Brasileirão Série A

Depois de se despedir de ídolos, Flamengo reencontra Cuiabá com tristeza superada

Dupla se despediu do Rubro-Negro em duelo de dezembro do ano passado, mas ausências foram rapidamente consertadas por contratações

Flamengo e Cuiabá se enfrentam neste sábado (06), pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo marca o reencontro da equipe no Maracanã após oito meses, sendo que a última partida entre as equipes foi especial para o torcedor rubro-negro.

Mesmo com gosto agridoce na boca, a Nação se despediu de Filipe Luís e Rodrigo Caio na ocasião.

Apesar da tristeza pela saída dos ídolos, as ausências não são sentidas atualmente, muito pelo trabalho do departamento de futebol.

A Trivela relembra a despedida, o preenchimento dessas lacunas e ainda traz a provável escalação do Flamengo para a partida contra o Cuiabá.

Adeus com vitória

A partida terminou 2 a 1 para o Flamengo, mas o resultado não chegou nem perto do apelo das despedidas de Filipe e Rodrigo.

A dupla foi homenageada antes e depois do apito final, com mosaicos, copos personalizados, faixas, camisas e fotos com todos os títulos conquistados pelo clube. O zagueiro teve um a mais do que o lateral, o Campeonato Carioca de 2019.

Filipe Luís e Rodrigo Caio se despediram juntos do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / CRF)

Os dois ainda se emocionaram nas entrevistas concedidas após o apito final. Ainda no Maracanã, tanto Filipe Luís quanto Rodrigo Caio demonstraram enorme carinho pelo Flamengo e por todo o ambiente vivido ao longo de quatro anos de clube.

— Eu digo que todos os momentos vividos aqui foram intensamente da melhor forma, eu me entreguei de corpo e alma, independentemente das circunstâncias, e eu saio agradecido a Deus pela oportunidade de desfrutar desses momentos. E com o meu coração em paz porque eu entreguei o meu melhor, o máximo que eu pude, em todas as circunstâncias. Eu saio com o meu coração em paz, com a minha cabeça tranquila porque o dever foi cumprido — disse Rodrigo, antes de passar a palavra para Filipe:

— Eu fiz amigos verdadeiros. Eu fiz muitos. Não tenho nenhum problema em chamar de amigos. Gabriel ficou do meu lado quatro anos e meio, eu briguei, amei, ele é quem eu mais que convivi. Um mlk de 23 anos. Eu vivi coisas com ele que não vivi e com meus amigos de infância. Quando você participa de um elenco campeão ngm mais esquece. Eu vou encontrar ele daqui a anos. Foi uma bonita história juntos — finalizou Filipe Luís.

Contratações de peso no Flamengo

Um permaneceu no Flamengo, como treinador das categorias de base, enquanto o outro assinou contrato com o Grêmio. Certo mesmo é que Filipe Luís e Rodrigo Caio deixaram lacunas no elenco rubro-negro, que poderiam ter sido um problema como outras.

Ao contrário do que aconteceu na saída de Rodinei, por exemplo, o departamento de futebol agiu rápido para recuperar o nível do elenco.

Léo Ortiz chegou para a vaga de Rodrigo Caio, enquanto Matias Viña deixou a Europa para preencher a lacuna deixada por Filipe Luís. Duas contratações de peso, que poderiam ser titulares em boa parte do país. No Flamengo, contudo, brigam por posição.

Léo Ortiz
Léo Ortiz é um dos grandes destaques do Flamengo durante a Copa América (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

O provável Flamengo

Curiosamente, ou não, os reforços contratados para as vagas de Filipe Luís e Rodrigo Caio não estarão em campo.

Matias Viña está entregue aos cuidados de Marcelo Bielsa e seleção uruguaia, para a disputa da Copa América, enquanto Léo Ortiz, que foi utilizado nos sete jogos disputados durante o período da Data Fifa, vai ao banco de reservas com a volta de Pulgar.

Dessa forma, Tite deve escalar o seguinte time contra o Cuiabá: Rossi, Wesley, Fabrício Bruno, David Luiz e Ayrton Lucas; Pulgar (Léo Ortiz), Allan e Gerson; Luiz Araújo, Bruno Henrique e Pedro. 

A bola rola a partir das 20h (de Brasília), no Maracanã. O Flamengo é o líder do Campeonato Brasileiro com 30 pontos, três a mais do que Palmeiras, Botafogo e Bahia, perseguidores importantes.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo