Brasil

‘Enlouquece olheiros europeus’: métodos da Base do Palmeiras são tema de jornal da Espanha

Para a imprensa espanhola, Endrick, Estêvão e Luis Guilherme, Thalys e Wesley são exemplos do grande trabalho do Alviverde no desenvolvimento dos atletas

Felizes com Endrick antes mesmo da chegada do jogador ao Real Madrid, os espanhóis estão encantados com as categorias de base do Palmeiras.

O As, por exemplo, chamou o clube de “berço de megastrelas”. O elogio foi feito em um especial publicado neste domingo pelo periódico, em seu site.

Muito bem ilustrado com elementos gráficos, e contando com uma entrevista do diretor das categorias de base alviverdes, João Paulo Sampaio, a publicação tenta explicar o quê faz do Palmeiras a base mais bem-sucedida do mundo na atualidade.

Se fosse em uma revista, a reportagem ocuparia pelo menos umas seis páginas.

Para ilustrar a qualidade da formação do Palmeiras, o As traz também pequenos perfis dos destaques formados no clube.

Além dos óbvios Endrick, Estêvão e Luis Guilherme, Thalys, que interessa ao Manchester United e jamais jogou com os profissionais, e Wesley, que, com 15 anos, jogou a Copinha de 2024, também estão listados.

— O Palmeiras é umas das minas mais prolíficas de talento jovem. E já o é há alguns anos. Daqui saiu Gabriel Jesus, por exemplo — diz um trecho da matéria.

Thalys, ao centro, comemora gol pelo sub-20 do Palmeiras (Fito: Fabio Menotti/ Palmeiras/ By Canon)

Terrão, Favela e Futsal

Outro ponto ressaltado pela reportagem enfatiza o fato de o Palmeiras procurar reforçar os talentos individuais dos jogadores.

As excursões periódicas de times do clube para jogar em favelas, bem como a construção de um campo de terra no CT da base, recentemente reinaugurado, para jogos sem rigor tático, também são citados. Diz a reportagem que esse é o tipo de iniciativa que diferença tanto a formação na Europa e a do Brasil.

— Pensando em meias e atacantes, avalio muito a capacidade de driblar. É uma marca do Palmeiras: jogadores com qualidade no um contra um. É algo que pedimos e forma parte do talento — diz João Paulo Sampaio, explicando o olhar que tem quando atua como recrutador.

O Futsal, de onde muitos jogadores saem para abastecer o futebol de campo, também é apontado como um diferencial:

— No Futsal, os controles são diferentes, os passes são diferentes, as velocidades são diferentes. (Por isso) cria jogadores diferentes.

Em uma das respostas que dá ao jornalista autor da matéria, Sampaio fala também sobre a dinâmica do funcionamento da base.

— Temos direitos de 108 jogadores espalhados pelo mundo. E temos que tirá-los do clube, para que deem espaço aos que vêm chegando. Assim, os negociamos com outras equipes mantendo uma parte de seus direitos. Desde 2015, vendemos aproximadamente 400 milhões de euros — afirma Sampaio.

— Hoje, todos falam de Endrick e Estêvão. Mas, para nós, isso já é passado. Já estamos pensando na próxima geração — disse o diretor.

Endrick e Estêvão lideram novo Palmeiras (Foto: Icon Sport)

Talento acima de tudo

Embora elogie o próprio trabalho sem uma falsa modéstia que os números certamente derrubariam, João deixa claro que é o talento, o que realmente faz diferença.

— Eu treinei o Hulk no Vitória e ele já era o Hulk. Não há um trabalho para ter essa velocidade e potência. É o mesmo com Luis Guilherme e Endrick, que com 16 anos chegavam a 36 e 37 Km/h. É a genética. É claro que trabalhamos com eles para ver a qual posição melhor se adaptam. Mas primeiro, vem o talento e a qualidade física. Depois, o tático, se aprende — afirmou.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo