Brasileirão Série A

Apostas erradas: cinco estrelas que não deram certo no São Paulo

Além de James Rodríguez, relembre outros craques que não corresponderam às expectativas com a camisa do São Paulo

Historicamente, o São Paulo ficou conhecido por suas grandes equipes e, não à toa, pode ser considerado campeão de tudo. Ao mesmo tempo, o Tricolor tem uma base forte e costuma fazer bons negócios com os europeus por suas joias. Contudo, quando se trata de contratações, alguns reforços recentes deixaram muito a desejar, chegando sob grandes expectativas, mas sem fazer a diferença no Morumbi.

Talvez o primeiro nome que veio a sua cabeça e que se encaixe nesse perfil seja o de James Rodríguez, que desembarcou no São Paulo com status de craque, porém, dentro de campo, passou longe de ser a estrela que todos esperavam.

Segundo informações apuradas pela Trivela, não há mais esperanças de que o meia corresponda à alta expectativa sobre o seu futebol desde a chegada de Zubeldía. James tem contrato com o São Paulo até o junho de 2025, mas o relato é de que o Tricolor não se opõe a uma saída na janela do meio do ano e não fará força para segurar o jogador.

E o meia colombiano é apenas um exemplo na lista dos grandes nomes que chegaram sob grande expectativa no Tricolor. Relembre:

Estrelas que não deram certo no São Paulo

James Rodríguez

James foi contratado com status de estrela, mas pouco fez com a camisa do São Paulo. Após um início de carreira meteórico, o meia brilhou na Copa do Mundo de 2014, quando foi o grande destaque da Colômbia. Com o término do Mundial no Brasil, ele foi para o Real Madrid, onde não repetiu as mesmas atuações. Dali para frente, passou a rodar por diversos clubes europeus.

Em abril de 2023, James Rodríguez deixou o Olympiacos, onde também não teve boa passagem. Três meses depois, o Tricolor apostou no meia, que foi contratado com a esperança de se tornar um dos melhores nomes da posição no futebol brasileiro. Entretanto, o colombiano se mostrou uma verdadeira decepção. Primeiro, a parte física era a justificativa para a falta de jogos. Depois, ausência por opção técnica.

James viu o São Paulo ser campeão da Copa do Brasil e da Supercopa do Brasil sem disputar um jogo sequer dessas competições. Ao todo, o meia tem 22 partidas pelo Tricolor, com dois gols e quatro assistências. Números bem modestos para o tamanho do colombiano.

Alexandre Pato

Outro craque que também não deu certo no São Paulo foi Alexandre Pato, principalmente em suas últimas passagens. O atacante surgiu como uma grande promessa no Internacional, tanto que rapidamente foi para o Milan. Pato sofreu com as lesões na Itália e acabou voltando para o futebol brasileiro em 2013, para o Corinthians. No Timão, ficou marcado pelo pênalti displicente na eliminação para o Grêmio na Copa do Brasil.

O Tricolor então negociou uma troca com o rival e liberou Jadson para ter Pato no ano seguinte, o que se provou uma decisão acertada. Em sua primeira passagem pelo São Paulo, o atacante jogou 101 jogos, marcou 38 gols e distribuiu 16 assistências. Como consequência, chegou até mesmo a voltar para o futebol europeu. Já em 2019, retornou ao Morumbi, mas fez bem menos em sua segunda passagem.

Pato não embalou, ficando marcado por suas lesões. Ao perder espaço no São Paulo, resolveu ir para o Orlando City após 35 jogos e nove bolas na rede. Depois de duas temporadas na MLS, incluindo um grave problema no joelho, ele acertou sua volta para o Tricolor em meados de 2023. Contudo, a falta de condição física limitou sua terceira passagem a 10 partidas e apenas dois gols.

Daniel Alves

Com uma carreira de sucesso na Europa, passando por Barcelona, Juventus e PSG, Daniel Alves escolheu o São Paulo em agosto de 2019 para ser sua casa no Brasil. Não à toa, o lateral-direito chegou ao Morumbi como uma estrela. Já veterano, ele pediu ao Tricolor para jogar no meio-campo, e recebeu a camisa 10. Depois de uma estreia empolgante, a situação desandou.

Dani Alves acumulou muitos altos e baixos, e a inconsistência começou a irritar a torcida, que fez cobranças. Um dos episódios mais emblemáticos foi a batucada, quando o lateral postou um vídeo tocando tantã com a mão direita, sendo que ele estava se recuperando de uma fratura no mesmo antebraço. A relação com os torcedores do Tricolor ficou cada vez mais conturbada.

E se as atuações já não eram suficientes, a situação ficou insustentável quado o São Paulo atrasou pagamentos. O lateral-direito então cobrou o Tricolor, que tinha uma dívida de R$ 18 milhões com o atleta. A única saída foi um acordo de R$ 400 mil por mês para quitar o saldo devedor. O jogador deixou o Morumbi com 95 partidas, 10 gols e muitas mágoas. Ele foi condenado por estupro na Espanha neste ano.

Juanfran

Um jogador europeu no Brasil sempre chama a atenção. E quando esse atleta é do calibre de Juanfran, o torcedor do São Paulo teve muitos motivos para se animar. O lateral-direito passou boa parte de sua carreira no Atlético de Madrid, onde fez história. Livre no mercado em agosto de 2019, o espanhol acabou indo para o Tricolor, que não perdeu a oportunidade de ter uma estrela internacional em seu elenco.

Entretanto, a passagem de Juanfran pelo São Paulo foi bem apagada, com pouquíssimos momentos marcantes. O lateral jogou 56 partidas, mas não teve nenhuma participação direta em gols. As estatísticas modestas fizeram a diretoria não renovar o contrato do espanhol no início de 2021. Após sua aventura frustrada no futebol brasileiro, ele pendurou as chuteiras.

Lucas Pratto

Por fim, Lucas Pratto também foi um ótimo jogador que não rendeu o esperado no São Paulo. O centroavante estourou com a camisa do Atlético Mineiro entre 2015 e 2017, se tornando o estrangeiro com mais gols na história do Galo (42 em 107 partidas). Esse rendimento fez o Tricolor investir pesado na contratação do argentino, desembolsando R$ 20,5 milhões à época.

A trajetória de Pratto no São Paulo durou apenas uma temporada, mas com um impacto bem menor do que o imaginado. No total, o atacante jogou 48 partidas e balançou as redes 14 vezes. No início de 2018, o argentino alegou problemas familiares e se transferiu para o River Plate, onde seria campeão da Libertadores. Na negociação, o Tricolor pelo menos teve lucro com o atleta, que foi vendido por R$ 44,4 milhões.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo