América do SulLibertadores

Flu se safa nos acréscimos e garante primeiro lugar geral

Foi suado, mas o Fluminense conseguiu fechar a fase de grupos da Libertadores na primeira colocação geral. Jogando em Sarandí, os tricolores venciam até os 35 do segundo tempo, quando permitiram o empate do Arsenal. E, mesmo com um jogador de linha no gol, após a expulsão do goleiro Campestrini, Thiago Neves desperdiçou uma penalidade. A sorte dos cariocas foi contar com Rafael Moura, que garantiu a vitória por 2 a 1 nos acréscimos.

Com o resultado positivo, o Flu fechou a sexta rodada somando 15 pontos, na liderança do Grupo 4. Logo atrás vem o Boca Juniors, com 13 pontos. Também classificados por antecedência, os xeneizes bateram o Zamora por 2 a 0 em La Bombonera e chegaram à quarta vitória consecutiva na competição continental.

Da bonança à tempestade em Sarandí

O Fluminense precisou de apenas um minuto para criar sua primeira chance de gol. Deco lançou Wellington Nem na esquerda e o atacante serviu Thiago Neves, que mandou a bola por cima do gol. Com o controle da partida, os cariocas tiveram seu pior momento na primeira etapa aos 15 minutos, quando Wellington Nem sentiu lesão muscular e precisou ser substituído por Rafael Sóbis.

Somente aos 21 minutos é que o Arsenal atacaria com perigo. E o susto viria em dose dupla, mas Diego Cavalieri salvou as tentativas de Juan Caffa e Victor Cuesta. Sem perder a supremacia, o Flu chegaria ao gol aos 34 minutos, com Carlinhos. O lateral tabelou com Sóbis e, de frente para o gol, tocou na saída de Cristian Campestrini para balançar as redes.

Na volta do intervalo, Thiago Neves perdeu oportunidade incrível para ampliar, quando, em boas condições de marcar, chutou em cima do goleiro. Mais ativo na segunda etapa, o Arsenal rondava a área dos visitantes e deve bom lance com Adrián González, em cobrança de falta que Cavalieri teve trabalho para defender.

Mais retraído em campo, o Fluminense acabou sofrendo o empate aos 35 minutos. Após cruzamento de Adrián González, Cavalieri não segurou a bola, que sobrou limpa para Nicolás Aguirre fuzilar.

Quatro minutos depois, os cariocas desperdiçariam chance de ouro, quando Campestrini cometeu pênalti em Thiago Neves e foi expulso. Com as três substituições já realizadas, o volante Diego Torres foi para o gol e acertou o canto, defendendo a cobrança de Thiago Neves. Ainda assim, os tricolores insistiram na vitória e só foram premiados aos 47, com Manuel Lanzini colocando a bola na cabeça de Rafael Moura, que não perdoou.

Domínio total na Bombonera

Em Buenos Aires, o Boca Juniors jogou praticamente sozinho durante o início do primeiro tempo, diante de um Zamora inoperante. Porém, nas melhores chances, Nicolás Blandi não conseguiu passar pelo Álvaro Forero. Os venezuelanos só foram assustar aos 30 minutos, em excelente oportunidade de Gabriel Torres, que errou o alvo.

Com maior posse de bola, os xeneizes criavam poucos espaços, mas conseguiram abrir o placar aos 27 minutos, com Blandi tocando na saída de Forero para chegar às redes. Dois minutos depois, Juan Román Riquelme fechou o placar. Franco Sosa cruzou, Sergio Araujo desviou e o camisa 10 arrematou com maestria. E qualquer reação do Zamora foi anulada aos 35, quando Dolbys Rodríguez recebeu o segundo amarelo e acabou expulso.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo