América do Sul

Olhar sul-americano: conheça Brian Aguirre, um ponta que renova o conceito da posição

Ainda aos 21 anos, Brian Aguirre, do Newell's Old Boys, chama a atenção por sua maturidade, qualidade com os dois pés e demais características raras para um ponta

A Trivela se uniu ao especialista em futebol sul-americano Michael Vinícius (@mikezfps) para apresentar alguns jogadores que se destacam nos campos da América do Sul e que podem, muito bem, pintar em equipes do Brasil. E após nomes como Tadeo Allende (agora ex-Godoy Cruz), Ulises Sánchez (Belgrano), Santiago Castro (agora ex-Vélez Sarsfield) e Diego Valentín Gómez (Vélez Sarsfield) serem apresentados, hoje é a vez de falarmos do argentino Brian Aguirre, jovem ponta que promete revolucionar a posição.

Brian Aguirre, de 21 anos, é um dos melhores jogadores da atual edição do Campeonato Argentino e um dos responsáveis pela excelente campanha do Newell’s Old Boys até então. O jovem ponta esquerda vem chamando a atenção pela sua verticalidade, drible e velocidade, além de uma boa qualidade na criação de jogadas.

O Newell's Old Boys, ou “La Lepra“, como é conhecido, é bastante famoso por formar jogadores promissores. Das “canteras” do clube saíram nomes como Gabriel Heinze, que voltou ao clube para jogar e também como treinador, Maxi Rodríguez, que outrora também retornou para a parte final de sua carreira, e um dos melhores de futebol da história, Lionel Messi, que começou a dar seus passos dentro do clube rosarino.

Carreira de Brian Aguirre

Brian Aguirre começou a ter oportunidades no time profissional do Newell’s em 2021, quando estreou diante do Gimnasia. Desde então, passou a ser figurinha marcada nas relações, mas ainda assim com poucas oportunidades reais. O jovem foi convocado para defender a Seleção Argentina no Torneio de Toulon em 2022, onde também não teve minutagem em campo.

As chances começaram a aparecer no segundo semestre de 2022, quando começou a figurar entre os titulares, melhorando de forma considerável a produção do ataque do NOB, mas sem nenhum gol ou assistência, tendo contribuição maior na raiz das jogadas, com aquele famoso drible desconstrutor de linhas defensivas.

Convocado novamente para a seleção sub-20 de seu país, Aguirre figurou no Sul-Americano Sub-20 de 2023, sendo, inclusive, titular na partida contra a Seleção Brasileira, jogo em que o Brasil derrotou a Argentina por 3 a 1.

O ano de 2023 marcava uma nova fase para o jovem, que era carta marcada no time titular, e titular indiscutível da seleção sub-20 de seu país, disputando a Copa do Mundo da categoria e tendo certo destaque. Na ocasião, o atleta de 21 anos marcou quatro gols e anotou quatro assistências em 39 jogos.

Em 2024, Brian Aguirre é um dos destaques da ótima campanha dos Leprosos no Campeonato Argentino, marcando um gol e dando uma assistência em oito jogos. Os números são tímidos, mas como futebol não é planilha, sua função em campo gera muito impacto ao jogo mesmo que seus números não sejam absurdos para um ponta tratado com tamanho potencial. Mas por que? O que faz Aguirre ser tão diferente?

Como joga Brian Aguirre?

Brian Aguirre é um jogador completamente talhado para o futebol atual. Marca, ataca, se movimenta dentro dos espaços, tem disciplina tática e também uma característica que poucos jogadores possuem: é ambidestro. Aguirre pode jogar pelas duas pontas com extrema facilidade, causando completo desconforto a seus marcadores, e gerando possibilidade aos seus companheiros de equipe e ao seu treinador.

Como citado anteriormente, Aguirre é um jogador vertical, rápido e com excelente drible. Normal para todo jovem jogador, ele ainda peca nas tomadas de decisão, que é algo que pode ser trabalhado.

Existem vários tipos de ponta: aquele mais atacante, finalizador; aquele que constroi jogadas; além daqueles que são desconstrutores de defesas, por abrirem espaços para que o time possa jogar dentro dessa falha provocada, seja por um drible, uma ultrapassagem, ou uma movimentação. Este último caso citado é o de Brian Aguirre.

Mapa de calor de Brian Aguirre, do Newell's Old Boys
Mapa de calor de Brian Aguirre, do Newell's Old Boys – Imagem: Sofascore

Sua disciplina tática assusta por sua pouca idade, pois mostra-se maduro o suficiente para equipes já consolidadas. Michael Vinícius acredita que uma vinda ao futebol brasileiro seria um salto competitivo para Brian Aguirre e que suas características casam bem com o jogo que é praticado no país.

Além disso, o analista entende que no Brasil, Brian Aguirre conseguiria um melhor entendimento do futebol como um todo, o que seria fundamental para o atleta, pelo fato já citado dele ainda tomar algumas decisões questionáveis dentro das partidas.

Vinícius aponta que, considerando o Brasil como uma nação plural no que diz respeito a modelos de jogo, a tendência é que uma eventual vinda ao país do futebol faria muito bem a Aguirre, principalmente pela boa geração de treinadores trabalhando em nosso solo, podendo eles contribuírem com o amadurecimento do atleta, tanto instruindo-o quando comandado, quanto dificultando suas ações jogando contra.

Pontos fortes de Brian Aguirre

  • Drible
  • Passe
  • Velocidade
  • Confiança
  • Inteligência
  • Disciplina Tática

Pontos fracos de Brian Aguirre

  • Tomada de decisão
  • Prende muito a bola

Por fim, Michael Vinícius entende que Brian Aguirre tem potencial de se destacar em todos os estilos de jogo. O atleta pode tanto jogar em times propositivos, quanto em times reativos. Para o analista, o ponta tende a ser um pouco mais letal em times reativos, considerando seu drible e velocidade.

Olhar sul-americano: veja três volantes pouco badalados que se destacam no continente

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo