Brasileirão Série A

Rebaixamento no Brasileirão: qual a menor pontuação que já se salvou?

Perto do fim do Brasileirão, todo torcedor começa a ligar a calculadora para entender como seu time pode fugir do rebaixamento

O Brasileirão acontece no formato de pontos corridos desde 2003. Com isso, a partir de então, o padrão de pontuação necessária para ser campeão, evitar o rebaixamento e garantir vaga na Libertadores foi se formando.

Vale destacar que, apesar de ter começado em 2003, o Brasileirão de pontos corridos com 20 clubes está vigente desde 2006. E falando em rebaixamento, a Trivela preparou essa nota para você saber a menor pontuação que já se salvou do descenso ao longo dessas 18 temporadas.

A menor pontuação que já se salvou do rebaixamento no Brasileirão

No Brasileirão de 2019, o Ceará conseguiu a façanha de escapar do rebaixamento com 39 pontos. Até hoje, essa é a menor pontuação de um 16º colocado que se salvou do Z4. E teve gordura em relação ao primeiro time da zona da degola. Isso porque, na ocasião, o Cruzeiro, 17º lugar do certame, caiu com 36 pontos, ou seja, três a menos que o Vozão.

Isso significa que o Ceará precisaria de apenas 37 pontos para escapar do rebaixamento. Sob o comando do técnico Argel Fucks na época, o Alvinegro até flertou com o perigo na reta final do Brasileirão de 2019, mas garantiu sua permanência na elite do futebol brasileiro muito graças à trágica campanha do Cruzeiro, que caiu pela primeira vez em sua história.

Como o Ceará se salvou com essa pontuação no Brasileirão?

Em 2019, o Ceará seguiu toda a ‘cartilha' para ser rebaixado. Afundado na crise, o clube alvinegro teve três técnicos durante a campanha e por pouco não caiu. Enderson Moreira, Adilson Batista e Argel Fucks, nesta ordem, comandaram o Vovô na Série A naquela oportunidade e encontraram bastante dificuldade.

Enderson Moreira começou o Brasileirão à frente do Ceará e, em 22 jogos, perdeu metade. O mineiro, natural de Belo Horizonte, não suportou a pressão e acabou demitido, dando lugar a Adilson Batista. Este segundo conquistou apenas quatro vitórias em 13 partidas e também teve o trabalho interrompido.

Restavam três rodadas até o término do Brasileirão, e o Ceará brigava incessantemente contra o rebaixamento. Argel Fucks foi contratado pela direção alvinegra com um só objetivo: evitar a queda do Vovô à Série B. Aos trancos e barrancos, o profissional conseguiu. Mesmo sem vencer nenhum jogo na reta final da competição, o time cearense ‘se aproveitou' de uma campanha pior ainda do Cruzeiro e assegurou a permanência na primeira divisão.

Em síntese, o Ceará terminou o Brasileirão Série A 2019 com 39 pontos conquistados. Ao todo, em 38 rodadas disputadas, foram 10 vitórias, nove empates e 19 derrotas, totalizando 34% de aproveitamento. Na campanha, o Vovô marcou 36 gols e sofreu 41.

Todas as pontuações que salvaram do rebaixamento em cada Brasileirão (2006-2022)

Confira abaixo as pontuações que salvaram do rebaixamento em cada edição do Brasileirão, de 2006 a 2022. Além de 2019, destaque também para as temporadas de 2009 e 2021, nas quais Fluminense e Juventude escaparam da degola com 46 pontos.

  • Brasileirão 2022 – 41 pontos (Cuiabá)
  • Brasileirão 2021 – 46 pontos (Juventude)
  • Brasileirão 2020 – 41 pontos (Fortaleza)
  • Brasileirão 2019 – 39 pontos (Ceará)
  • Brasileirão 2018 – 43 pontos (Vasco)
  • Brasileirão 2017 – 43 pontos (Vitória)
  • Brasileirão 2016 – 45 pontos (Vitória)
  • Brasileirão 2015 – 43 pontos (Figueirense)
  • Brasileirão 2014 – 40 pontos (Palmeiras)
  • Brasileirão 2013 – 45 pontos (Flamengo)
  • Brasileirão 2012 – 45 pontos (Portuguesa)
  • Brasileirão 2011 – 43 pontos (Cruzeiro)
  • Brasileirão 2010 – 42 pontos (Atlético-GO)
  • Brasileirão 2009 – 46 pontos (Fluminense)
  • Brasileirão 2008 – 44 pontos (Náutico)
  • Brasileirão 2007 – 45 pontos (Goiás)
  • Brasileirão 2006 – 44 pontos (Palmeiras)
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme CalvanoRedator

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo