Brasil

Adeus de Cássio a funcionários do Corinthians teve fila para fotos e até choro no CT

Apesar de carregar a alcunha de ídolo, Cássio tinha convivência intensa com colaboradores do clube; goleiro recebeu torcedores no portão do CT

O lado humano de Cássio foi muito exaltado neste sábado (18), dia em que o goleiro se despediu do Corinthians após 12 anos e cinco meses de vínculo. Além das homenagens, o goleiro teve um último contato com funcionários do clube. Segundo apurou a Trivela, a comoção do CT Joaquim Grava foi grande, com muito choro entre os colaboradores e fila de crianças para tirar fotos com o ídolo.

A diretoria alvinegra liberou a entrada para os filhos dos funcionários nas dependências do Corinthians, pensando em realizar uma integração com o ídolo no dia do adeus. Durante toda a manhã, Cássio autografou camisas, gravou vídeos e abraçou as pessoas com quem conviveu por mais de uma década.

A relação entre o arqueiro e as pessoas que trabalham no clube sempre foi muito boa. Inclusive, a reportagem ouviu fontes próximas ao goleiro, que contaram que ele ajudava financeiramente os funcionários. No fim de ano, era tradição para Cássio presentear os responsáveis pela cozinha e pela limpeza do centro de treinamento com panetones e cartões de compra para ceia de Natal.


Horas depois, durante a coletiva de imprensa de despedida, Cássio falou sobre a saudade que sentirá da convivência com os companheiros de time e das amizades que fez no clube.

— O convívio é o principal, os funcionários do clube… Será difícil, porque criamos algo legal. A maioria dos funcionários está aqui desde que eu cheguei, então vai ser difícil, já choramos muito. Os funcionários sorrindo, animados, isso te motiva, e saber que alegro eles também. Sentirei falta disso, lógico que vou conhecer novas pessoas, farei novas amizades, mas sentirei falta disso. Sempre tive uma amizade muito boa e uma proximidade com todos os funcionários, eles não aparecem, mas são fundamentais para a gente jogar — afirmou o jogador.

Cássio atende a torcedores na porta do CT

Após a coletiva, Cássio ainda fez um atendimento exclusivo com torcedores no portão do CT. Vinícius Cascone, secretário-geral do Corinthians, publicou um vídeo por meio do Instagram, onde o goleiro aparece distribuindo autógrafos e posando para fotos com fãs alvinegros.

— Eu acho que se eu tivesse noção ou tivesse me apegado a isso, não teria construído tudo isso, pois sempre me dediquei ao momento. Então quem sabe quando eu parar eu penso nisso, quando se apega a conquistas, você acaba perdendo um foco. Claro que sei de todo o carinho que tenho e recebo, sei dos títulos, mas mantenho os pés no chão e creio que tem muita coisa boa ainda para acontecer na minha vida. Estou muito feliz e quando parar terei noção de tudo que aconteceu — havia dito o jogador.

Representatividade

O papel de Cássio na representatividade autista também foi um dos temas que marcou o último dia do ídolo corintiano. Pai de uma menina autista, Maria Luiza, de seis anos, o goleiro fala muito sobre a inclusão de torcedores do espectro e apadrinhou o movimento Autistas Alvinegros, do qual recebeu homenagens após o anúncio de sua saída.

— Eu acho importante falar sobre, eu conheci os autistas alvinegros e foi muito bacana. A instituição Corinthians também tem se atentado a isso. Eu leiloei duas camisas e uma luva para ajudar a causa. Quanto mais se fala, mais se tem conhecimento, é um aprendizado constante e é uma causa que pretendo seguir ajudando e dando mais voz a isso, que ajuda a todos ter mais empatia com todos que tem autismo. Muita gente têm falado sobre, têm se posicionado, o que eu puder fazer para abraçar a causa será feito. Quero parabenizar os pais e mães de filhos autistas também pela dedicação.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo