Ásia/OceaniaEliminatórias da Copa

O apelo pela saída de Wenger cruzou o oceano e foi parar no jogo entre Nova Zelândia e Fiji

A corrida por uma vaga na Copa do Mundo da Rússia está em sua reta final. Nesta terça-feira, a Nova Zelândia encarou Fiji em Wellington, onde garantiu a classificação para os playoffs de acesso à mais importante competição entre seleções do mundo. Em campo, Ryan Thomas foi o protagonista do dia, anotando os dois gols da vitória neozelandesa. Já fora dele, nas arquibancadas, quem roubou a cena foram alguns torcedores que seguravam uma bandeira escrita com “Wenger out!” (Fora, Wenger!), mostrando que os apelos pela saída do técnico do Arsenal são tantos que até cruzaram o oceano.

VEJA TAMBÉM: Wenger: “França tem jogadores de alto nível como Brasil tinha há 20 anos”. Será mesmo?

O Westpac Stadium estava praticamente vazio, então não foi difícil para as câmeras mirarem os torcedores descontentes e promovendo um protesto anti-Wenger. Os Gunners estavam no setor atrás do gol, e deixaram a bandeira lá, pendurada no vão e visível para todos, enquanto se moviam para outros lugares do estádio. Bandeira esta que representou uma enorme parcela da torcida do Arsenal, a qual considera a situação do treinador francês insustentável dentro do clube e suplica para que deixe o cargo por livre e espontânea vontade após mais de duas décadas nele, ou que a diretoria tome providências quanto a isso.

A Nova Zelândia ganhou três jogos e empatou um em seu grupo, compartilhado com Fiji, Nova Caledônia e Vanuatu (já “eliminado”). Já no outro grupo, Taiti, Ilhas Salomão e Papua Nova Guiné ainda duelam pela vaga nos playoffs da Copa do Mundo. Quem levar a melhor destas três seleções, vai encarar os neozelandeses na final, que procuram regressar à Copa após a passagem pela África do Sul em 2010, onde terminaram a fase de grupos com três empates em três partidas. Eles também enfrentam Portugal, Rússia e México na Copa das Confederações deste ano.

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo