Libertadores

Zubeldía vê São Paulo pronto para mata-matas e responde sobre favoritismo na Libertadores

Ainda invicto, técnico analisa potencial da equipe após garantir liderança do Grupo B da Libertadores

Luis Zubeldía conduziu o São Paulo à liderança do Grupo B da Libertadores com a vitória por 2 a 0 sobre o Talleres, nesta quarta-feira (29), no MorumBIS. O técnico ainda está invicto no cargo após nove jogos e, por isso, entende que a sua equipe está preparada para os desafios que a esperam nos mata-matas da competição continental. Tanto que ele considera o Tricolor como um dos favoritos na briga pelo tetra da América.

> O que disse Zubeldía:

  • afirmou que a história faz do São Paulo um favorito na Libertadores;
  • disse que sua equipe está preparada para os mata-matas;
  • elogiou a campanha e o desempenho na fase de grupos.

Zubeldía considera São Paulo favorito na Libertadores

Sem fugir da pergunta, o treinador foi direto ao abraçar um favoritismo que, para ele, nada tem a ver com soberba, ou excesso de confiança. Pelo contrário. Na entrevista coletiva após a partida, o argentino esbanjou conhecimento sobre a história do clube e noção sobre o peso da camisa que veste à beira do campo.

Zubeldía disse que o São Paulo sempre deve ser considerado um candidato ao título por todo o seu histórico vencedor na competição. Mas fez um alerta: a sua equipe deve confirmar esse favoritismo em campo.

— Penso que a história do São Paulo o coloca como um dos favoritos. Essa história que falamos. Mas temos que ir formando a equipe candidata. Não só pela história. Temos que nos encarregar de que a equipe mostre a cada fase, a cada partida que é candidata. Essa é a nossa missão. Mas, historicamente, sempre se olha para o São Paulo como um candidato — afirmou o treinador.

“Quando tinha 11, olhava a Libertadores e escutava “O São Paulo ganhou isso”. Ganhou uma equipe argentina, o Newell’s de Bielsa. Me criei escutando Morumbi, o São Paulo. Eu valorizo muito estar no São Paulo. Valorizo o São Paulo. Eu sonhava com estar aqui. Desde muito pequeno”. (Luis Zubeldía)

São Paulo está preparado para os mata-matas?

Após garantir a vaga nas oitavas de final com duas rodadas de antecedência e assegurar também a liderança do Grupo B, Zubeldía entende que o São Paulo está pronto para os mata-matas da Libertadores. A análise do treinador leva em conta também a experiência de um time que conquistou a Copa do Brasil em 2023.

— Penso que sim, porque tenho jogadores amadurecendo, jovens, outros de idade média, outros experientes. Esse grupo passou por Sul-Americana, Copa do Brasil, Brasileirão duro. Creio que no ano passado amadureceram bastante. A experiência que pode ter um, junto com o staff, pode fazer a gente dar um passo firme na Copa. Se trata de jogos de 180 minutos. Os primeiros 90 é fundamental estar muito atento — alertou o comandante.

Técnico aprova campanha e desempenho na fase de grupos

Zubeldía assumiu o São Paulo já em meio à disputa da fase de grupos e conduziu a equipe à liderança com uma campanha invicta desde então. Não à toa, o técnico provou o desempenho do Tricolor na competição até agora.

— Fizemos uma boa fase de grupos. Nos permitiu se classificar em primeiro. Bom significa algo bastante completo, deixando espaço para seguir crescendo. Jogamos contra o Barcelona e ganhamos bem, jogamos contra o Cobresal e ganhamos bem. Depois contra o Barcelona no MorumBIS merecíamos mais, mas foi empate. Hoje jogamos melhor que o Talleres ganhamos. Creio que estamos fazendo uma boa Copa — analisou o treinador.

> Os próximos três jogos do São Paulo:

  • São Paulo x Cruzeiro — Brasileirão — domingo, 2 de junho, às 18h30 (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura);
  • Inter x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira, 13 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura);
  • Corinthians x São Paulo — Brasileirão — domingo, 16 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo