Brasileirão Série A

Operação Salva Vasco: como Ramón Diaz e reforços mudaram a cara do time em dois meses

Em dez jogos, Ramón Diaz mudou o cenário do Vasco no Campeonato Brasileiro e time pode sonhar com objetivos maiores

Depois de um longo período na zona de rebaixamento, o Vasco, enfim, deixou o Z-4 após a vitória sobre o América-MG, na última segunda-feira. E, em meios a acusações infundadas por parte da diretoria do time mineiro sobre uma suposta “Operação Salva Vasco”, o Cruz-Maltino passa, de fato, por uma “operação” para tentar fazer o time escapar da queda. E ela começou há pouco mais de dois meses, com a chegada de Ramón Diaz e reforços que mudaram a cara do time.

Com um péssimo começo de Campeonato Brasileiro, com nove pontos conquistados em 14 jogos, o Vasco vivia um dos seus piores momentos nos últimos anos, até a chegada de Ramón Diaz. O experiente técnico argentino chegou com a dura missão de tirar o time da então incômoda 19º colocação do Brasileiro. E, além do treinador, o Cruz-Maltino também contratou outros dez jogadores neste meio de temporada.

Dos reforços contratados, cinco já viraram nomes essenciais para a recuperação do time no Brasileiro: o volante/zagueiro Medel, os meais Paulinho e Praxedes, e os atacantes Rossi e Vegetti. Além deles, o zagueiro Maicon e, é claro, o meia Payet também já tiveram boas participações em jogos recentes do Vasco.

Depois de um começo ruim de Medel atuando como volante, Ramón Diaz encontrou no chileno o parceiro ideal para Léo na zaga vascaína. Com muita disposição, bom posicionamento e liderança, o experiente jogador logo virou capitão do time e passou a ser um dos destaques da equipe.

Medel, novo capitão do time, foi um dos importantes reforços que chegaram neste meio de temporada (Foto: Leandro Amorim/Vasco)

Aliás, esta experiência, não só de Medel, também foi essencial para a virada de chave do Vasco no Brasileiro. Depois de apostar em jovens jogadores no começo do ano, o Cruz-Maltino mudou o foco nesta segunda janela de transferências e aumentou a média de idade do time. Dos dez jogadores contratados, apenas Praxedes, de 21 anos, tem menos de 25. A média de idade dos reforços deste meio de 2023 é de 29,6 anos, enquanto no começo da temporada o Cruz-Maltino contratou 16 jogadores, com média de 25,1 anos.

Jogadores criticados ganham confiança e espaço com Ramón Diaz

Além da chegada de bons reforços, o Vasco também teve jogadores que estavam em baixa ganhando confiança e crescendo de produção com o novo treinador. O principal caso é o do volante Zé Gabriel. Apesar de uma partida irregular na última segunda-feira, ele é um dos pilares do time de Ramón Diaz. O camisa 23 chegou a treinar separado do elenco no começo do ano, mas voltou a ser utilizado no fim da passagem de Maurício Barbieri e, com Ramón Diaz, passou a ser titular absoluto do time.

O atacante Gabriel Pec, que já fazia boa temporada, também cresceu de produção. Mesmo indo para a reserva nos últimos jogos, para a entrada de Rossi, Pec tem entrado bem e marcou três gols nas últimas três partidas.

Já Puma Rodríguez e Jair viveram situações curiosas. Os dois eram titulares absolutos do time até a chegada de Ramón Diaz, mas perderam espaço com o novo treinador. O volante chegou a não ser relacionado para o jogo contra o Grêmio, no fim do primeiro turno, enquanto Puma também ficou fora de uma partida por opção. Mas os dois voltaram a receber oportunidades e Jair marcou o gol da vitória sobre o América-MG.

Em recente entrevista, depois da vitória sobre o Coritiba, Puma Rodíguez exaltou a importância de Ramón Diaz para o seu novo momento no clube.

– O Ramón me dá muita liberdade. Isso faz com que a equipe ataque muito pela direita. Ele me dá liberdade para atacar, que é a minha principal característica. O Ramón me passou muita confiança – disse Puma.

Ramón Diaz aumenta disputa entre jogadores

Assim que chegou ao clube, Ramón Diaz fez mudanças importantes no time. É claro que a chegada dos reforços também foram essenciais para isso, mas o treinador segue fazendo alterações na equipe e que continuam surtindo efeito durante as partidas. O principal exemplo disse é a disputa entre Rossi e Gabriel Pec pela vaga no time titular.

Pec foi titular em seis dos sete primeiros jogos de Ramón Diaz no comando do time, e teve um gol e uma assistência neste período. No clássico com o Fluminense, o técnico passou a escalar Rossi entre os onze iniciais. E o atacante logo correspondeu, sendo um dos melhores em campo, com duas assistências. Mas Gabriel Pec entrou no próprio lugar de Rossi e marcou os dois gols que garantiram a vitória por 4 a 2 sobre o tricolor. Contra o Coritiba, Rossi foi novamente titular e “entregou” mais uma assistência e um gol. Quando Pec foi acionado, também deixou o seu gol.

Depois da vitória sobre o América-MG, Ramón Diaz, além de cobrar um melhor futebol do seu time, também falou sobre esta competição entre os jogadores ao citar o caso de Jair, que havia perdido espaço e voltou a ser importante para o time.

– Eu sou muito claro com todo o grupo, com todo o plantel. Mas o que passou já passou. Temos que pensar no presente e no futuro. Eu gosto que o grupo tenha competência e nos preparamos psicologicamente, mentalmente, porque há duas rodadas atrás teve um golpe e tivemos uma expulsão. Expliquei que ele (Jair) era um jogador importante. Mas que necessitava treinar, necessitava esse ‘empurro’ que é uma característica e competir com os que estão jogando, porque todos querem jogar – disse Ramón Diaz.

Agora fora da zona de rebaixamento, o Vasco vai seguir na sua própria operação para tentar se afastar cada vez mais do Z-4 e até – quem sabe? – buscar por objetivos maiores na competição. E o próximo desafio será mais um confronto direto. Desta vez, contra o Santos, no domingo (1), às 16h (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo