Sul-Americana

O primeiro tempo bastou para o Bahia golear o Melgar e avançar com autoridade na Sul-Americana

Derrotado na visita a Arequipa por 1 a 0, o Bahia necessitava da vitória no reencontro com o Melgar, pela Copa Sul-Americana. E a classificação dos tricolores às oitavas de final seria categórica, com um show na volta do time à Fonte Nova. A equipe de Mano Menezes goleou os peruanos, em placar construído ainda no primeiro tempo. Com menos de 40 minutos, os baianos já tinham desenhado o atropelamento por 4 a 0. Daniel brilhou, servindo três assistências. Seria também uma noite de homenagens no clube, diante do falecimento do humorista Jotinha, torcedor-símbolo do Bahia.

O início da partida seria decisivo ao Bahia pela postura da equipe. Os tricolores apertavam e logo passaram a rondar a meta do Melgar. Depois de algumas boas chegadas, o primeiro tento viria aos 12 minutos. Juninho Capixaba cobrou escanteio e, sem que ninguém afastasse, Fessin aproveitou de canhota no meio da área. O gol não diminuiu o ritmo dos baianos, que seguiram atacando e dando trabalho ao goleiro Carlos Cáceda. Aos 20, Gregore ampliaria. Depois de mais um escanteio, batido por Daniel, o meio-campista apareceu na área para completar de cabeça.

Neste momento, a classificação estava nas mãos do Bahia. E não tinha motivos para os tricolores se acomodarem, numa partida que não apresentava desafios. O Melgar até buscaria uma saída ou outra, mas a noite era dos anfitriões, mais diretos em suas ações. Aos 34, viria o terceiro. Daniel acionou Fessin e, depois de limpar a marcação dupla com dois cortes, o atacante encheu o pé para estufar as redes. Dois minutos depois, por fim, Gilberto logo deu números finais ao placar. Daniel conectou com o centroavante, arrematando na saída do goleiro.

Gilberto quase faria o quinto na sequência, mas o Melgar também deu seu susto antes do intervalo, quando Joel Amoroso carimbou o travessão. No segundo tempo, o Bahia passou a administrar mais o resultado. Ainda assim, poderia ter aplicado uma goleada maior. Saldanha chegou a perder um lance clamoroso, quase em cima da linha. Elias e Rodriguinho também tentariam, enquanto Alesson parou em Cáceda já nos acréscimos. Do outro lado, os peruanos mal sujaram o uniforme de Douglas.

O nível do desafio certamente aumentará nas oitavas. O Bahia encara o Unión Santa Fe, que eliminou o Emelec ao buscar a vitória no Equador por 2 a 1, após perder a ida na Argentina por 1 a 0. Ao lado do Vasco, o Tricolor é um dos únicos brasileiros vivos na competição. E, pelo que mostraram nesta quinta, os baianos têm condições de ambicionar uma campanha histórica no torneio continental. A goleada na Fonte Nova indicou esta fome.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo