Brasileirão Série A

Payet é apresentado no Vasco mostrando que sabe da história e do desafio no clube

Francês Payet chega ao Brasil e é apresentado ciente de duas coisas muito importantes: tamanho da história e do desafio atual do Vasco

O Vasco apresentou o meio-campista Payet, nesta sexta-feira, com pompas dignas do craque que chega para reforçar o time na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. No final da manhã, cerca de 40 profissionais da imprensa, entre jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos e produtores acompanharam a primeira coletiva do meia como jogador vascaíno. Inclusive, três jornalistas franceses também estiveram presentes no Salão dos Beneméritos de São Januário.

O fato da apresentação ter acontecido em São Januário, e não no CT Moacyr Barbosa, como geralmente acontece com os reforços do Vasco, já mostrou o quanto a chegada de Payet foi especial para o clube. Além disso, o clube decorou o salão com fotos de Payet, já com a camisa do Vasco, e também contou com a presença de sócios do clube.

E Payet chegou no Vasco sabendo do peso e da responsabilidade que terá vestindo a camisa vascaína. O primeiro contato com o torcedor, ao desembarcar no Galeão, na última quarta-feira, já mostrou isso. E ele mostrou que, além de estar ciente da esperança do torcedor, também sabe o tamanho e a história do clube.

— Por que escolhi o Vasco? Porque sei que é um gigante e não só no Brasil, mas muito conhecido na França. É um clube lendário e histórico. Conhecemos a história de Romário, Edmundo e Dinamite e tem uma questão além, da luta do Vasco contra o racismo. É uma escolha que vai nesse sentido – afirmou Payet.

— Primeira coisa que fiz quando começaram as conversas foi buscar na internet como é o ambiente do estádio. E vi que é excepcional. Quando cheguei ao aeroporto, entendi por que é excepcional. Estádio mítico e gigantesco, construído pelos torcedores há quase 100 anos. É um estádio difícil para os adversários ganharem – completou o meia em outra resposta.

Quando Payet pode jogar pelo Vasco?

Payet chega ao Vasco após deixar o Olympique de Marselha, da França, no fim da última temporada europeia. Assim, o meia vem de um período de inatividade. Além disso, ele ainda precisa conseguir o visto de trabalho para o Vasco poder regularizar a sua situação no BID da CBF. Dessa forma, Payet só deve ficar à disposição do técnico Ramón Diaz para a partida contra o Palmeiras, dia 28 de agosto, ou contra o Bahia, dia 3 de setembro. E ele falou sobre essa questão durante a coletiva.

— Conheci o técnico, os jogadores e posse dizer que senti um time muito unido, que joga junto. Nesse último período não estava jogando. A parte física vai precisar ser aprimorada. Assim que possível, a vontade é estar logo em campo – disse Payet.

— Vai ser um grande desafio, com certeza. Sei a pressão e dificuldade. De alguma forma o time do Vasco lembra o Olympique que é um time guerreiro e não está no lugar certo. É uma equipe inteira que dará renovação e esperança – afirmou Payet sobre o momento do Vasco.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo