Brasil

Diego Aguirre não é mais técnico do Santos

Após mais uma derrota, diretoria do Santos optou por colocar um ponto final na passagem do treinador uruguaio

Diego Aguirre não é mais técnico do Santos. Após a vexatória derrota por 3 a 0 para o Cruzeiro, na Vila Belmiro, nesta quinta-feira (14), a diretoria alvinegra optou por colocar fim na passagem do treinador uruguaio. Contratado no início de agosto, Aguirre foi o terceiro comandante do Peixe neste Campeonato Brasileiro. Antes, Odair Hellmann e Paulo Turra estiveram à frente do time santista.

O técnico e toda a sua comissão foram comunicados do desligamento depois do treino desta manhã no CT Rei Pelé. Junto com o treinador deixaram o Santos o auxiliar técnico Juan Verzezi, os preparadores físicos Fernando Piñatares e Ignácio Piñatares, além do scout Juan Iraola.

A passagem de Aguirre pela Vila Belmiro durou apenas 38 dias. Foram cinco jogos com quatro derrotas (Fortaleza, Atlético-MG, América-MG e Cruzeiro) e uma vitória (Grêmio). Nesse período o Santos atingiu a impressionante marca negativa de 12 gols sofridos e somente dois marcados.

O aproveitamento do uruguaio no Peixe foi de apenas 20%.

O trabalho de Aguirre no Santos foi tão curto que ele ficou menos tempo no cargo do que o seu antecessor. Paulo Turra trabalhou no Peixe por 39 dias e disputou sete jogos sentado no banco de reservas da equipe.

10º treinador do Santos em três anos

Com a decisão de demitir Diego Aguirre, o presidente do Santos, Andres Rueda, vai em busca do 11º treinador da sua gestão, que começou em janeiro de 2021. Isso mostra que o Peixe tem, em média, uma mudança de técnico a cada três meses.

Sem considerar Cuca, que optou por deixar o Santos no final da temporada 2020, mas que encerrou no começou em 2021 devido à pandemia do novo coronavírus, Rueda teve os seguintes treinadores:

  • Ariel Holan
  • Marcelo Fernandes (interino)
  • Fernando Diniz
  • Fabio Carille
  • Fabián Bustos
  • Lisca
  • Orlando Ribeiro (interino)
  • Odair Hellmann
  • Paulo Turra
  • Diego Aguirre

Marcelo Fernandes será o interino

Recontratado no início do mês passado para exercer a função de auxiliar técnico da comissão permanente do Santos, Marcelo Fernandes será o responsável por comandar a equipe nos próximos dias e no importante confronto de segunda-feira (18), contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

As duas equipes são adversárias diretas na luta contra a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. E o Bahia, neste momento, vai levando vantagem sobre o Santos. O Santos não pensa em ir com o Marcelo Fernandes até o fim do Brasileiro. Um novo treinador será contratado.

Agora sob o comando do técnico Rogério Ceni, o Tricolor baiano venceu o Coritiba, no Couto Pereira, nesta quinta-feira, e, na 17ª colocação, chegou aos 24 pontos. Com isso, abriu três de vantagem para o Peixe, que tem 21 na 18ª posição.

Ainda tem punição do STJD

Além de todos os problemas que envolvem o time, o Santos ainda precisa lidar com uma punição recebida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta quinta-feira.

Por conta de objetos arremessados no gramado durante a vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio, na Vila Belmiro, em partida válida pela 20ª rodada, o clube recebeu a pena de atuar em dois jogos (Vasco e Red Bull Bragantino) com portões fechados à torcida. A diretoria alvinegra, por meio do seu departamento jurídico, já iniciou os trâmites para recorrer de tal decisão. O Peixe espera transformar essa punição em multa financeira.

O órgão irá analisar o pedido santista e se posicionar em até 20 dias. O problema é que o clube é reincidente. Em julho, o Santos foi punido com oito jogos sem torcida por conta das bombas arremessadas no gramado da Vila Belmiro durante a derrota por 2 a 0 para o Corinthians, na 11ª rodada.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo