Brasileirão Série A

Livre do rebaixamento, com torcida de volta, só boas notícias: é o Cruzeiro, mas nem parece o Cruzeiro

Por pancadaria generalizada em Curitiba, STJD pune Cruzeiro com quatro jogos sem torcida; clube celeste já cumpriu a pena e contará com um Mineirão cheio em rodada final do Brasileirão

Nesta segunda-feira (4), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou o Cruzeiro pela briga generalizada de torcedores da Raposa no jogo contra o Coritiba, dia 11 de novembro, na Vila Capanema. E a notícia é boa para os cruzeirenses. Isso porque, Ramon Rocha, relator do processo, solicitou quatro partidas de portões fechados, além de multa de R$ 51.400,00 ao clube mineiro. O voto do mesmo foi acompanhado pela maioria da corte. Dois auditores pediram seis jogos de punição, mas acabaram vencidos.

Ramon Rocha ainda indicou que a pena já foi cumprida pelo Cruzeiro, uma vez que a Raposa atuou com os portões fechados em jogos no Mineirão e em outros estádios, quando visitante. Vale destacar que a procuradoria do STJD poderá recorrer da decisão ao Tribunal Pleno. A informação foi divulgada primeiramente pela “Rádio Itatiaia”, de Minas Gerais.

Pelo fato do Cruzeiro já ter cumprido os cinco jogos de punição, o clube poderá contar com a volta de seu torcedor na partida contra o Palmeiras, válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O embate está marcado para esta quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Mineirão.

Relembre o caso que culminou na punição ao Cruzeiro

No dia 11 de novembro, Coritiba x Cruzeiro se enfrentaram na Vila Capanema (Curitiba), em jogo válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Pressionado após duas derrotas consecutivas, o clube mineiro entrou em campo ciente de que uma derrota o complicaria na tabela de classificação. Nos minutos finais da partida, assim que o Coxa abriu o placar com gol de Robson, torcedores da Raposa invadiram o gramado com o intuito de agredirem os jogadores celestes.

Em questão de segundos após a invasão maciça de cruzeirenses, adeptos do Coritiba fizeram o mesmo e adentraram no gramado de jogo. A partir desse momento, uma verdadeira batalha campal tomou conta da Vila Capanema. Rivais, as torcidas organizadas dos dois times protagonizaram pancadaria generalizada, que só foi interrompida depois da chegada da polícia. Os agentes de segurança atiraram balas de borracha e bombas de efeito moral e, enfim, a situação foi contornada.

Jogos em que o Cruzeiro atuou sem torcida

  • Fortaleza x Cruzeiro – 18/11 (Cruzeiro sem torcida visitante no Castelão, em Fortaleza)
  • Cruzeiro x Vasco – 22/11 (portões fechados no Mineirão)
  • Goiás x Cruzeiro – 27/11 (Cruzeiro sem torcida visitante na Serrinha, em Goiânia)
  • Cruzeiro x Athletico-PR – 30/11 (Cruzeiro com torcida no Mineirão, mas Setor Amarelo fechado)
  • Botafogo x Cruzeiro – 03/12 (Cruzeiro sem torcida visitante no Nilton Santos, no Rio de Janeiro)

Cruzeiro mira vaga na Sul-Americana e conta com a força de sua torcida para isso

Depois de muito sofrimento ao longo da temporada, a torcida do Cruzeiro enfim pôde sorrir e respirar aliviada nessa reta final de Campeonato Brasileiro. Afinal, no último domingo (3), a Raposa ficou no 0 a 0 contra o Botafogo, no Nilton Santos, e garantiu matematicamente sua permanência na elite do futebol nacional.

Mais do que a manutenção na Série A, o Cruzeiro celebra o retorno de sua apaixonada torcida ao Mineirão em um momento importante na temporada. Na última rodada do Brasileirão, o time de Paulo Autuori briga por uma vaga na Copa Sul-Americana e conta com a força da arquibancada para alcançar tal feito.

O Cruzeiro depende apenas das próprias forças para chegar à competição continental. Um simples empate contra o Palmeiras, nesta quarta-feira, no Mineirão, garante o Cabuloso no torneio. Já em caso de derrota diante do Alviverde, a Raposa precisará que o Santos não vença o Fortaleza, na Vila Belmiro, no mesmo dia e horário. Em caso de triunfo na Baixada Santista, o Peixe empata com o time mineiro em pontos e o supera no número de vitórias (12 do Santos, contra 11 do Cruzeiro).

Em resumo, o Santos é o único clube que pode ameaçar o Cruzeiro por uma vaga na Sul-Americana. Vasco e Bahia, que assim como o Peixe ainda lutam contra o rebaixamento, não conseguem mais chegar a 46 pontos (pontuação atual do Cruzeiro) na última rodada.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo