Brasileirão Série A

Com risco de queda na última rodada, Marcelo Fernandes garante: ‘Vamos dar a vida, o Santos não vai cair’

Em entrevista coletiva, o técnico do Santos, Marcelo Fernandes, garantiu que a equipe vai permanecer na Série A

A fraca temporada do Santos não podia terminar de maneira diferente. O Peixe chega ao último jogo do ano, que será disputado na próxima quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), ameaçado de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Mas isso, segundo o técnico Marcelo Fernandes, não irá acontecer. Em entrevista coletiva após a derrota por 3 a 0 para o Athletico-PR, na Ligga Arena, na noite deste domingo (3), o treinador afirmou que a equipe dará a vida pela permanência na elite do futebol nacional.

Com a derrota na capital paranaense, o Santos permaneceu na 15ª colocação na tabela, com 43 pontos. O Peixe foi beneficiado pelas derrotas de Vasco e Bahia para Grêmio e América-MG, respectivamente. Diante disso, os comandados de Marcelo Fernandes dependem de uma vitória para ficar na Série A. Em caso de derrota ou empate com o Fortaleza, o Alvinegro dependerá de novo tropeço de vascaínos e baianos contra o Red Bull Bragantino e Atlético-MG.

– Perdemos uma partida em que jogamos muito bem no primeiro tempo. Segundo tempo ficamos em cima. Mas a decisão é igual para nós e para todo mundo. Quando tudo isso começou, ninguém imaginava que chegaríamos vivos. Todo mundo tinha enterrado o Santos. Vamos dar a vida e o Santos não vai cair. Teremos uma partida difícil, mas sabemos o que galgamos para estar aqui – ,falou o treinador.

Santos fará treino leve para encarar o Fortaleza

Por conta do pouco tempo para o próximo confronto, a equipe titular do Santos não fará longos trabalhos no CT Rei Pelé. De acordo com Marcelo Fernandes, a situação só permite uma atividade leve.

– Vamos completar 48 horas deste jogo às 20h30 de terça-feira. O time que vai jogar contra o Fortaleza vai ser apenas um treino leve. Será uma atividade para ajustar o que precisamos em cima do estilo de jogo do Fortaleza. A gente não tem de ficar tentando mudar muita coisa agora. Eu não estou otimista na permanência para apagar a derrota. Muito pelo contrário. Estou otimista porque quando fomos a Salvador ninguém mais acreditava e mostramos a nossa força. O Santos está muito vivo, depende de si para não cair e vai jogar na sua casa e com o apoio da sua torcida – acrescentou o técnico santista.

Outras respostas de Marcelo Fernandes

  • Ausências de Joaquim e Rodrigo Fernández
  • Gostou da equipe contra o Athletico-PR?
  • Quanto o apoio da torcida é importante?

Como suprir os desfalques de Joaquim e Rodrigo Fernández?

– São dois jogadores importantíssimos. Jogadores que estão jogando com muita vontade. O Joaquim segurou cinco partidas com dois cartões amarelos. Temos jogadores à altura para substitui-lo. Temos o João Basso voltando. Vamos pensar o que tem de melhor. Vão entrar jogadores mais descansados. É decisão. Quem tiver, vai representar bem o Santos e estamos muito tranquilos em relação a isso.

Qual avaliação fez do Santos contra o Athletico-PR?

– A equipe se portou muito bem no primeiro tempo. Na marcação foi um dos melhores jogos que tivemos. Mas a vontade e o desempenho da equipe foram muito nítidos. Não há tempo para enfiar a cabeça no buraco por causa de derrota. Chegamos na última rodada, quando ninguém acreditava, dependendo de nós mesmos.

O que falar da torcida do Santos?

– Esse apoio sempre foi irrestrito. Só podemos bater palma para a torcida do Santos, porque ela sabe o que estamos passando e no 7 a 1 ela continuou apoiando. Estamos ali por eles. O mínimo que podemos fazer é deixar o Santos no lugar em que lhe é de direito, que é a primeira divisão.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo