Brasileirão Série A

Novo atacante do Santos foi de artilheiro no Uruguai a pior contratação no México

Maximiliano Silvera, que completa 26 anos no próximo dia 5, chega à Vila Belmiro sem custos após passagens por Uruguai e México

Com o intuito de entregar mais opções ofensivas ao técnico Diego Aguirre, o Santos anunciou nesta quarta-feira (30) a contratação do atacante uruguaio Maximiliano Silvera, que está em vias de fazer 26 anos. Sem clube desde a saída do Necaxa, do México, o jogador de lado de campo assinou contrato com o Peixe até o final da atual temporada. E a decisão de firmar um vínculo de apenas quatro meses está diretamente ligada ao fato de o jogador ser considerado uma aposta para a reta final do Campeonato Brasileiro.

Para entender como Silvera pode contribuir com o Santos, a Trivela conversou com jornalistas que acompanharam o início da carreira dele no Uruguai e a passagem pelo futebol mexicano. As opiniões sobre o novo reforço alvinegro se dividem.

Repórter uruguaio, Martin Machado conta que Silvera fez toda a sua carreira no Cerrito e foi peça importante para que o clube deixasse a terceira divisão nacional e chegasse à elite do campeonato local.

– Silvera é um jogador rápido e que, enquanto jogador do Cerrito, mostrou ter boa finalização. Tem como principal característica a velocidade para atuar pelos lados do campo, mas que também era utilizado como centroavante. Ele apareceu no futebol uruguaio com muita projeção e se mostrando bem interessante. Em algum momento desse início de carreira esteve no radar do Nacional, mas há algum tempo não se comenta nada sobre ele no Uruguai – fala Machado.

Mesmo diante desse início promissor, Silvera nunca figurou nas seleções de base, tampouco principal do Uruguai. O ponto alto da sua carreira ocorreu em 2021 quando Cerrito chegou a primeira divisão do país.

– Em 30 jogos daquele campeonato ele marcou 20 gols. Foi o artilheiro da competição e logo acabou negociado com o futebol mexicano. A imagem que deixou a todos no Uruguai é de que se tiver sequência pode adquirir confiança e ser sim um jogador interessante. Principalmente porque é novo de idade – acrescenta o jornalista uruguaio.

Desembarque no futebol mexicano

Ao se destacar com a camisa do Cerrito, Silvera foi comprado pelo Juarez, do México. Mas lá as coisas não saíram conforme o planejado por ele. Com então 23 para 24 anos, o atacante disputou 14 jogos, sendo 13 como titular, mas não marcou nenhum gol. O máximo que conseguiu foi dar uma assistência. Na temporada seguinte, mais 10 partidas, sete atuando desde o início, e nenhuma bola nas redes.

Mesmo longe dos seus melhores momentos, Silvera despertou o interesse e se transferiu para o Necaxa no início da última temporada. Com a expectativa de ver o uruguaio recuperar o faro artilheiro e o futebol apresentado em seu país, os Rojiblancos resolveram apostar na sua contratação.

Mais uma experiência negativa no México

Essa aposta, porém, segundo Juan Carlos Zamora, repórter da Televisa, do México, “foi uma das piores da história do clube”.

– O que posso dizer é que Silvera é um jogador de muita velocidade, mas nada objetivo. Se considerarmos o seu desempenho no México, não há nada que justifique a sua contratação pelo Necaxa, porque a sua passagem pelo Juarez também não foi nada boa – fala Zamora.

E os números corroboram a opinião de Zamora. Em um ano de clube, Silvera disputou 17 jogos, sendo nove como titular, e marcou apenas uma vez.

Questionado sobre o sentimento da torcida do Necaxa ao ver o uruguaio deixar o país, o jornalista foi claro.

– Os torcedores pensam que os dirigentes do Necaxa demoraram para liberá-lo. A verdade é que Silvera tinha que ter saído antes – explica ele antes de avaliar se o Santos fez uma boa contratação.

– Baseado em sua passagem pelo futebol mexicano é preciso dizer que não. Definitivamente não.

Conforme levantamento feito pelo site, Silvera esteve em campo por 671 minutos em seu último clube. Ele atuou, em média, 39 minutos por cada um dos 17 jogos.

Alternativa para Soteldo e Mendoza

De contrato assinado com o Santos, Silvera será mais uma opção para fazer sombra ao venezuelano Soteldo e o colombiano Mendoza. Atualmente, Aguirre conta apenas com Lucas Braga – suspenso e não joga contra o América-MG – e Wesley Patati.

Com o intuito de fortalecer aos lados do ataque, o coordenador técnico do Santos, Alexandre Gallo, viajou, nesta terça-feira (29), à Itália para resolver as negociações com o experiente argentino Roberto Pereyra.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo