Sul-Americana

Santos reage com um a menos e força os pênaltis, mas é eliminado da Copa Sul-Americana

O Deportivo Táchira contou com duas defesas do goleiro Cristopher Varela na decisão por pênaltis para avançar às quartas de final da Copa Sul-Americana

O Santos teve um fim de primeiro tempo desastroso, mas reagiu mesmo com um jogador a menos e conseguiu levar a decisão das oitavas de final da Copa Sul-Americana aos pênaltis. Mas quem brilhou foi o goleiro Cristopher Varela, com duas defesas que ajudaram a colocar o Deportivo Táchira na próxima fase, após o empate por 1 a 1 na Vila Belmiro – com 4 a 2 na disputa de penalidades.

Em um balanço geral, dadas as circunstâncias, foi uma boa apresentação do Santos. Os resultados, porém, continuam desesperadores. Desde 18 de maio, o time de Fabián Bustos conseguiu apenas uma vitória, contra o Juventude pelo Brasileiro, com três derrotas e nove empates. Desce na tabela do Brasileirão e semana que vem deve passar por outra eliminação, a menos que reverta o 4 a 0 que sofreu para o Corinthians na Copa do Brasil.

Kaiky, Eduardo Bauermann, Rodrigo Fernández, Lucas Braga e Marcos Leonardo foram as mudanças de Bustos em relação ao time que empatou por 1 a 1 na Venezuela. O Santos começou o jogo melhor. Teve uma chance com Marcos Leonardo caindo pela direita e exigiu ótima defesa de Varela em cabeçada de Bauermann na primeira trave, em cobrança de escanteio.

Mas tudo começou a degringolar a partir dos 26 minutos. Uribe foi lançado em contra-ataque, passou por João Paulo e marcou o gol praticamente sem querer – a bola mais pega nele do que ele pega na bola. A arbitragem conduziu uma longe checagem de vários lances (falta, toque de mão, impedimento) e depois da longa deliberação não encontrou nada errado.

O Táchira teve outra grande oportunidade, aos 38 minutos. João Paulo defendeu a batida de frente de Cova e, no rebote, Hernández não tinha goleiro à sua frente, mas tinha Uribe. Acabou acertando o companheiro e perdeu uma grande chance. Zanocelo apareceu livre na segunda trave para cabecear o cruzamento de Lucas Pires, mas mandou para fora.

A situação ficou realmente complicada ao Santos nos acréscimos do primeiro tempo. Hernández disparou em contra-ataque, mano a mano com Rodrigo Fernández, que fez a falta, quase em cima da área. Chance clara e manifesta de gol, logo, cartão vermelho para o santista. Os donos da casa teriam que jogar toda a segunda etapa com um jogador a menos.

E foram muito bem nessa situação. Lucas Pires, um dos melhores em campo, acertou a trave com uma cobrança de falta fechada que passou por todo mundo. Depois, ele inverteu o jogo para Lucas Barbosa, que dominou quase em cima da linha e inverteu novamente para Carlos Sánchez, que havia acabado de entrar. Com inteligência, o colombiano ajeitou de cabeça para Marcos Leonardo empatar de peixinho.

Arace quase definiu a parada para o Táchira com a bola rolando, mas cabeceou por cima do travessão. Lucas Barbosa teve grande chance, assim como Marcos Leonardo, que recebeu de Rwan Seco e bateu cruzado, muito perto da trave, já aos 44 minutos do segundo tempo. Os pênaltis decidiram tudo.

E aí, o Táchira simplesmente foi mais competente. Ricardo Goulart abriu os trabalhos com uma batida ruim, à meia altura, defendida por Varela. Farías, Sandry, Sinisterra, Carlos Sánchez (com cavadinha) e Arace converteram suas batidas. Lucas Barbosa, não. Chutou aberto de perna esquerda e parou nas mãos de Varela. Marlon Fernández bateu muito bem para colocar os venezuelanos na próxima fase.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo