América do SulLibertadores

Corinthians põe Táchira na roda e confirma liderança

O Corinthians encerrou a primeira etapa de seu sonho pelo título da Libertadores com extrema tranquilidade. Empurrado pela torcida presente no Pacaembu, os alvinegros pouco se esforçaram para massacrar o Deportivo Táchira. O elástico placar de 6 a 0 iguala a maior diferença de gols já registrada pelo clube na competição continental.

A vitória foi o suficiente para carimbar a já prenunciada primeira colocação do Grupo 6. Além disso, os corintianos registram a segunda melhor colocação na fase de grupos da Libertadores e só podem ser superados pelo Atlético Nacional, que precisam ganhar por dois gols de diferença da Universidad de Chile em Santiago. Já o Cruz Azul, segundo na chave dos paulistas, também fez sua parte ao golear em casa o Nacional por 4 a 1.

Baile corintiano no Pacaembu

Os alvinegros foram a campo sem ter o que perder. Garantidos na próxima fase, precisavam apenas confirmar a liderança da chave, além de buscar a melhor colocação possível entre os classificados na competição. A postura natural da equipe desde os primeiros minutos foi buscar o ataque, explorando bastante as tabelas nas proximidades da área venezuelana.

Apesar de não arriscar muito a gol, o Corinthians não perdoou na primeira chance clara que teve, abrindo o placar aos 17 minutos. Em falta cobrada na intermediária por Emerson, Danilo subiu sozinho na área para cabecear, tirando do alcance do goleiro Roberts Rivas. Já aos 26, o segundo gol sairia em uma belíssima jogada coletiva. Liedson roubou a bola na linha central e tabelou por todo o campo ofensivo com Paulinho, deixando o volante livre para marcar na pequena área.

A confiança dos corintianos era tanta que Liedson quase marcou um belíssimo gol da intermediária, com a bola passando a centímetros do travessão. Os paulistas iam explorando as jogadas pelas laterais e tiveram sua situação facilitada ainda mais aos 35 minutos, quando o zagueiro Andrés Rouga cometeu falta dura em Danilo e acabou expulso.

Entre o final do primeiro tempo e o início do segundo, o Corinthians diminuiu um pouco o ritmo de seu jogo, prezando mais pela posse de bola. Somente aos 17 é que o jogo aqueceria novamente, quando Liedson e Paulinho fizeram boa jogada na entrada da área, com a bola sobrando limpa para Jorge Henrique acertar o canto.

Pressionando por mais gols, o time da casa fez o quarto com Emerson, em chute prensado que tirou o goleiro do lance. No minuto seguinte, Liedson finalmente deixaria sua marca. O centroavante desperdiçou pênalti, mas não desperdiçou o rebote. E ainda quase faria o sexto, carimbando o travessão em tiro da entrada da área. Sob gritos de olé, diante do intenso toque de bola, o Corinthians fechou a conta aos 38, com Douglas convertendo pênalti sofrido por Douglas.

Mais modesto, Cruz Azul também sobra

Em partida equilibrada durante os primeiro tempo, o Cruz Azul fez o primeiro tento contra os paraguaios aos 20 minutos, com Javier Orozco tocando na saída do goleiro Ignacio Dont. O gol impulsionou os mexicanos, que ainda assim permitiram o empate aos 43 minutos, em boa jogada concluída por Gustavo Cristaldo, tocando por cima do goleiro. Antes do intervalo, porém, o brasileiro Maranhão recuperou a vantagem, em chute potente do bico esquerdo da grande área.

Na volta do intervalo, os Cementeros imprimiram um ritmo bastante intenso e chegaram ao terceiro gol com 21 minutos, em assistência de Maranhão para o veterano Omar Bravo, de frente para o gol, deixar a sua marca. E ainda haveria tempo para o quarto tento, a dez minutos do fim, em chute cruzado pelo lado esquerdo da área.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo