América do SulUltimas noticias de copa america

Favoritos da Copa América 2024: veja quais seleções lideram o ranking

A Copa América 2024 vai começar na próxima quinta-feira, 20 de junho. Torcedores, analistas e apostadores começam a fazer análises sobre os principais favoritos para a competição. Confira neste artigo, especialmente preparado pela Trivela, os principais candidatos ao título, azarões e possíveis surpresas. Veja também uma análise detalhada de cada uma das 16 seleções participantes.

Quem são os favoritos para o título da Copa América 2024?

Das 47 edições de Copa América realizadas até hoje, nada menos que 39 ficaram entre as três maiores forças do continente: o Brasil, vencedor de cinco das últimas dez edições, além dos maiores campeões Uruguai e Argentina, com 15 taças cada um. Abaixo, trazemos uma lista do menos favorito até o grande favorito, avaliando diferentes critérios com notas de 0 a 5.

16. Bolívia

Bolivia

Bolivia

Com a aposentadoria recente de Marcelo Moreno, a seleção boliviana perdeu seu grande líder e referência técnica. Além disso, o momento não é bom, sendo a vice-lanterna das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2026. A Bolívia foi eliminada na fase de grupos das últimas três edições de Copa América, e por isso, é a seleção menos cotada na nossa avaliação.

Grupo C da Copa América: Bolívia, Estados Unidos, Panamá e Uruguai

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,0
  • Craque do time: Nota 3,5
  • Momento: Nota 2,0
  • Histórico na competição: Nota 2,5
  • Média final: 2,9

15. Panamá

Panama

Panama

O Panamá teve um 2023 bastante digno, que gerou a vaga na Copa América 2024. Conseguiram vencer o time reserva dos Estados Unidos na última Copa Ouro, mas acabaram caindo para o México em seguida. Além de não ter nenhum grande nome de destaque, a seleção panamenha faz apenas a sua segunda participação no torneio, sendo eliminada na fase de Grupos em 2016.

Grupo C da Copa América: Bolívia, Estados Unidos, Panamá e Uruguai

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 3,0
  • Momento: Nota 3,5
  • Histórico na competição: Nota 2,0
  • Média final: 3,1

14. Costa Rica

Costa Rica

Costa Rica

Com uma seleção bastante jovem, a Costa Rica segue um processo de reformulação que ainda não deu muitos resultados. O principal nome da equipe é quem eleva a média de idade. Keylor Navas é o capitão e referência da equipe, que disputa a sua sexta Copa América. Os costarriquenhos alcançaram as quartas de final em 2001 e 2004, seus melhores desempenhos no torneio.

Grupo D – Brasil, Colômbia, Paraguai e Costa Rica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 2,5
  • Histórico na competição: Nota 2,0
  • Média final: 3,1

13. Jamaica

Jamaica

Jamaica

A Jamaica rivalizou com o Canadá pela vaga na Copa América, conseguindo uma virada na Liga das Nações da Concacaf e carimbando a terceira participação no torneio. Ainda que o elenco não tenha uma grande força de maneira geral, Leon Bailey, Demarai Gray e Michail Antonio são bons nomes com técnica e experiência em grandes ligas. No grupo mais equilibrado, a Jamaica pode surpreender.

Grupo B – México, Equador, Venezuela e Jamaica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,0
  • Craque do time: Nota 3,5
  • Momento: Nota 3,5
  • Histórico na competição: Nota 2,0
  • Média final: 3,1

12. Canadá

Canadá

Canadá

Após a Copa do Mundo 2022, a Federação do Canadá concentra esforços em fazer um bom papel como anfitriã em 2026. Conseguiu a vaga para disputar a sua primeira Copa América nos playoffs, com mais suor que o esperado. Alphonso Davies é o grande nome da seleção, que também conta com o atacante Jonathan David, mas no geral a equipe ainda carece de coletividade, além de ter pegado um grupo difícil, pegando logo de cara a atual campeã Argentina.

Grupo A – Argentina, Peru, Chile e Canadá

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 4,5
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 1,0
  • Média final: 3,3

11. Peru

Peru

Peru

Apesar de não viver um grande momento, a seleção peruana chegou pelo menos nas semifinais da Copa América em quatro das últimas cinco edições. Por outro lado, ainda não venceu nas atuais Eliminatórias da Copa do Mundo, ocupando a lanterna com apenas dois pontos. O goleiro Gallese e nomes como Guerrero, Advíncula e Trauco trazem experiência. Tudo indica que brigará com Chile e Canadá pela segunda vaga.

Grupo A – Argentina, Peru, Chile e Canadá

  • Força do elenco: Nota 3,0
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 3,5
  • Momento: Nota 3,0
  • Histórico na competição: Nota 4,0
  • Média final: 3,4

10. Paraguai

Paraguay

Paraguay

Outra seleção em processo de renovação, o Paraguai tem bons nomes em todos os setores do campo, como o palmeirense Gustavo Gómez, o são paulino Bobadilla, o gremista Villasanti e os atacantes Romero do Corinthians e Almirón do Newcastle. Mas de maneira geral ainda falta senso coletivo à equipe, que não deslanchou nas Eliminatórias. Bicampeã da Copa América (1953 e 1979), a seleção paraguaia teve como última boa campanha a edição de 2011, quando ficou na quarta posição. Teoricamente briga com a Colômbia pela segunda vaga do grupo.

Grupo D – Brasil, Colômbia, Paraguai e Costa Rica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 2,5
  • Histórico na competição: Nota 3,5
  • Média final: 3,4

9. México

México

México

Após uma Copa do Mundo decepcionante, ficando na fase de grupos no Qatar, a seleção do México segue tendo dificuldades em encontrar nomes alternativos aos grandes ídolos. Em sua 11ª participação na Copa América, os mexicanos têm dois vices, em 1993 e 2001. Giménez, do Feyenoord, é a grande esperança de gols, mas coletivamente o selecionado mexicano demonstra limitações, e vai ter que suar pra conseguir a classificação.

Grupo B – México, Equador, Venezuela e Jamaica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 3,5
  • Momento: Nota 3,5
  • Histórico na competição: Nota 3,0
  • Média final: 3,4

8. Venezuela

Venezuela

Venezuela

A Venezuela foi por muitos anos o patinho feio em termos de prestígio na América do Sul, mas nos últimos ciclos, após um excelente trabalho de base, mostrou força nas Eliminatórias da Copa do Mundo, vencendo Paraguai e Chile em casa, e arrancando um ponto diante do Brasil. O elenco é equilibrado, e conta com bons jovens como Josef Martínez e Darwin Machís. Os experientes Ferraresi, Tomás Rincón, Soteldo e Savarino, todos atuando no Brasil, completam um time que pode surpreender.

Grupo B – México, Equador, Venezuela e Jamaica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 2,0
  • Média final: 3,4

7. Chile

Chile

Chile

Apesar de o Chile não viver grande fase, tendo dificuldades em renovar sua seleção, a camisa pode pesar. Bicampeões na década passada, os chilenos, viram sua sua geração de ouro envelhecer sem peças de reposição à altura. O único jovem que chega com destaque é Pulgar, do Flamengo. Na frente, Sánchez e Vargas seguem sendo os principais nomes. Brigará com Peru e Canadá pela segunda vaga.

Grupo A – Argentina, Peru, Chile e Canadá

  • Força do elenco: Nota 4,0
  • Jogadores decisivos: Nota 4,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 2,5
  • Histórico na competição: Nota 3,0
  • Média final: 3,6

6. Equador

Equador

Equador

Outra seleção que pode surpreender em um grupo equilibrado, o Equador tem em sua base o Independiente del Valle, e bons nomes que atuam fora do país, como Félix Torres, do Corinthians, Hincapié, do campeão alemão Bayer Leverkkusen, Andrés Hurtado, do RB Bragantino, Alan Franco do Atlético-MG e Moisés Caicedo do Brighton, além da jovem estrela Kendry Páez, já vendido ao Chelsea. Apesar de nunca terem vencido a Copa América, o Equador alcançou às quartas de final em duas das últimas três edições do torneio. Olho neles!

Grupo B – México, Equador, Venezuela e Jamaica

  • Força do elenco: Nota 3,5
  • Jogadores decisivos: Nota 4,0
  • Craque do time: Nota 4,5
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 2,0
  • Média final: 3,6

5. Estados Unidos

Estados Unidos

Estados Unidos

Os Estados Unidos disputarão a sua quinta Copa América, e sonham em pelo menos repetir as duas melhores campanhas, chegando nas semifinais em 2005 e 2016. Será um grande teste para um elenco jovem e com alguns talentos, como o meio campistas Pulisic, do Milan, e McKennie, da Juventus. Entretanto, a falta de solidez defensiva pode ser um problema, sobretudo diante de um ataque mais capaz como o do Uruguai. Pode conseguir a segunda vaga do grupo sem sustos.

Grupo C – Estados Unidos, Uruguai, Panamá, Bolívia

  • Força do elenco: Nota 4,0
  • Jogadores decisivos: Nota 3,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 3,0
  • Média final: 3,7

4. Colômbia

Colombia

Colombia

Outra seleção bem cotada pra ir longe na Copa América 2024, a Colômbia alia ótimos nomes em ascensão, como Luis Díaz, Sinisterra, Durán e Yaser Asprilla, todos atuando na Inglaterra. Richard Ríos do Palmeiras deve ganhar chances. Como líderes do time temos James Rodríguez, Yerry Mina, o goleiro Ospina do Al-Nassr e Borja, que vem em ótima fase no River Plate. Isso sem falar de Jhon Arias, um dos principais nomes do Fluminense campeão da América em 2023. Rafael Borré, do Inter, completa um elenco interessante e bem equilibrado, que pode dar muito trabalho ao Brasil na briga pela liderança da chave.

Grupo D – Brasil, Colômbia, Paraguai e Costa Rica

  • Força do elenco: Nota 4,0
  • Jogadores decisivos: Nota 4,5
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 3,0
  • Média final: 3,9

3. Uruguai

Uruguai

Uruguai

Abrindo nosso top-3, o Uruguai é o favorito para levar a primeira vaga do Grupo C. Maior campeão da Copa América ao lado dos argentinos com 15 taças, o Uruguai vem de goleada sobre o México e tem demonstrado um futebol bastante interessante sob a batuta de Marcelo Bielsa. O elenco está equilibrado e se entrosou rapidamente, além de a renovação da seleção estar fazendo efeito. Darwin Núñez é o candidato a substituto de Cavani e Suárez, e os jovens Manuel Ugarte e Facundo Pellistri são ótimos nomes a serem observados na competição. O Uruguai busca voltar a vencer a Copa América depois de 13 anos.

Grupo C – Estados Unidos, Uruguai, Panamá, Bolívia

  • Força do elenco: Nota 4,0
  • Jogadores decisivos: Nota 4,0
  • Craque do time: Nota 4,0
  • Momento: Nota 4,5
  • Histórico na competição: Nota 4,5
  • Média final: 4,2

2. Brasil

Brasil

Brasil

Ainda que não venha em grande fase, a seleção brasileira fica com a segunda colocação do ranking por ter muitos nomes que podem decidir individualmente, além de os amistosos recentes contra Espanha e Inglaterra terem animado a torcida. Como grande destaque, Vinícius Júnior é um dos nomes cotados para artilheiro e craque da competição. O jovem Endrick é outro que pode fazer um bom torneio. Ainda sem Neymar, o Brasil segue um degrau abaixo da Argentina no nosso ranking, mas tem boas chances de faturar a liderança do Grupo D.

Grupo D – Brasil, Colômbia, Paraguai e Costa Rica

  • Força do elenco: Nota 4,5
  • Jogadores decisivos: Nota 4,5
  • Craque do time: Nota 5,0
  • Momento: Nota 4,0
  • Histórico na competição: Nota 4,0
  • Média final: 4,4

1. Argentina

Argentina

Argentina

Os atuais campeões do mundo e da Copa América são, naturalmente, os grandes favoritos para a edição de 2024. Os hermanos também são os atuais líderes das Eliminatórias da Copa do Mundo de maneira isolada e do ranking da Fifa. O elenco é o mais robusto do torneio, a começar por Messi, que reencontrou a alegria de jogar futebol pelo Inter Miami e vem em boa forma física. Garnacho, Barco e Álvarez são jovens que podem ganham minutagem na competição. De Paul, Mac Allister e Di Maria acrescentam experiência e qualidade técnica. A tendência é que a Argentina lidere com tranquilidade o Grupo A.

Grupo A – Argentina, Peru, Chile e Canadá

  • Força do elenco: Nota 4,5
  • Jogadores decisivos: Nota 5,0
  • Craque do time: Nota 5,0
  • Momento: Nota 4,5
  • Histórico na competição: Nota 5,0
  • Média final: 4,8

Quem tem mais chances de ganhar a Copa América

Segundo a nossa análise, as três seleções mais bem rankeadas tem maior chances de levar o troféu da Copa América 2024. A Argentina vive uma lua de mel com seu torcedor, o Uruguai vem com grande expectativa, assim como o Brasil, na primeira competição liderada por Dorival Júnior. Ainda que possa haver alguma surpresa, as chances de um azarão ou campeão inédito acontecer são relativamente baixas.

Palpites para a Copa América 2024

Favoritos da Copa América: odds na Betano

Uma das casas de apostas mais populares e bem avaliadas no Brasil, e patrocinadora do Campeonato Brasileiro, a Betano oeferece uma seção apenas para prognósticos da Copa América 2024. Em especial, destacam-se os mercados Apostas Especiais, para indicar o artilheiro da competição, e também para que a final seja o clássico Brasil x Argentina. Recursos como Cashout, Missões e Superodds podem turbinar a sua aposta na Copa América.

Seleção  Odds Betano
Para a Argentina vencer a Copa América 2,75
Aposta para o Brasil levar a competição 3,15

Quem pode surpreender

Além dos três gigantes que são os mais cotados, o futebol pode reservar alguma surpresa. Em todas as edições anteriores alguma equipe supreender, como o Chile em 2015 e 2016 e a Colômbia em 2001. Ainda segundo o ranking elaborado pela Trivela, veja quais seleções podem ir além das expectativas.

  • Colômbia – Única seleção invicta nas Eliminatórias, e com ótimos jogadores em todos os setores do campo. Chega fisicamente em ótimo nível;
  • Estados Unidos – Os anfitriões vêm de uma lenta, mas gradual evolução em seu futebol ao longo dos anos, ao mesmo tempo que a liga nacional se expande;
  • Equador – O bom trabalho feito na base na década passada está dando bons frutos. A seleção é jovem, talentosa e compete fisicamente muito bem;
  • Chile – O bicampeão nunca pode ser desprezado, é um time experiente e que em duelos decisivos pode fazer valer o jogo mental.
Foto de Bruno Menezes

Bruno Menezes

Jornalista pela Fiam-Faam, onde atua como embaixador do curso e pesquisador na área de mídias sociais digitais. Acredita que o futebol é um microcosmo da sociedade que o rodeia. Cobriu a Copa do Mundo de 2022, além da cobertura dos principais clubes nacionais de futebol masculino e feminino, inloco e da redação, e dos casos Robinho e Daniel Alves. Já colaborou com Editora Abril (Guia do Estudante) e Portal UOL (Editoria de Esportes). Bidou no Trivela em 2023.
Botão Voltar ao topo