Ásia/OceaniaEliminatórias da Copa

Proibição da Fifa para Palestina jogar em casa com Arábia Saudita causa controvérsia

A Palestina existe, é reconhecida pela Fifa e disputa as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Mesmo assim, não poderá jogar em casa. A Fifa impedirá a Palestina de jogar em casa contra a Arábia Saudita, no próximo dia 13 de outubro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Os palestinos reclamaram muito da decisão, considerando “injusta e repreensível”, segundo comunicado divulgado pela Federação de Futebol Palestino nesta terça-feira.

LEIA MAIS: Palestina finalmente joga em casa: mais uma vitória sobre Israel nos bastidores

Jibril Rajoub, presidente da Federação Palestina, acusou a Fifa de ceder à pressão dos sauditas ao aceitar mudar o local do jogo de Cisjordânia para a vizinha Jordânia. O dirigente escreveu uma carta à Fifa reclamando do tratamento recebido pela entidade. Rajoub se disse “chocado” pela decisão depois de ter disputado a sua primeira partida oficial em casa, contra os Emirados Árabes Unidos, no dia 8 de setembro.

A decisão, segundo a Fifa, é “final e obrigatória”, o que deixa aos palestinos apenas a decisão de jogar ou não a partida. A Federação Saudita de Futebol aceitou a medida e só declarou que “entende os motivos”. Mas nem disse que motivos são esses. “Recorrer à Fifa desta forma reflete a insistência em não vir para a Palestina sob nenhuma circunstância”, afirmou Rajoub. “A Federação Palestina de Futebol irá usar todas as ferramentas legais e internacionais para revogar essa injustiça”, confirmou ainda o dirigente. “A Palestina existe e os palestinos têm o direito de viver no seu próprio estado independente”, continuou o dirigente.

A Palestina acusa a Arábia Saudita de temer a proximidade com Israel no jogo, por ter que passar por sua segurança. Os palestinos ofereceram a opção de evitar passar por Israel, oferecendo voos de helicópteros para os jogadores saindo da Jordânia para chegar à Cisjordânia. A Arábia Saudita, porém, recusou “por razões políticas”.A acusação que os palestinos fazem é que os sauditas estão transformando o futebol em uma questão política.

Se a Fifa aceita a Palestina como um país e uma seleção válida, então precisa dar as garantias que o país possa mandar seus jogos. As “circunstâncias excepcionais”, citadas pela Arábia Saudita, parecem mais uma desculpa do país para não ir até a Palestina. Ou a Palestina pode jogar todos seus jogos em casa, ou não pode. Não dá para ser só contra alguns.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo