Brasil

Da várzea para o Atlético-MG em três meses: Por que Robert ainda não estreou?

Contratado em março pelo Atlético, depois de um 2023 todo atuando na várzea, Robert tem preparação especial para conseguir jogar na elite

Anunciado em 27 de março pelo Atlético-MG, o jovem Robert Santos ainda não entrou em campo pelo clube. Em todo o período, ele só foi relacionado uma vez. O técnico Gabriel Milito explicou a situação do jogador, e a Trivela foi atrás para entender melhor como um ano atuando na várzea interfere (e muito) no processo.

Robert passou por diferentes categorias de base no Brasil e até no exterior, mas, em 2023, sem time, atuou na várzea de Salvador, sua cidade natal. Quando a carreira como profissional parecia distante, de repente ela decolou. Foi contratado pelo Athletic para a disputa do Mineiro de 2024 e, dois meses depois, pelo Atlético, time de Série A e Libertadores. E isso faz muita diferença.

A ascensão metórica de Robert cobrou dele um preço: a diferença física entre atuar na várzea, em um time de Série C e na elite nacional. Por isso, no Atlético, ele ainda não ganhou uma chance de atuar, pois precisa, entre outras coisas, entrar no ritmo do time.

Robert treina com os companheiros para entrar não só no ritmo deles, mas também entender taticamente (Pedro Souza/Atlético)

Da base ao profissional já há diferença, imagina da várzea

A Trivela entrou em contato com um preparador físico que trabalha com um jogador que teve uma situação semelhante a de Robert: a necessidade de evoluir fisicamente para aguentar o futebol de elite.

O jogador em questão, subiu ao profissional em 2023, e o clube dele identificou que os índices de massa magra do atleta estavam baixos, por isso, apesar de ser um jogador de qualidade, ele tinha poucas chances, pois não aguentava o ritmo da Série A.

— A gente faz um trabalho de força para gerar hipertrofia, para ele poder crescer um pouco mais na parte muscular e ter mais força. Depois que a gente atingir bons níveis de força, vou fazer outros trabalhos com ele, de explosão, de potência… só que preciso dele forte, para ele evoluir para esses outros trabalhos — afirmou o preparador.

Não quer dizer que quero transformá-lo no Hulk. (O trabalho) É para ele aguentar um pouco mais de tranco, ter um pouco mais de força física — destacou.

Em 2024, o jogador, que só entrava nos minutos finais das partidas em 2023, já foi titular em três jogos, mostrando como o trabalho físico é crucial para os atletas aguentarem atuar por mais minutos.

O caso Robert no Atlético

A diferença entre Robert e o jogador em questão é que o meia do Galo ficou um ano sem receber os devidos cuidados físicos, o que atrasa ainda mais o processo para colocá-lo no ritmo dos demais atletas do elenco.

Treinamentos de força, desenvolvimento de musculatura, hipertrofia, equilíbrio muscular e cardiovascular, são a base para um atleta conseguir atuar em alto nível, afirmou o preparador. Por mais habilidoso que seja, e Robert já mostrou que isso ele é, sem o físico, o jogador não suporta o que é necessário para jogar.

Preparação mental também é essencial

Ainda segundo o preparador, algo que interfere no físico é o mental do jogador. Se ele não tiver preparado mentalmente, pode se desgastar mais e estar propenso a mais lesões. Um jogador como Robert, que saiu da várzea e jogou recentemente em um clube de baixa pressão, pode sentir a diferença para um clube como o Galo.

— Essa questão da parte psicológica também precisa de estar bem alinhada, porque às vezes até mesmo psicologicamente mal, isso acarreta num desnível físico e até mesmo lesões musculares — disse o preparador.

Milito explica falta de chances para Robert

Tendo chegado em março e ainda não ter entrado em campo, Robert chama atenção e gera curiosidade de todos. O jogador foi relacionado para um jogo pela primeira vez na última semana. Não saiu do banco e já ficou de fora do jogo seguinte. O técnico Gabriel Milito explicou o motivo.

— Nós aproveitamos para ele seguir trabalhando a parte física. Está fazendo isso para entrar em condições dos demais companheiros. Hoje consideramos que ele não poderia jogar. Ele precisa se preparar para jogar na primeira divisão e nesse time. É parte do processo. Penso que no futuro ele estará mais forte no aspecto físico e tático, para poder nos ajudar. Agora, ele precisa de muito trabalho — destacou o treinador argentino.

Eu gostaria que ele tivesse já no final desse processo e jogasse, marcasse dois gols e desse três assistências, mas isso não considero que vai acontecer, temos que prepará-lo — Milito sobre Robert

A Trivela apurou que Robert tem feito trabalhos físicos diferentes, mas que tem atuado nos treinamentos com bola juntamente com os demais companheiros, até para entrar no ritmo deles e entender as táticas de Milito. A única vez que o torcedor atleticano viu o meia em campo foi no treino aberto em prol do Rio Grande do Sul na Arena MRV.

A trajetória de Robert no futebol

Robert iniciou sua trajetória no futebol no Jacuipense, ainda no Sub-15. Passou por Vitória, Palmeiras, Bahia e Portimonense (POR). Antes do Athletic, a última vez que ele havia entrado e campo profissionalmente foi em outubro de 2022, pelo time português.

Em 2023, Robert deixou o Portimonense e voltou ao Brasil, mas não encontrou clube e passou a jogar na várzea. Quando o interesse do Atlético por ele surgiu, viralizou uma postagem de setembro de 2023, quando ele foi eleito o destaque de uma partida pelo Unidos FC, time de Fut7 de Salvador.

O meia ganhou nova chance em um clube em janeiro, no Athletic, e se destacou no Campeonato Mineiro, sendo contratado pelo Atlético dois meses depois, por empréstimo com opção de compra.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo