América do SulArgentinaSul-Americana

Ídolo se rende à torcida do Belgrano: “Não sei quantos clubes conseguiriam levar tanta gente”

A invasão da torcida do Belgrano no Couto Pereira segue impressionando. Mesmo os argentinos repercutem bastante a epopeia dos cordobeses, que viajaram cerca de dois mil quilômetros para ver a primeira partida oficial do clube fora do país. E a devoção dos Piratas também contou com a gratidão de quem esteve em campo. O goleiro Juan Carlos Olave é um dos maiores ídolos albicelestes em todos os tempos. Formado pelo clube e herói no acesso contra o River Plate em 2011, o arqueiro de 40 anos possui o recorde de exibições com a camisa do Belgrano. Ainda assim, não deixou de expressar sua surpresa com o momento, na saída de campo.

VEJA TAMBÉM: Quatro mil ‘piratas’ invadiram o Couto Pereira e fizeram uma festa inesquecível ao Belgrano

“Viemos para ganhar e levar um resultado positivo para definir em Córdoba. Graças a Deus conseguimos e presenteamos o triunfo a toda esta gente, que fez uma viagem quase inumana em dois dias, para que alguns só chegassem em cima da hora e estivessem aqui torcendo por nós. É um marco espetacular. A verdade é que eu não sei quantos clubes levam, a dois mil quilômetros, a quantidade de gente que esteve aqui hoje. Podem contar como quiserem, mas não sei quantos clubes conseguem. E nós só estamos felizes por termos dado o triunfo”, declarou.

Vale ressaltar que Olave teve participação fundamental na vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba. O goleiro pegou um pênalti de Kazim Richards, quando os argentinos venciam pelo placar mínimo, levando as tribunas ao delírio. As vendas de ingressos para o jogo de volta já começaram. A partida acontecerá no Estádio Mario Alberto Kempes, com capacidade para 57 mil espectadores.

Abaixo, outro vídeo, gravado no meio da torcida do Belgrano, durante o segundo gol, marcado por Luján:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo