Brasileirão Série A

Hulk abre mão de ser capitão do Atlético por se sentir prejudicado

Referência técnica do time, atacante se sente injustiçado em sua relação com árbitros

O atacante Hulk é a principal referência do Atlético-MG desde quando chegou ao clube, em 2021. Mas em 2023 ele vem chamando atenção por outro ponto: os muitos cartões recebidos por reclamar com a arbitragem. Diante disso, o próprio jogador optou por abrir mão da braçadeira de capitão do Galo, já que se sente prejudicado.

Em coletiva nesta sexta-feira (14), Hulk foi questionado se se sentia perseguido pela arbitragem por conta dos vários cartões recebidos ao longo da temporada, ao todo, são 18, sendo 13 por reclamação. Ele aproveitou para informar que conversou com o diretor Rodrigo Caetano e com o técnico Felipão sobre a decisão de deixar a braçadeira:

“Agradeci a confiança, respeito e responsabilidade que eles passaram pra mim. Eu estava sendo prejudicado e também prejudicando meus companheiros. A partir do momento que eu tomo amarelo, vai ter uma bola dividida que eu vou precisar tirar o pé, e isso vinha acontecendo. Vou focar em jogar e nem conversar pra não ser prejudicado novamente”.

Hulk se vê injustiçado como capitão do Galo

Hulk foi expulso no clássico contra o América-MG ao receber dois amarelos por reclamação, o primeiro durante o jogo e o segundo já após o apito final. Ele citou que houve uma palestra do comitê de arbitragem informando que os capitães teriam “autonomia e direito de conversar com os árbitros”. No entanto, segundo ele, não é isso que acontece:

“A gente comentou que não é isso que acontece, que a gente tenta conversar, mas os árbitros não nos ouvem e nos punem com cartão. Disseram que estava errado, que devemos mostrar a faixa de capitão. Faço isso, mas todas as vezes sou ignorado”.

O atacante garante que todas as vezes que vai falar com os árbitros é com educação, mesmo que seja discordando de uma ação: “Sempre chego com educação e respeito, mas infelizmente não sou ouvido e sou sempre punido”, disse o atacante ao pedir uma análise de todos os cartões por reclamação que levou para ver se ele realmente faltou com respeito ao árbitro.

Quem será o novo capitão do Atlético?

A braçadeira de capitão do Atlético ainda não tem novo dono, e Hulk garantiu que não participará dessa escolha, que será exclusiva do técnico Felipão. O atacante entende que há vários jogadores qualificados para isso no clube, mas não quis citar nomes:

“Temos muitos jogadores com perfis de capitão, vários que já usaram a braçadeira aqui mesmo. Tenho certeza que quem vai usar, vai representar a gente muito bem lá dentro”.

Alguns jogadores do atual elenco atleticano já foram donos da braçadeira, no entanto, apenas um deles é considerado titular: o goleiro Everson. Outros que já tiveram esse cargo são os zagueiros Igor Rabello e Réver, ambos reservas. Se Felipão optar por quem tem “mais tempo de casa”, Guilherme Arana, Mariano e Jemerson entram na disputa.

+ LEIA MAIS: Atlético-MG deve seguir inativo no mercado, mas já faz projeções da SAF

Os cartões de Hulk em 2023

São 18 cartões recebidos por Hulk ao longo de toda a temporada, o que dá uma média de um cartão a cada 0,5 jogos. Desses 18, apenas dois foram por falta cometida pelo atacante. Outros 14 são por reclamação, além de outros dois por confusão com outros jogadores. Confira a lista:

  1. Atlético-MG 1×1 Cruzeiro – reclamação
  2. 2×1 Patrocinense – reclamação
  3. 3×1 Carabobo – falta cometida
  4. 1×1 Millonarios – reclamação
  5. 0x1 Athletic – reclamação
  6. 3×1 Millonarios – confusão na área
  7. 3×2 América – reclamação
  8. 2×0 América – reclamação
  9. 1×2 Vasco – reclamação
  10. 1×1 Brasil de Pelotas – confusão com o goleiro
  11. 2×1 Coritiba – reclamação
  12. 0x2 Corinthians – reclamação
  13. 1×0 Cruzeiro – reclamação
  14. 1×0 Alianza Lima – falta cometida
  15. 1×1 Fluminense – reclamação
  16. /17/18*. 2×2 América-MG – reclamação + reclamação = expulsão

Hulk completará 150 jogos pelo Atlético

Depois de cumprir suspensão no último jogo, quando o Atlético foi derrotado pelo Corinthians no Mineirão, Hulk voltará a ação nesta segunda (17), contra o Goiás. Será o jogo de número 150 dele com a camisa do Atlético, tendo já contribuído com 86 gols e 22 assistências, uma média de 0,7 participações em gol por jogo.

“Pra mim é muito gratificante e especial chegar a uma marca tão alta. 150 jogos, mais de 80 gols, alguns títulos, espero continuar somando, ganhando títulos, que é o que eu mais almejo no time”, disse o jogador.

Já no quesito cartões, são 37 ao todo, o que dá uma média de 0,2 por jogo, bem abaixo da média registrada na atual temporada. Ele foi expulso apenas duas vezes, no jogo já citado contra o América-MG, há duas semanas, e no outro clássico de Minas, contra o Cruzeiro, no Mineiro de 2021, mas não foi por reclamação e sim por uma briga com o também atacante William Pottker.

Hulk pelo Atlético

  • 149 jogos
  • 86 gols
  • 22 assistências
  • 37 cartões (2 vermelhos)
  • Tricampeão Mineiro
  • Campeão Brasileiro
  • Campeão da Copa do Brasil
  • Campeão da Supercopa do Brasil
  • Melhor atacante, craque e artilheiro do Brasileirão 2021 – no prêmio do campeonato no Bola de Prata
Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo