Sul-Americana

O Peñarol amplia o bom momento na Sul-Americana e disputará sua primeira semifinal continental em 10 anos

Peñarol venceu os dois jogos contra o Sporting Cristal e interrompe o jejum que durava desde a Libertadores de 2011

A Copa Sul-Americana pode contar com até três clubes brasileiros nas semifinais. No entanto, pelo menos um intruso está confirmado, e merece respeito por sua história: o Peñarol avançou nesta quarta-feira, ao eliminar o Sporting Cristal. Os aurinegros já vinham numa campanha histórica, em que derrotaram o rival Nacional nas oitavas. Já nas quartas, os carboneros emendaram duas vitórias sobre os peruanos: 3 a 1 em Lima e 1 a 0 em Montevidéu. Será apenas a segunda vez neste século que o Peñarol se coloca nas semifinais de um torneio continental, a primeira vez em dez anos. Agora, a equipe aguarda o vencedor de Athletico Paranaense x LDU Quito para saber seu oponente na próxima etapa.

O Peñarol não passou muito perto de conquistar o Torneio Apertura neste semestre, mas compensa pela boa forma que apresenta na Copa Sul-Americana. Os aurinegros eliminaram o Cerro Largo na fase preliminar, antes de liderarem o grupo no qual tinham o Corinthians como principal concorrente. Carimbada a passagem aos mata-matas, os carboneros fizeram um duelo titânico contra o Nacional nas oitavas. Passaram pelos gols fora, num clássico repleto de tensão e expulsões. Com a certeza de que a campanha já estaria gravada no clube, o time subiu sua confiança para encarar o Sporting Cristal nas quartas.

A partida de ida representou um enorme passo ao Peñarol. Dentro do Estádio Nacional de Lima, os carboneros venceram por 3 a 1. Agustín Álvarez e Facundo Torres abriram vantagem nos primeiros 20 minutos. Os celestes descontaram já aos 45 do segundo tempo, mas o interminável Walter Gargano retomou a diferença. Podendo perder por até um gol em casa, o Peñarol ainda recebeu uma injeção de ânimo extra no Estádio Campeón del Siglo, com a presença parcial do público. Em campo, a equipe correspondeu com novo triunfo, agora por 1 a 0. Jesús Trindade definiu o resultado aos aurinegros, num chute de fora da área que desviou no meio do caminho.

O Peñarol conta com nomes mais rodados em seu elenco, como Kevin Dawson, Maxi Pereira e Walter Gargano. Ainda assim, os que mais empolgam são os jovens. Agustín “Canário” Álvarez foi um pesadelo para o Corinthians e lidera a artilharia do torneio com nove gols. Facundo Torres é outro atacante de enorme talento, com capacidade para voos altos. Mais garotos como Agustín Canobbio e Valentin Rodríguez dão sua contribuição à base principal. Talvez o time de Mauricio Larriera não seja forte o suficiente para o título, mas parece referendar uma geração que anima a torcida aurinegra.

Nas semifinais, o Peñarol não será favorito contra Athletico Paranaense ou LDU Quito. Porém, tem motivos para se empolgar com esta campanha e acreditar numa possível classificação à final. Há resultados contundentes, jogadores talentosos e uma camisa pesada carente de novas histórias. E a oportunidade de proporcionar momentos inesquecíveis nesta reabertura do Campeón del Siglo oferece uma motivação a mais. O futebol uruguaio não vive seu melhor momento nem em relação aos últimos anos e seus gigantes pararam no tempo, até pelas disparidades no continente. Ainda assim, a Sul-Americana traz um sopro de esperança e um sinal de grandeza reiterado pelos aurinegros mais de uma vez. A semifinal já representa uma quebra ao clube, por ser tão rara nas duas últimas décadas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo