Brasileirão Série A

‘Sempre com as malas prontas’: Álvaro Pacheco já responde sobre demissão no Vasco

Ainda sem vencer no comando do Vasco, o técnico Álvaro Pacheco escutou as primeiras vais e xingamentos no empate em 0 a 0 com o Cruzeiro

O técnico Álvaro Pacheco chegou, neste domingo, somente ao seu terceiro jogo no comando do Vasco, mas já escutou as primeiras críticas da torcida.

Após as duras derrotas para Flamengo e Palmeiras, o Cruz-Maltino ficou apenas no 0 a 0 com o Cruzeiro, neste domingo (16), em São Januário, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. E, antes mesmo da bola rolar, o português já foi alvo de vaias durante o anúncio do seu nome na escalação.

A situação de Álvaro Pacheco piorou ao longo do jogo contra o Cruzeiro. Com mais uma atuação ruim, principalmente no primeiro tempo, o Vasco não conseguiu superar a Raposa e a equipe deixou o campo sob vaias e gritos de “time sem vergonha“.

Já o técnico português foi chamado “burro” pelos torcedores. Depois da partida, perguntado sobre o momento e um rumor de um suposto interesse de Ramón Díaz, ex-técnico do Vasco, em retornar ao clube, Álvaro Pacheco mostrou serenidade e até um pouco de bom humor.

— Tem uma expressão que diz que “nós treinadores temos que estar sempre com as malas prontas”. Acredito muito no trabalho. Estou com muita vontade de estar aqui no Vasco e levar o Vasco a outros patamares que não tenho dúvida que vamos chegar. É importante perceber que tem sempre um processo.

— Eu tenho que estar preparado. Estou com vontade de trabalhar no máximo, ajudar os jogadores a serem melhores e conquistar os três pontos. Este é o meu foco. Quando está acima de mim a decisão, eu não controlo. Controlo o que faço pelo Vasco. Posso dizer que todos os dias eu trabalho e morro pelos interesses do Vasco – afirmou Álvaro Pacheco em entrevista coletiva.

Álvaro Pacheco diz que torcida tem razão

Álvaro Pacheco também falou sobre os gritos de “burro” que escutou e pela pressão que já sofre da torcida com apenas três jogos no comando do clube. O português voltou a ressaltar o foco nas situações que estão sob o seu controle.

— Temos que estar preparados. Os torcedores sempre têm razão. O Vasco tem uma história, que é mostrada pelos torcedores, pela paixão e orgulho do clube, os sonhos. Pelo o que Vasco foi e pelo que querem que o Vasco seja. Eles têm razão. Eu tenho que ficar no que controlo, trabalhar de forma séria e apaixonada e ajudar o Vasco a atingir as metas – afirmou Álvaro Pacheco.

— Sei que no futebol as coisas não acontecem de um momento para o outro. Não tenho uma varinha mágica para chegar aqui e colocar a equipe para jogar da forma que vai jogar. Os indicadores que tenho de evolução da equipe, de dedicação, a capacidade de envolvimento, há sinais que me agradam sobre o futuro do Vasco. Vamos chegar ao patamar que acredito, mas é de passo a passo – completou o treinador.

Ainda sem vencer sob o comando de Álvaro Pacheco, o Vasco é apenas o 15º colocado do Campeonato Brasileiro, com sete pontos. O Cruz-Maltino tem apenas um ponto a mais que o Grêmio, primeiro time na zona de rebaixamento. O Vasco volta a campo na próxima quarta-feira (19), contra o Juventude, às 20h (horário de Brasília).

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo