Sul-Americana

Inter saiu de um buraco e goleou o Colo-Colo para se classificar em noite mágica no Beira-Rio

O Colorado chegou a estar perdendo por 3 a 0 no placar agregado, antes de conseguir uma grande reviravolta

O Internacional havia perdido por 2 a 0 para o Colo-Colo no Chile. No começo do jogo em Porto Alegre, levou um gol de pênalti. A desvantagem subiu para três gols. Uma montanha enorme para os comandados de Mano Menezes escalarem. E eles o fizeram com um grande jogo no Beira-Rio, goleando por 4 a 1 para chegar às quartas de final da Copa Sul-Americana.

Mano não repetiu um titular que empatou com o Ceará no fim de semana por 1 a 1. Poupou os seus principais jogadores para tentar a reviravolta contra o Colo-Colo, e o plano parecia ter saído pela culatra, aos 12 minutos. Moisés cortou para trás, Juan Martín Lucero acreditou até o fim e foi derrubado por Daniel, que havia saído do gol. O árbitro Darío Herrera marco pênalti, e Gabriel Costa converteu.

Seria natural sentir a frustração, mas não foi isso que aconteceu com o Colorado. Quase empatou após um desvio de letra de Alan Patrick que deixou Carlos De Pena na cara do goleiro. Brayan Cortés saiu com coragem para abafar. Aos 25 minutos, Pedro Henrique recebeu na entrada da área e dividiu com a defesa chilena. Patrick ficou com a sobra, avançou pela direita e bateu cruzado para empatar.

 

(Fotos: Giancarlo Santorum/Trivela)

A virada veio em poucos minutos. Alemão fez a parede para Patrick, que abriu na esquerda. Moisés cruzou rasteiro, a defesa desviou e Edenilson apareceu no outro lado da área para marcar com a perna esquerda. O Colo-Colo assustou pouco. Aos 12 minutos do segundo tempo, Costa cabeceou para grande defesa de Daniel, mas estava em posição de impedimento. Taison exigiu boa intervenção de Cortés com uma bomba de fora da área, pouco depois.

Na cobrança desse escanteio, Edenilson bateu baixo na primeira trave, e Alemão apenas colocou o corpo na bola para fazer 3 a 1. A classificação foi selada com chave de ouro. Aos 28 minutos, Pedro Henrique recebeu em velocidade pela lateral direita. Centralizou, entrou na área, e bateu cruzado para selar uma noite mágica no Beira-Rio.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo