Brasileirão Série A

Com pés no chão, Artur Jorge vê vitória do Botafogo em clássico como evolução do time

Técnico do Botafogo, Artur Jorge minimizou a importância da vitória no clássico com o Flamengo, neste domingo, no Maracanã, pelo Brasileiro

Apenas no seu sexto jogo no comando do Botafogo, Artur Jorge conseguir uma importante e impactante vitória no clássico com o Flamengo, por 2 a 0, neste domingo (28), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado ainda colocou o Glorioso na liderança da competição – ao menos, de forma provisória. Assim, depois de três vitórias contra times de menor expressão – Atético-GO, Juventude e Universitario-PER -, o Botafogo de Artur Jorge deu mais uma mostra de que vem evoluindo neste começo de passagem do português pelo clube.

No entanto, mesmo com a sequência positiva, a vitória no clássico e a liderança no Campeonato Brasileiro, Artur Jorge fez questão de minimizar o impacto do resultado deste domingo. Para o treinador, o Botafogo deve buscar um equilíbrio e seguir evoluindo na temporada.

– A vitória para mim é importante seja contra quem for. É um jogo a mais vencido. Para mim não tem mais do que isso. Entendo que para a torcida pode ser maior por conta da rivalidade, mas vencemos apenas mais um jogo. Temos muito a fazer em relação à evolução da equipe. Mas também daquilo que é o campeonato em que teremos outros jogos tão difíceis quanto esse – afirmou Artur Jorge, em coletiva, após a vitória do Botafogo no Maracanã.

Ao assumir a liderança no começo do Brasileiro, o Botafogo repete uma parte do roteiro da temporada de 2023, quando virou líder da competição na terceira rodada – agora, na quarta. Questionado sobre as expectativas da torcida e dos jogadores, e sobre o peso do fracasso na última edição do Brasileiro, Artur Jorge reforçou a importância do elenco ter um bom equilíbrio mental para lidar com as situações. Além disso, fez questão de ressaltar que o clube não pode se deixar abalar – positiva e negativamente – a cada resultado.

– É um dos aspectos que eu prezo muito. No Braga eu já falei sobre isso e é fundamental aqui também. É um dos aspectos que mais me preocupa em relação aos atletas. Porque nós criamos muita expectativa sobre os jogadores. Hoje temos um vírus, que são as redes sociais. Isso me preocupa também. Temos que trabalhar também a capacidade de comunicar com os atletas buscando essa mesma evolução. Ganhamos um jogo só. Somos candidatos a ganhar jogos. Não quero falar do que acontecerá lá na frente. Não podemos viver o passado – afirmou Artur Jorge.

– Temos tradicionalmente oito candidatos ao título. Só vai ganhar uma, sete vão ficar pelo caminho. Nesse momento, é importante ter os pés na terra. Não podemos alternar entre a euforia e a depressão porque não faz bem para a saúde mental. Temos que construir um processo que não seja afetado por um resultado. Queremos fazer um Botafogo cada vez mais forte. Isso será consequência do trabalho – completou o treinador português.

Artur Jorge reclama de horário da partida

Mesmo com a vitória sobre o Flamengo, Artur Jorge reclamou, com razão, do horário do clássico deste domingo. Os clubes se enfrentaram às 11h, sob o forte calor que fazia no Rio de Janeiro no momento. Para o português, que comando o clube no Maracanã pela primeira vez, os dois times foram afetados pelo clima no estádio.

– Minhas palavras vão primeiro para o esforço tremendo que as duas equipes foram obrigadas a fazer. Duas belíssimas equipes, com jogadores de alto nível e parece que poderíamos ter tido um espetáculo melhor se tivéssemos outro tipo de condições, outro horário para fazermos esse jogo, porque é muito exigente para os atletas. As duas equipes deram o que podiam sob condições muito difíceis – disse Artur Jorge, antes de completar em outra resposta citando a idade do jornalista que perguntou sobre o experiente Damián Suárez.

– Com 23 anos, se você correr aqui por 90 minutos ficaria tão cansado quanto Damián. Não é uma questão de idade, é uma questão daquilo que é jogarmos às 11h nessas condições. Por isso, digo que para o espetáculo seria melhor jogar em outro horário.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo