Brasileirão Série A

Tite se frustra com atuação do Flamengo, mas quer otimismo em volta por cima para 2024

A derrota do Flamengo no Morumbi irritou Tite que, mesmo assim, preferiu o copo meio cheio ao fazer balanço do trabalho no clube

Incomodado com a atuação do Flamengo no Morumbi, Tite comentou que a equipe não conseguiu imprimir seu ritmo de jogo no primeiro tempo e, depois, não teve capacidade de empatar a partida. Além de analisar a derrota, o comandante confirmou que, a partir de agora, estará focado na reformulação do elenco para 2024. Ainda deu tempo de agradeceu o torcedor, que fez bonito na reta final, mesmo sem o título.

O que Tite disse?

  • Confirmou que a atuação do Flamengo foi ruim
  • Fez um balanço positivo do seu início de trabalho
  • Iniciou os projetos para 2024
  • Valorizou a entrega do elenco na reta final

Tite entende frustração, mas quer ver o copo meio cheio

— O Flamengo tem um departamento de scout que trabalha independentemente de comissões técnicas. Todas as posições são testadas. Nós tínhamos a classificação para a Libertadores como objetivo e queríamos uma vitória hoje, uma performance melhor hoje, mas eu não posso e não vou deixar de considerar a recuperação que a equipe teve nos 12 jogos. A retomada do nível de aproveitamento, de 61%, igual a do Palmeiras campeão. Enfrentamos cinco equipes do G-7, só não pegamos o Botafogo. Foi um grau de dificuldade alto.

Tite continuou sua resposta com uma contextualização grande sobre o momento do Flamengo no encerramento de 2023. O treinador se disse chateado por não ter ficado com o título, mas valorizou a vaga na Libertadores, que era o principal objetivo do Rubro-Negro, em meio ao turbilhão de jogos e emoções que a temporada reservou ao clube.

— Eu estou chateado também, a performance do primeiro tempo foi ruim, temos que competir mais, como foi no segundo tempo. Não pode tomar três gols de ninguém. Mas também tenho que enaltecer o outro lado. Uma equipe de jogou 76 jogos ao longo do ano, sendo 35 com intervalo de dois dias. É impossível fisicamente e mentalmente ficar bem. A performance vai oscilar. Temos que ter um calendário melhor, não só para o Flamengo. Eu sei que o técnico ganha muito, os atletas ganham muito, com relação à realidade social. Estou falando do contexto humano, de exigência de alta performance, é tudo muito difícil. Tudo que envolve o futebol é complicado. Dá para melhorar, todos nós, mas existem muitos outros fatores que melhoram o espetáculo. Estar no Flamengo é uma responsabilidade, uma grandeza — concluiu.

Tite e sua comissão técnica terão muito trabalho para montar o melhor Flamengo em 2024 (Foto: Jorge Rodrigues/AGIF/Sipa USA)

Arrascaeta coloca a cara (novamente)

O único jogador do Flamengo a falar com a imprensa depois do apito final foi Arrascaeta. De novo, o uruguaio deu a cara a tapa e hoje foi em momento ainda mais crítico. A atuação do uruguaio foi muito ruim, mas, mesmo assim, ele fez um resumo do ano do Rubro-Negro, repleto de frustrações.

— É uma temporada atípica do que a gente vem apresentando nesses últimos anos. A gente tem que trabalhar, como já falamos entre nós jogadores, corpo técnico, dirigentes, tudo, tudo, tudo. A gente pecou durante o todo, todo mundo. Então a culpa é totalmente nossa. A temporada acabou e temos que nos preparar para o que vem ano que vem. Não estamos acostumados a ter um ano atípico. A gente sabe que vai enfrentar grandes times ano que vem e temos que ser muito melhor do que fomos — analisou, antes de concluir:

— Difícil (apontar o principal erro). Difícil falar quando não se tem o resultado. Como eu já falei, a gente teve uma temporada difícil, trocamos alguns treinadores no meio da competição. Querendo ou não isso atrapalha um pouquinho, mas agora não tem desculpa. Ano que vem teremos um treinador excelente e vamos focar no que a gente quer. E voltar. Voltar ao rumo das vitórias e conquistas. A gente sinceramente não está acostumado com isso, quando a gente chegou na maioria das finais, fomos campeões — finalizou.

Arrascaeta não conseguiu ser o mágico que a torcida esperava no Morumbi (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Assim, o Flamengo encerra sua participação em 2023 e, agora, foca nos próximos desafios, pensando na próxima temporada. Elenco e comissão técnica estarão de férias, enquanto a diretoria tentará reforçar o já robusto plantel, a fim de retomar o caminho das glórias no ano que vem. 

Veja outros pontos abordados na coletiva

Explicações sobre o jogo

— Objetivo alcançado. Performance do jogo, o primeiro tempo foi bem abaixo. O coletivo todo abaixo, todo o contexto. Quando se pega um detalhe só, somos simplistas, para não dizer que falta de inteligência à análise. Tudo que envolve o jogo, estivemos abaixo na técnica, tática, parte física. Melhoramos no segundo tempo, igualou, mas não foi suficiente. Poderíamos ter tido uma performance melhor nos dois tempos. Queríamos a classificação, mas com um resultado positivo aqui.

Projetos para 2024

— Projeção de equipe começa a partir de agora. De interesses do atleta, do clube, da própria organização do Flamengo. Em relação ao Arrascaeta, o time não pode ter esse termômetro e nem é o caso. O Flamengo tem outros jogadores, como Gerson, Cebolinha, Pedro, temos bola parada ofensiva. Acho que essa visão coloca peso demais em cima dele, vamos dividir esse contexto todo.

— Se eu tivesse uma resposta, eu diria para a direção. A partir de agora vamos tratar de tudo isso, mas com portas fechadas. Com todo o respeito que tenho ao Filipe Luís, ele trouxe uma situação que é só dele, mas não é só dele. É um resumo simplista, que não condiz com a realidade. Não é só o atleta. Perdemos para o Atlético Mineiro e o carinho do torcedor foi surreal, eu não tinha presenciado isso ainda. Esse conjunto da obra que faz a equipe crescer, temos que pensar no conjunto.

— Eu disse que ia trabalhar só no ano que vem, mas entendi que o projeto do Flamengo é assim. Os últimos dois meses seriam muito importantes, nós entendemos isso, seria mais fácil fugir disso. Buscamos como conjunto a qualidade, uma classificação, foi tudo uma oportunidade importante para os atletas. Tirando os goleiros, é difícil ser goleiro, é difícil ser solidário. Também vemos uma garotada que está pedindo passagem. Temos que encontrar esses mecanismos, agora que o trabalho já começou, o processo será mais fácil. Não é uma equipe reativa, não quero isso para o Flamengo. A partir de agora, podemos buscar uma melhora de maneira mais incisiva.

Agradecimentos aos torcedores do Flamengo

— Ao torcedor, todo o nosso empenho. Temos que ter lealdade a eles, no aspecto tático, físico, técnico e emocional, pensando nas responsabilidades que o Flamengo, um grande clube, merece. Eu prometo, com essa dignidade, trabalhar com todo o possível para retornar aos títulos.

César Sampaio fala sobre situação de Allan

— Ficamos felizes pelo retorno do Allan, é um jogador importantíssimo para o Flamengo. Dá mobilidade, abre linha de passe, é ativo com e sem bola. Nós sabemos que os momentos difíceis são as lesões, na carreira de um atleta. Eu fico muito feliz (do retorno dele), entrou num jogo adverso e se saiu muito bem. Pode ser usado em várias funções no setor de meio-campo. É um grande reforço que nós agregamos para o elenco para 2024. Que ele possa contribuir conosco no ano que vem.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo