Libertadores

Atlético-MG terá o inconsistente San Lorenzo como adversário nas oitavas da Libertadores

Sorteio da Conmebol definiu o San Lorenzo como adversário do Atlético nas oitavas e colocou o Fluminense e o River como outros possíveis adversários

A Conmebol definiu nesta segunda-feira (3) os confrontos das oitavas de final e o chaveamento da Libertadores. O Atlético-MG terá pela frente o San Lorenzo, da Argentina, que vive uma temporada bem inconstante. O Galo se livrou do lado da chave com mais brasileiros, mas ainda pode ter Fluminense e River Plate pela frente.

Adversário do Atlético, o San Lorenzo foi o segundo colocado do Grupo F, liderado pelo Palmeiras. O time argentino somou oito pontos e teve saldo zero após marcar e sofrer seis gols.

O lado positivo para o Atlético é que ele, como o segundo melhor classificado, decide em casa, e o San Lorenzo não venceu nenhum de seus jogos longe da Argentina. Por outro lado, o Ciclón não perdeu para o Palmeiras, principal adversário do grupo, empatando por 1 a 1 e 0 a 0.

Time do Papa, o San Lorenzo não vive uma grande temporada. Na Copa da Liga Argentina, ficou em 10° no Grupo B, com apenas três vitórias em 14 jogos. Os empates forma muito constantes na trajetória do clube no torneio, tendo acontecido em metade dos jogos.

Já no Campeonato Argentino, que começou recentemente, o San Lorenzo soma apenas um ponto em dois jogos. O Ciclón entra em campo nesta segunda-feira (3), recebendo o Sarmiento.

San Lorenzo foi carrasco do Atlético recentemente

O histórico entre Atlético e San Lorenzo não é muito longo. Foram apenas quatro jogos oficiais entre os times. Os dois primeiros, pela fase de grupos da extinta Copa Mercosul, em 2000. O Galo venceu em BH (3×2) e em Buenos Aires (4×3), e avançou em primeiro, enquanto os argentinos foram os lanternas.

Os outros dois jogos foram mais recentes, na Copa Sul-Americana de 2018. Ainda no formato de mata-mata desde o início, os clubes foram rivais logo na primeira fase, e o San Lorenzo levou a melhor após vencer na Argentina e segurar um empate em 0 a 0 no Independência.

Bremer, hoje brilhando no futebol europeu, era jogador do Galo no último jogo contra o San Lorenzo (Bruno Cantini / Atlético)

Para o Atlético, o jogo em BH foi marcante por conta da opção do técnico Thiago Larghi em escalar reservas, mesmo precisando vencer, e a forte declaração do então presidente Sérgio Sette Câmara: “A Copa Sul-Americana é a segunda divisão da Libertadores da América”.

Sette Câmara citou na época que a eliminação faria bem ao Atlético, que se preocupava mesmo com a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro, afirmando que o clube iria disputar o título dessas competições sem precisar focar também na Sul-Americana. No fim, o Galo foi apenas o 6° no Brasileirão e eliminado nas oitavas da copa nacional.

Chaveamento com River Plate no caminho

Como segundo melhor classificado geral, o Atlético só tinha uma possibilidade de não decidir em casa até as semifinais, e ela pode acontecer. O River Plate, que foi o líder geral, está na mesma chave do Galo, e eles podem se encontrar nas semis.

A Libertadores é o foco principal do Atlético na temporada. O clube sonha com o título da competição, que é o único que a atual gestão não conquistou, e também com a possibilidade de disputar o novo Mundial de Clubes em 2025.

Eliminando o San Lorenzo, o Atlético pode encarar o atual campeão Fluminense ou segundo colocado do Grupo C, que pode ser Grêmio, Huachipato (CHI) ou The Strongest (BOL). Confira o chaveamento.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo