Brasil

As marcas impressionantes de Cano e Arias já são parte da história do Fluminense

Campeões da Libertadores, dupla faz história pelo Fluminense em mais um ano com gols e assistências

O Fluminense teve uma de suas melhores atuações em 2023 e venceu o Santos por 3 a 0 na Vila Belmiro pelo Campeonato Brasileiro. Os destaques individuais foram muitos, mas mais uma vez, é impossível não destacar Jhon Arias e Germán Cano. As marcas impressionantes da dupla já são parte da história do clube — independente mesmo da conquista inédita da Libertadores.

Os dois balançaram as redes contra o Peixe e voltaram a fazer a festa pelo Fluminense. “Fominhas”, eles nem precisavam entrar em campo, mas não só jogaram como brilharam. A atuação foi de encher os olhos, com auxílio luxuoso do restante da equipe, que também fez grande partida.

Nos números, Martinelli foi outro destaque. Além de abrir o placar com um belo gol, o camisa 8 achou Cano sozinho na área para que o argentino fizesse o que sabe de melhor: marcar com apenas um toque na bola.

— Temos um compromisso muito grande com o futebol e a ética do jogo. Depois da Libertadores nos comprometemos a jogar da melhor forma possível. Nesse momento a gente falou que queria entregar tudo e se preparar para a estreia do Mundial — disse Diniz.

Cano entra para a história com 84 gols pelo Fluminense

Falar de Cano é falar de gol. Desde que pisou no Fluminense em janeiro de 2022, o argentino subiu degrau por degrau na galeria de ídolos do clube. Após marcar 13 gols na campanha que deu o título da Libertadores ao Tricolor, ele não parou por ali.

Cano marcou seu 40º gol em 2024 e chegou a 84 pelo Fluminense em suas duas primeiras temporadas, um recorde na história do clube - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Cano marcou seu 40º gol em 2024 e chegou a 84 pelo Fluminense em suas duas primeiras temporadas, um recorde na história do clube – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

A Vila Belmiro foi palco de mais uma marca absurda do centroavante de 35 anos. Ele marcou seu 84º gol com a camisa tricolor, e alcançou Flávio Minuano, o jogador que mais fez gols em suas duas primeiras temporadas pelo Fluminense. Germán Cano caminha a passos largos para ser o Rei da América em 2023.

E foi ao seu estilo, de primeira, com um toque mortal. O argentino completou uma linda jogada da equipe de Fernando Diniz, dentro da área, venceu João Paulo e se aproxima de algo sem precedentes na história de glórias eternas do Flu. Ele nem precisava entrar em campo, mas fez questão de jogar, e, claro, deixar o seu.

— A gente precisa estar preparado para jogar o Mundial de Clubes. Eu gosto de jogar, de fazer gol e ajudar meus companheiros, então sempre quero jogar. A decisão é do Fernando (Diniz) e vou respeitar. Mas sempre quero jogar para ajudar o time — opinou o atacante na saída de campo.

Cano terá pelo menos mais três jogos para balançar as redes e se isolar como o maior artilheiro do Fluminense nos primeiros dois anos pelo clube. Caso o Flu chegue à final do Mundial de Clubes, serão quatro. Com 40 gols, ele quer alcançar os 44 de 2022.

Arias volta a fazer duplo-duplo de gols e assistências pelo Fluminense

Se chegou tímido em 2021, Jhon Arias fez duas excelentes temporadas pelo Fluminense quando se adaptou ao futebol brasileiro. Ele já vinha de um 2022 brilhante até que, em 2023, realizou mais sonhos para a coleção: virou titular da seleção da Colômbia e conquistou a Libertadores.

São menos gols nesta temporada do que no último ano, mas o rendimento talvez seja ainda melhor. Depois de trocar de lado no ataque do Flu, ele caiu como uma luva na ponta-direita, sempre com espaço para flutuar. O gol na Vila Belmiro, seu 10º em 2023, saiu pisando pela área pelo meio, cabeceando com força um bom cruzamento de Diogo Barbosa.

Jhon Arias teve grande atuação e fez o segundo gol do Fluminense na vitória sobre o Santos - Foto: Icon sport
Jhon Arias teve grande atuação e fez o segundo gol do Fluminense na vitória sobre o Santos – Foto: Icon sport

Veloz, habilidoso e muito inteligente, o colombiano tem um nível impressionante de atuações. Parece nunca jogar mal. De 2022 para cá são 60 participações para gol, com 26 bolas na rede e 34 assistências. Pela seleção, mais dois passes para balançar as redes.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo