Libertadores

Com pressão de 2023, Botafogo estreia na Libertadores tentando evitar novo vexame

De olho na fase de grupos da Copa Libertadores, o Botafogo estreia na segunda fase da competição, nesta quarta, contra o Aurora, na altitude de Cochabamba, na Bolívia

Depois de sete anos, o Botafogo está de volta a Copa Libertadores. Mas, o que poderia ser um momento de celebração de uma nova fase do clube, transformado em SAF e com maiores investimentos, já virou mais uma crise a ser superada. Pressionado desde o fim da última temporada e em meio a um desconforto gerado pelo próprio técnico Tiago Nunes, o Glorioso enfrenta o Aurora, da Bolívia, nesta quarta-feira (21), às 21h (horário de Brasília), em Cochabamba, pelo jogo de ida da segunda fase da competição.

Como se não bastasse a perda do título do último Campeonato Brasileiro, a queda no segundo turno foi tanta que o Botafogo terminou a competição fora do G-4. Assim, o Glorioso vai precisar passar por dois mata-matas para chegar na fase de grupos. Caso passe pelo Aurora, da Bolívia, vai enfrentar o vencedor do confronto entre Red Bull Bragantino e Águillas Doradas, da Colômbia. Os jogos da terceira fase estão marcados para as duas primeiras semanas de março.

Dessa forma, o Botafogo já inicia a competição pressionado para evitar um novo vexame contra o modesto Aurora, da Bolívia. Depois do jogo na altitude de Cochabamba, que fica a 2.550 metros acima do nível do mar, as equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (28), às 21h30 (horário de Brasília), no Nilton Santos. Não há critério de gol marcado fora de casa como desempate no confronto.

Botafogo vive começo de temporada irregular e sofre com pressão por fim da temporada de 2023 (Foto: Icon Sport)

Botafogo chega em crise técnica e com polêmica

Para além da pressão de evitar uma nova vergonha logo neste começo de temporada, o Botafogo também chega para o confronto com o Aurora em meio a um começo de temporada irregular e envolto em uma recente polêmica criada pelo próprio técnico Tiago Nunes, que expôs a situação de alguns jogadores do elenco e, após repercussão negativa, se retratou.

Apesar de ter grande investimento de John Textor no elenco do Botafogo para 2024, o clube ainda patina no Campeonato Carioca. No momento, o time de Tiago Nunes é o quinto colocado, com 14 pontos, e venceu apenas um dos últimos cinco jogos que disputou.

Parte deste problema está ligado aos desfalques que o clube teve neste começo de temporada. Alguns dos principais reforços contratados para esta temporada já sofreram com lesões. O atacante Jeffinho e o goleiro John estão foram do time desde o começo de fevereiro e devem seguir fora nestas fases iniciais da Copa Libertadores. Já o atacante Luiz Henrique, contratação mais cara da história do clube, se lesionou na última semana e está fora do jogo de ida contra o Aurora. O Glorioso trabalha para, talvez, contar o jogador na partida de volta.

Para completar, após a derrota no clássico com o Vasco, no último domingo, uma fala do técnico Tiago Nunes acabou gerando uma repercussão negativa. O treinador revelou, durante a coletiva, que “muitos jogadores estão pedindo para ter uma sequência fora da equipe, para parar de carregar essa carga emocional (em relação à perda do último Campeonato Brasileiro) tão forte”.

A exposição de Tiago Nunes sobre o elenco do Botafogo acabou não caindo bem com parte da torcida do Botafogo. O barulho gerado pela coletiva fez o próprio treinador, na segunda-feira de manhã, divulgar um vídeo em suas redes sociais se retratando sobre o assunto e falando, dessa vez, que “nenhum jogador pediu para sair ou ficar de fora”. Tiago Nunes também criticou “recortes” da sua coletiva, indicando que as falas estivessem fora de contexto.

O começo de temporada irregular e os problemas extracampo também fazem o técnico Tiago Nunes chegar pressionado para a disputa da Copa Libertadores. Uma eliminação precoce faria cair por terra o planejamento do clube para 2024, ano em que o Glorioso deve ter a maior receita da sua história. Assim, voltar vivo de Cochabamba e, se possível, com um bom resultado é essencial para o futuro próximo do clube.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo