 0 sobre o Tuntum, em que o desafio maior foi enfrentar o gramado péssimo no Maranhão. Vitor Roque abriu o placar logo cedo e o primeiro tempo seria equilibrado, com os maranhenses saindo ao campo de ataque e gerando seguidos incômodos. Já na segunda etapa, Edu balançou as redes duas vezes e garantiu a classificação. O Tuntum ainda tentou fazer o gol de honra e a expulsão de Eduardo Brock gerava vantagem, mas Rafael Cabral manteve sua meta invicta.

Dentro do Morumbi, o São Paulo teve o domínio desde o início e bateu o Manaus por 2 a 0. O gol ainda demorou a sair, com uma pressão inicial que não dava resultado imediato. O primeiro tento veio aos 34, num chute Rafinha que Éder desviou. Antes do intervalo, Reinaldo cobrou escanteio par a cabeçada de Diego Costa nas redes. No segundo tempo, os amazonenses incomodaram com Jackie Chan, mas nada que atrapalhasse a calmaria dos são-paulinos, que tiveram um gol de Patrick anulado e uma bola de Rigoni no travessão.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo