Brasileirão Série A

John Kennedy pede passagem e pode ser a resposta para problemas do Fluminense

O Fluminense conseguiu a virada e venceu o América-MG por 3 a 1 pelo Campeonato Brasileiro, mas o início de jogo da equipe preocupou os mais de 35 mil tricolores presentes no Maracanã. Os primeiros 45 minutos foram equipe “ideal” de Fernando Diniz, mas mais uma vez, John Kennedy saiu do banco para mudar o jogo.

O camisa 9 pede passagem, e pode ser a resposta para os problemas do Fluminense. O Tricolor tem encontrado dificuldades para ser agressivo no ataque, e com características diferentes dos outros jogadores da posição, torna a equipe mais perigosa. Arma que pode ser importante contra o Olimpia, pelas quartas de final da Libertadores.

Dos últimos sete gols marcados pelo Fluminense, cinco tiveram a participação de John Kennedy, que marcou três vezes nos últimos três jogos. Crescimento destacado pelo técnico Fernando Diniz

— Ele vem em um período de crescimento constante e ganhando o espaço dele. É totalmente merecido pelas atitudes dele, muito profissionais desde que retornou de empréstimo. Está começando a colher o fruto de muito trabalho que ele faz desde o início da temporada — afirmou Diniz.

O camisa 9 chegou a seis gols pelo Fluminense em 2023, mesmo número que marcou pela Ferroviária no Paulistão, quando terminou como terceiro na lista de artilheiros, atrás apenas de Galoppo e Bruno Mezenga. Ele também soma três assistências pelo Tricolor.

John Kennedy vai de problema à solução

Depois do jogo, o próprio John Kennedy falou sobre a virada de chave em sua carreira. O camisa 9, que acumulou polêmicas fora de campo nos últimos anos, foi de problema à solução no Fluminense.

Com seis gols e três assistências em 2023, John Kennedy pede passagem no Fluminense - Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC
Com seis gols e três assistências em 2023, John Kennedy pede passagem no Fluminense – Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC

Em 2023, ele vive nova fase. Além dos gols, a capacidade de fazer mais de uma função e a vontade agradam o torcedor. O jogador, hoje, é visto como um exemplo no CT Carlos Castilho.

— O homem John Kennedy é uma linda transformação — resumiu Paulo Angioni em uma entrevista recente à Trivela.

Mais do que isso, o jogador oferece algo que tem faltado ao Fluminense nos últimos jogos: agressividade. Com qualidade na bola aérea e no pivô, oferece ao Tricolor características que não são as mais fortes de Germán Cano. Mais veloz, inclusive, consegue jogar próximo do argentino e criar alternativas por dentro, embora o Flu prefira jogar pelas laterais.

Desde que venceu o The Strongest, no Maracanã, enfrentando uma equipe que atuou com o bloco de defesa baixo e uma linha de cinco defensiva, o Fluminense passou a jogar com mais atacantes “espalhados” no último terço.

Sem muita movimentação, entretanto, a equipe até ganhou em amplitude, mas perdeu o que tem de melhor em sua essência do “Dinizismo”: muitos jogadores em torno da bola. Com a movimentação constante de John Kennedy e quando Arias e Keno se descolam das laterais, o Fluminense cresce. Foi pensando nisso que Fernando Diniz colocou o camisa 9 no intervalo contra o América-MG.

— Faltava jogar mais pelos dois lados e ter mais jogadores na linha da frente, com mais circulação — explicou Diniz após o jogo.

Empréstimo à Ferroviária vira chave do atacante

Após o empréstimo para a Ferroviária, o atacante teve uma reunião privada no CT Carlos Castilho. John Kennedy voltou a ouvir do diretor executivo Paulo Angioni e do técnico Fernando Diniz que ninguém desistiria dele no clube.

Após marcar contra o América-MG, o jovem afirmou que o período em Araraquara tinha sido decisivo, de muito amadurecimento.

— O empréstimo foi a virada de chave. Fui para lá querendo voltar para o Fluminense. Voltei, treinei bastante, ganhando confiança, ganhando a confiança também do Diniz, busquei meu espaço e consegui ajudar. Se vou ser titular, deixo com o Diniz (risos) — disse John Kennedy.

Fluminense na Libertadores 2023

  • Classificado às oitavas de final no 1º lugar do grupo D com 10 pontos
  • 55% de aproveitamento na fase de grupos
  • Bateu o Argentinos Juniors nas oitavas de final — placar agregado 3 x 1.
  • Enfrenta o Olímpia (PAR) nas quartas de final — jogo de ida na quinta (24), no Maracanã.

Fluminense no Brasileirão 2023

  • 3ª colocação após 20 jogos disputados
  • 56% de aproveitamento até o momento
  • 34 pontos conquistados com 10 vitórias, 4 empates e 6 derrotas
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo