Sul-Americana

O Ceará continua registrando façanhas na Sul-Americana: nos acréscimos, arrancou a virada sobre o Strongest em La Paz

O Ceará resistiu às dificuldades contra o Strongest e construiu a vitória depois dos 30 minutos do segundo tempo

O Ceará faz uma campanha excelente na Copa Sul-Americana. O desempenho impecável na fase de grupos indicava que o Vozão poderia sonhar com grandes feitos no torneio continental. E o início das oitavas de final dá motivos para os alvinegros desejarem mais. A visita ao Strongest no Estádio Hernando Siles era sabidamente difícil. Além da altitude de La Paz, o gol sofrido logo de início era um problema a mais para os cearenses. O Tigre seguiu dominando as ações na maior parte do tempo e os visitantes tinham breves respiros. Até que, no final, o cenário mudasse. O Ceará reagiu com o empate aos 31 do segundo tempo e conseguiu a virada por 2 a 1 nos acréscimos. Um resultado imenso, que abre caminho à classificação no Castelão.

O Strongest partiu para cima durante os primeiros minutos e logo colocou o Ceará contra as cordas. Os aurinegros emendavam ataques, até abrirem o placar aos cinco. Luciano Ursino arriscou de longe e deu trabalho para Vinícius Machado, que rebateu para escanteio no quique da bola. Após a cobrança, a defesa alvinegra não afastou e Adrian Jusino desviou para a conclusão do próprio Ursino, enchendo o pé. A missão do Vozão se tornava muito mais dura, e o time demorou a conseguir responder. O Tigre permanecia mais presente no campo de ataque, ainda que as oportunidades não fossem tão claras.

O Ceará seria mais perigoso na reta final do primeiro tempo. Vina exigiu a primeira boa defesa de Guillermo Viscarra aos 31, numa pancada em cobrança de falta. Logo depois, o Vozão balançou as redes com Lima. O tento seria anulado por um impedimento de Messias, em marcação que ainda assim deixava dúvidas. Os cearenses tinham um respiro, mas o ritmo seguia ditado pelo Strongest. E, nos acréscimos, Vinícius Machado seria decisivo. Fernando Saucedo bateu de longe, com veneno, e o goleiro salvou. Logo depois, fez outra grande defesa em tiro cruzado de Henry Vaca. Era essencial para evitar um estrago maior.

O Ceará voltou para o segundo tempo com duas mudanças, apostando em Nino Paraíba e Iury Castillo. O próprio Castillo pararia em Viscarra nos primeiros minutos, mas logo as dificuldades ressurgiram. O Strongest dominou as ações com o passar dos minutos e rondava. Faltava mais organização ao Vozão, com dificuldades para sair ao jogo, mas pelo menos a defesa conseguia proteger sua área. Mesmo assim, os aurinegros poderiam ter ampliado aos 27, quando Vaca apareceu e de novo foi frustrado por Vinícius Machado. O momento pendia aos bolivianos, até que os cearenses tivessem seu alívio.

O gol de empate surgiu nesse momento, aos 31. Geovane roubou a bola no meio e fez o lançamento. A defesa não conseguiu cortar e Erick escapou com espaço para definir. Mandou fora do alcance de Viscarra e correu para o abraço. A partida ficava mais aberta nesse momento, com o Strongest precisando recobrar a vantagem. O Vozão aproveitou para atacar mais. Viscarra impediu o tento de Iury Castilho, antes que Messias acertasse o travessão numa cabeçada e visse a bola ser salva em cima da linha pela zaga. Os alvinegros ganhavam motivos para acreditar no resultado.

O jogo também ficava mais tenso e até parecia que o empate prevaleceria. Os acréscimos, entretanto, garantiram novas emoções. O Ceará conseguiu a virada aos 48. O Strongest saiu jogando errado e Nino Paraíba acelerou no contragolpe. Acionou Zé Roberto, que desferiu uma paulada no alto da meta e decretou a vitória. O Vozão ainda precisou segurar a pressão depois disso. Vaca cobrou uma falta rumo ao ângulo que exigiu ótima defesa de Vinícius Machado e, no escanteio posterior, os aurinegros mandaram outro tiro perigoso ao lado da trave. Por fim, o apito final depois de alongados acréscimos permitiria a festa dos cearenses. Não é sempre que se alcança um resultado deste calibre em La Paz.

O Ceará é o primeiro time brasileiro a vencer o Strongest em La Paz desde 2013. Apenas cinco clubes do país conseguiram bater os aurinegros na altitude: Corinthians (2003), São Paulo (2003), São Caetano (2004) e Atlético Mineiro (2013). O Vozão completa a lista. O resultado permite mais tranquilidade ao início do trabalho de Marquinhos Santos, além de enfatizar a força dos cearenses nesta Sul-Americana. Depois do triunfo sobre o Independiente em Avellaneda, o feito desta quarta é igualmente grande.

<iframe width="100%" height="580" src="https://www.sofascore.com/event/10341658/lineups/embed" frameborder="0" scrolling="no" style="max-width: 770px"></iframe>    <div style="font-size:12px;font-family:Arial,sans-serif"><a href="{linkToEvent}" target="_blank" rel="noopener">{eventName} Live Score</a></div>

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo