Sul-Americana

Botafogo vence defesa e cera do Guaraní, e sai em vantagem na Sul-Americana

Time carioca saiu perdendo logo no começo da partida, mas conseguiu virada no fim

O Botafogo precisou superar a boa defesa e a cera do Guaraní-PAR para poder largar em vantagem nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, no Nilton Santos, o Glorioso saiu perdendo logo no começo da partida, mas, mesmo jogando mal e precisando vencer também a cera paraguaia, conseguiu buscar a virada nos minutos finais do duelo, garantindo uma boa vantagem para a partida de volta, no Paraguai.

Líder disparado do Campeonato Brasileiro, o Botafogo dueu indícios de que também vai brigar pela Sul-Americana. O técnico Bruno Lage poupou apenas três jogadores na escalação do time titular. Lucas Perri, Marçal e Tiquinho Soares foram substituídos, respectivamente, por Gatigo Fernández, Hugo e Janderson.

Como foi a vitória do Botafogo sobre o Guaraní

Mas, logo no começo da partida, o Botafogo sofreu um baque. Com três minutos de jogo, Benítez aproveitou um cruzamento rasteiro que veio da direita e só empurrou para as redes. A bola cruzou quase toda a área e a zaga do Glorioso não conseguiu afastar. Esta já havia sido a segunda chegada perigosa do time paraguaio. No entanto, na primeira, o lance acabou anulado por impedimento.

O gol marcado cedo pelos paraguaios foi a deixa para o time do Guaraní começar a picotar a partida. Houve demora para a cobrança de laterais e tiros de meta, além das tradicionais quedas para atendimento médico. A cera paraguaia, além da própria falta de efetividade para buscar o empate foram irritando o time do Botafogo, que reclamava muito da arbitragem.

Para piorar a situação, no fim do primeiro tempo, o árbitro assinalou apenas três minutos de acréscimo, longe do tempo em que a partida ficou parada na primeira etapa no Nilton Santos.

Mudanças de Bruno Lage fazem efeito e Botafogo vira

Depois de um primeiro tempo ruim, o Botafogo voltou para o segundo tempo com Tiquinho Soares e Segovinha no ataque – além de Sampaio, que entrou por problema físico de Adryelson. E a entrada dos dois homens de frente mudou o jogo para o Glorioso. Pelo lado direito, o jovem paraguaio passou a criar oportunidades e infernizar a zaga adversária. Enquanto isso, Tiquinho saia bastante da área para ajudar na criação de jogadas – principal problema do time na primeira etapa.

A movimentação de Tiquinho e Segovinha, com a aproximação dos jogadores do meio e dos laterais, empurrou o time do Guaraní ainda mais para dentro da sua área. Ainda assim, o Botafogo demorou para conseguiu empatar o placar. Mas conseguiu em grande estilo. Aos 20′, Hugo aproveitou uma sobra na entrada da área e finalizou com muita qualidade no ângulo do goleiro adversário.

Pouco depois do gol, Bruno Lage também colocou Júnior Santos no lugar de Victor Sá. E, mais uma vez, a mudança foi decisiva na partida. Já perto do fim do jogo, em jogada individual pelo lado direito, Júnior Santos foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Tiquinho Soares cobrou e garantiu a virada para o Botafogo.

Botafogo tem vantagem para o segundo jogo

Com a virada conquistada no Nilton Santos, o Botafogo agora tem a vantagem do empate no segundo jogo, na próxima quarta-feira (9), às 19h (horário de Brasília), no Defensores del Chaco, no Paraguai. Em caso de vitória por um gol do Guaraní, a decisão será nos pênaltis. Quem avançar vai encarar o vencedor do confronto entre Emelec e Defensa y Justicia.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo