Brasileirão Série A

Internacional sente onda de desfalques no ataque e é deserto de ideias em empate com São Paulo

Além de Maurício, Alario, Borré e Valencia, que já eram ausências, Colorado perdeu Alan Patrick, lesionado, no primeiro minuto de jogo que acabou 0 a 0

Os desfalques, principalmente no sistema ofensivo, pesaram para que o Internacional fizesse um jogo de pouca criatividade e empatasse sem gols com o São Paulo, na noite desta quinta-feira (13), no Heriberto Hülse, em Criciúma.

Com o resultado, o Colorado chega aos 11 pontos em seis jogos e ocupa a 10ª colocação do Campeonato Brasileiro. O próximo jogo será no domingo (16), às 16h, contra o Vitória, no Barradão, em Salvador/BA.

Internacional perdeu Alan Patrick, lesionado, no primeiro minuto de jogo

Como se não bastassem as ausências de Rafael Borré e Enner Valencia, que se preparam com suas seleções para a Copa América, e Maurício e Lucas Alario, lesionados, o Inter ainda perdeu Alan Patrick logo no início de jogo.

Já no primeiro giro do ponteiro do relógio, em disputa com Alisson, no meio de campo, o capitão colorado sentiu desconforto muscular na coxa. Ele precisou ser substituído por Hyoran.

Lado esquerdo foi muito mais explorado do que o direito, mas sem sucesso

Sem o entrosamento, e principalmente a qualidade dos titulares, o Inter foi pouquíssimo criativo em Criciúma – ainda que em muitos momentos tenha executado bem o perde-pressiona, característica marcante do modelo de jogo de Coudet, e dificultado a saída de bola do São Paulo.

Com a posse, o Inter buscava principalmente o lado esquerdo. Quando recebia a bola, bem aberto, próxima à linha lateral, Wesley tentava jogadas individuais em cima de Igor Vinícius, mas sem muito sucesso. A situação de mais perigo proporcionada pelo ponta foi já no segundo tempo, após cobrança rápida de falta, em finalizou cruzado de canhota.

No lado direito, que teve Bruno Henrique no lugar habitualmente ocupado por Maurício, faltava profundidade. A primeira vez em que Bustos conseguiu chegar à linha de fundo e cruzar, após passe do camisa 8, foi aos 43 minutos do primeiro tempo.

Por dentro, Hyoran e Lucca participavam pouco do jogo, encaixotados pela defesa do São Paulo. No caso do meia, em parte por ter sido a primeira vez em que atuou mais adiantado, na função de Alan Patrick.

Hyoran caía mais pelo lado esquerdo. Por ali, conseguiu cavar uma falta, no primeiro tempo. Na segunda etapa, bateu cruzado, em bola que passou por todo mundo e saiu pela linha de fundo. Mas foi só.

Trocas também não surtiram efeito, e no final coube a Fabrício garantir o empate

Com as entradas de Gustavo Prado e Wanderson nos lados direito e esquerdo, respectivamente, Wesley passou a se posicionar na dupla de frente com Hyoran. Em tese, o time se tornaria mais vertical. Mas as trocas não surtiram efeito prático.

No final, ainda coube a Fabrício, lá atrás, manter o 0 a 0 no placar. O goleiro, substituto de Rochet, que também se prepara para a disputa da Copa América, fez duas grandes defesas em conclusões de Lucas, uma com o pé, outra de cabeça.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas WagnerSetorista

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo