Copa América

Emiliano Martínez faz três defesas nos pênaltis para classificar Argentina à final contra o Brasil

Goleiro Martínez defendeu três cobranças nos pênaltis e foi a principal figura da Argentina para avançar à final, que será contra o Brasil

A Argentina conseguiu a classificação à final da Copa América 2021 de modo dramático. Depois de um empate por 1 a 1 com a Colômbia no tempo normal, a decisão foi nos pênaltis. Foi aí que o goleiro Emiliano Martínez brilhou. Em cinco cobranças, ele defendeu três e foi a grande estrela da classificação. A seleção albiceleste consegue a classificação com tons dramáticos para uma final fantástica: Brasil x Argentina, no próximo sábado, 10 de julho, às 21h (horário de Brasília). O Brasil conquistou a sua vaga contra o Peru, na segunda. Será mais uma chance do capitão Lionel Messi conquistar um título pela seleção argentina. A albiceleste não conquista um título com seu time principal desde 1993, quando levou a Copa América.

A seleção argentina fez uma boa campanha na Copa América e, por tudo que fez, foi a melhor seleção do torneio, junto com o Brasil. As duas seleções agora decidirão o título no Maracanã, em um dos maiores clássicos do mundo. Em uma Copa América tão questionada por estar sendo disputada como está, haverá uma grande história ser contada. Quem vencer a final terá uma história das mais interessantes a serem contadas. A Argentina pode encerrar o jejum ou o Brasil pode bater o rival em casa para conquistar o bicampeonato.

Argentina começa bem e marca no início

Logo a três minutos, Lionel Messi fez fila pela direita, cruzou à meia altura e Lautaro Martínez tocou de cabeça, tirando de David Ospina, mas a bola saiu também do gol. Foi a primeira chegada, mas na segunda não seria possível impedir.

Giovanni Lo Celso achou um lindo passe para Messi, dentro da área, receber, girar e ajeitar para Lautaro Martínez finalizar de primeira e marcar 1 a 0, logo a sete minutos de jogo. A Argentina se mostrou forte logo de cara.

Logo depois, a Colômbia respondeu com uma boa chegada pela esquerda, com uma bola que sobrou para Juan Cuadrado finalizar do lado direito e o goleiro Emiliano Martínez fez a defesa. A Argentina recuou e a Colômbia tentou chegar mais.

Aos 36 minutos, Wilmar Barrios chutou de fora da área, a bola desviou, tocou no pé da trave e saiu. Na cobrança do escanteio, Cuadrado colocou na cabeça de Yerry Mina, que tocou de cabeça no travessão. Um lance muito perigoso.

A Argentina voltou a ameaçar aos 43 minutos. Messi cobrou escanteio, Nicolás González tocou de cabeça e o goleiro Ospina fez uma grande defesa para impedir que os albicelestes ampliassem o placar.

Lionel Messi comemora (Reprodução/Copa América)

Colômbia volta melhora no segundo tempo

A Colômbia voltou para pressionar e tentar o empate. Yimmy Chará entrouno lugar de Gustavo Cuéllar. Tornou o time mais ofensivo, recuando Juan Cuadrado para a lateral direita. Também colocou Frank Fabra no lugar de William Tesillo, mudando também a lateral esquerda. Na Argentina, entrou Gonzalo Montiel no lugar de Nahuel Molina.

Aos 14 minutos, veio o empate. Luis Dias, em uma grande Copa América, foi lançado por Cardona e o atacante deixou Germán Pezzella para trás na velocidade e finalizou com categoria tirando do goleiro. Belo gol do atacante para colocar 1 a 1 no placar.

Em um erro da Colômbia aos 27 minutos, Muñoz errou a saída de bola, Ángel Di Maria tomou a bola, tirou do goleiro Ospina, que saiu desesperado e rolou para o lado, onde estava Lautaro Martínez. Sem goleiro, o atacante chutou, mas Wilmar Barrios, em cima da linha conseguiu salvar o gol. O atacante argentino desperdiçou uma grande chance de gol.

Os argentinos ficaram perto de chegar ao gol. Aos 35, Messi acertou uma bola na trave, depois de uma jogada de Di Maria. No rebote, Rodrigo De Paul chutou em cima de Sánchez, que bloqueou. Os argentinos cresceram no jogo e aumentaram a pressão nos minutos finais.

Com 42 minutos do segundo tempo, Messi arrancou em um contra-ataque, passando por dois marcadores, em velocidade, até que foi derrubado por Barrios perto da área. Falta que rendeu um cartão amarelo ao volante colombiano. Messi tentava seu terceiro gol de falta na competição. Não deu, a bola ficou na barreira.

No fim, Jesus Velenzuela, da Venezuela, encerrou o jogo depois de quatro minutos de acréscimos. A decisão da vaga na final seria nos pênaltis.

Pênaltis

A Colômbia começou cobrando. Juan Cuadrado teve a responsabilidade. O camisa 11 colombiano cobrou forte, no canto, e nem deu chance de defesa. Argentina 0x1 Colômbia.

Lionel Messi, capitão do time, foi para a cobrança. Cobrou no alto, no ângulo, e Ospina caiu no outro lado. Argentina 1×1 Colômbia.

O terceiro pênalti cobrado foi de Davinson Sánchez. O zagueiro cobrou no canto esquerdo do goleiro Emiliano Martínez, que foi buscar. Fez a defesa e saiu vibrando. Ele tinha feito muitas provocações, falando com o zagueiro do Tottenham para desconcentrá-lo. Argentina 1×1 Colômbia.

Rodrigo De Paul foi o próximo cobrador. Só que o camisa 7 bateu por cima do gol, deixando tudo igual. Os dois erraram na série. Argentina 1×1 Colômbia.

Yerry Mina foi o cobrador seguinte da Colômbia. Mais uma vez, o goleiro Emiliano Martínez ficou falando e tentando desconcentrar o rival. Mina bateu colocado, à meia altura, e Martínez foi no canto buscar. Não teve gol. A Argentina teria a chance de ficar em vantagem. Argentina 1×1 Colômbia.

Leandro Paredes foi o cobrador seguinte para a Argentina. O camisa 5 cobrou com tranquilidade, tirou Ospina até da foto e colocou a albiceleste em vantagem. Argentina 2×1 Colômbia.

Miguel Borja foi o cobrador seguinte pela Colômbia. O atacante cobrou com força, no meio do gol, e estufou a rede. Igualou tudo. Como também foi provocado por Martínez, ele foi lá vibrar perto do goleiro argentino. Argentina 2×2 Colômbia.

Lautaro Martínez foi o cobrador seguinte. O atacante cobrou firme, forte, no alto, e marcou. Argentina 3×2 Colômbia.

Edwin Cardona foi o cobrador para a Colômbia em seguida. Ele cobrou no canto baixo, Martínez novamente foi buscar, defendeu e classificou a Argentina à final.

Os argentinos comemoraram muito, com festa. Mais uma vez, a Argentina está na final da Copa América, depois de alcançar esta mesma fase em 2015 e 2016 (na edição Centenário). Em 2019, tinha caído na semifinal, justamente com uma derrota para o Brasil. Será a chance de quebrar o jejum de títulos em pleno território rival.

Ficha técnica

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo