Brasileirão Série A

Decisões da CBF causam atrito e Botafogo tenta reverter adiamento de jogo

Botafogo negou que tenha concordado em jogar sem público neste domingo e enviou ofício para a CBF pedindo que o jogo contra o Fortaleza volte para a terça-feira

As decisões da CBF após o apagão no Nilton Santos, no último sábado, desagradaram o Botafogo e causaram um atrito entre as partes em meio a reta final do Campeonato Brasileiro. Tanto a realização da continuação da partida com o Athletico-PR, neste domingo, sem público no estádio, como o adiamento do duelo com o Fortaleza, que estava marcado para a próxima terça-feira, geraram desconforto no Botafogo, que também não gostou de como a CBF lidou e comunicou as duas decisões. Agora, o clube vai acionar o STJD para tentar jogar contra o Fortaleza na data em que a partida estava inicialmente marcada.

Tudo começou ainda na noite de sábado. Com as seguidas quedas de luz durante a partida entre Botafogo e Athletico-PR, o árbitro Matheus Delgado decidiu pela suspensão do jogo, que estava com 6′ do segundo tempo, após seguir todo o protocolo de esperar uma hora na expectativa dos refletores se acenderem no Nilton Santos. A partir daí começaram os atritos entre o Botafogo e a CBF.

Com as delegações ainda no Nilton Santos e os dirigentes de Botafogo e Athletico-PR conversando muito nos corredores do estádio, o diretor de competições da CBF, Júlio Avellar, informou durante entrevista ao “Sportv” que o complemento da partida seria realizado neste domingo (22), às 15h, e com portões fechados por questões de segurança. A fala do dirigente da CBF aconteceu antes mesmo da Entidade comunicar a decisão aos clubes, o que já gerou um desconforto.

Pouco depois, durante a madrugada, a CBF oficializou a decisão de dar prosseguimento a partida neste domingo através de nota oficial no seu site. No comunicado, a entidade afirmou que a decisão foi tomada com a concordância dos dois clubes. No entanto, o Botafogo alega que não foi consultado e que gostaria de realizar a partida com a presença do público. Em uma tentativa de mostrar que estava do lado da torcida, o clube tentou, de última hora, negociar a presença da torcida com os órgãos de segurança poucas horas antes da partida, mas a Polícia Militar manteve o posicionamento contrário.

Botafogo teve que jogar sem público na tarde deste domingo (Foto: Gabriel Rodrigues/Trivela)

Botafogo tenta reverter decisão da CBF sobre jogo contra o Fortaleza

Como a Trivela mostrou, a CBF passou por cima de dois artigos do Regulamento Geral de Competições para poder manter a continuação da partida sem público e adiar o jogo entre Botafogo e Fortaleza. A diretoria do Glorioso acabou acatando a decisão em relação ao jogo contra o Athletico-PR, mas o clube segue tentando fazer CBF reverter a escolha de adiar a partida contra o Leão.

O Botafogo está em contato com a CBF e já mandou ofícios solicitando com que a partida seja realizada na terça-feira (24), no Castelão, como estava programado. Além disso, em nota, o clube informou que também vai acionar o STJD para buscar o que garante ser seu direito. A diretoria carioca entende que pode ter um prejuízo técnico caso o jogo seja mesmo adiado para outra data.

Apesar de não usar esse argumento abertamente, o Botafogo entende que provavelmente enfrentaria um Fortaleza com time reserva na próxima terça-feira. Isto porque no próximo sábado o Leão do Pici tem a grande final da Copa Sul-Americana, contra a LDU (EQU), no Uruguai. Assim, com o adiamento da partida, é possível que encare o time titular do Fortaleza.

O argumento utilizado publicamente pelo Botafogo é de que o calendário apertado deve fazer o jogo ser remarcado para a próxima Data Fifa, em novembro. Assim, o clube carioca poderia ter o desfalque de nomes como Lucas Perri e Adryelson, que foram convocados para a seleção brasileira na última rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. Além disso, o jogo adiado pode causar um certo desiquilíbrio na tabela, pois o Botafogo ficaria com um jogo a menos que os adversários na briga pelo título do Campeonato Brasileiro.

O Botafogo entende que a situação é complicada e que é difícil a CBF reverter a decisão sobre o jogo contra o Fortaleza, que, inclusive, já suspendeu a venda de ingressos para a partida e cancelou os check-ins dos sócios. Mas o clube quer marcar posição e mostrar sua insatisfação com as decisões da entidade. Além disso, caso o jogo seja remarcado, de fato, para a Data Fifa de novembro, o Botafogo vai tentar não perder Lucas Perri e Adryelson para a partida.

Nilton Santos ainda teve problemas com a energia durante a tarde

Enquanto Botafogo e Athletico-PR davam prosseguimento a partida na tarde deste domingo, e os dirigentes alvinegros se movimentavam nos bastidores, o Nilton Santos seguia quase que totalmente sem energia elétrica. Apenas algumas partes do estádio estavam com acesso à energia. Os elevadores e as tomadas da tribuna de imprensa, por exemplo, não funcionavam. Os jornalistas e repórteres cinematográficos precisaram subir seis andares de escada para acessar a tribuna, no setor Oeste Superior.

Elevadores do Nilton Santos seguiram sem funcionar neste domingo (Foto: Gabriel Rodrigues/Trivela)

Já nos arredores do estádio a vida seguia normalmente. Bares e restaurantes, além de pequenos comércios, estavam funcionando sem nenhum tipo de restrição a energia elétrica. O mesmo aconteceu na noite do último sábado, quando apenas o Nilton Santos sofreu com os seguidos apagões dos refletores e com as quedas de energia. Nos arredores, uma parte da região chegou a ficar sem energia por um momento, mas, logo em seguida, a luz voltou. Botafogo e Light, concessionária de fornecimento de energia, divergiram sobre a responsabilidade com as quedas de energia no Nilton Santos.

Funcionários da Light seguiam trabalhando no Nilton Santos neste domingo (Foto: Gabriel Rodrigues/Trivela)

A remarcação do jogo entre Botafogo e Athletico-PR para este domingo também gerou outra situação, no mínimo, curiosa. Como o palco para o show de Roger Waters já estava sendo montado, algumas partes do estádio, principalmente o campo e a tribuna de imprensa, precisaram ser evacuadas com certa rapidez assim que a partida acabou.

Confira a nota oficial do Botafogo

O Botafogo reafirma o seu posicionamento de que não vai medir esforços para disputar a partida desta terça-feira (24), contra o Fortaleza, no Castelão, conforme inicialmente programado pela CBF na divulgação da tabela do Campeonato Brasileiro. O Botafogo quer jogar. O Botafogo tem plenas condições de saúde e performance para entrar em campo. O Botafogo quer que o combinado seja cumprido.

1 – O Botafogo foi surpreendido ao tomar conhecimento do adiamento da partida durante a entrevista de um dirigente da CBF em um programa esportivo de televisão, sem antes sequer ser consultado ou comunicado previamente por representantes da entidade. Uma decisão certamente precipitada e desnecessária para aquele momento, quando se discutia a suspensão do jogo contra o Athletico no Nilton Santos.

2 – Ao longo do dia, o Botafogo enviou à CBF uma série de documentos e ofícios relevantes, como rege o regulamento, atestando que os jogadores estão aptos e habilitados para disputar a referida partida, a despeito do intervalo entre os jogos. Uma decisão tomada de forma conjunta entre atletas, comissão técnica e diretoria, com apoios das áreas de saúde e performance. O Botafogo, representado por seus atletas, quer jogar. E tem em mãos todas as exigências necessárias.

3 – Os atletas do Botafogo enviaram ofícios à Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol e ao Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro atestando plenas condições de jogo, buscando respaldo das associações representativas da classe para a manutenção da partida.

4 – O Botafogo tem toda a sua logística de treino e viagem para Fortaleza marcada para amanhã e confia que a CBF irá rever a sua posição a partir dos fatos novos apresentados, com as condições de saúde e performance dos atletas garantidas a partir de farta documentação e da laudos médicos.

5 – O Clube vai acionar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para defender seus interesses e manter a partida contra o Fortaleza para terça-feira (24).

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo