Argentina

Santi, o garoto que compartilhou a muleta no jogo do Racing, aprendeu a lidar com diferenças logo cedo

A foto de um garoto compartilhando sua muleta com outro menino durante o jogo do Racing contra o Temperley, na despedida de Diego Milito, tomou conta da internet no último final de semana. Inclusive, foi um dos momentos que fizeram a despedida de Diego Milito ser ainda mais grandiosa. O gesto de solidariedade partiu de quem mais necessita desse ato tão nobre: o pequeno Santiago Fretes, de 10 anos, torcedor fanático do Racing que possui uma deficiência física.

LEIA MAIS: Diego Milito, o adeus do Cilindro e uma enorme lição sobre as vontades que regem a vida

Santi, como é carinhosamente chamado pelas pessoas que o cercam, nasceu com uma má formação genética e teve que ter sua perna direita amputada ainda muito pequeno. Mas isso nunca foi impedimento para que o menino levasse uma vida como qualquer outro de sua idade.

Santi é uma figura conhecida lá em Avellaneda. O garoto faz parte do Racing Integrado, projeto do departamento social do clube que presta apoio a torcedores que possuem algum tipo de deficiência, e chama a atenção pela sua agilidade de jogar bola mesmo com uma única perna. Em entrevista ao El País, Sabrina Bonomo, mãe do garoto de 10 anos, contou que o outro menino que aparece com seu filho na foto é apenas um conhecido.

“O outro garoto é um colega de campo de Santi. Os dois não sabem o nome um do outro, apenas se conhecem. Não importa nada para eles, cada um vive em seu mundo e assistem às partidas do Racing”, disse. “Uma vez Santi me perguntou sobre seu problema, e eu o expliquei sem rodeios. Disse a ele que as pessoas são diferentes. Como ele nasceu com esse problema, nós o criamos para ele lidar bem com isso. Por enquanto, e graças a Deus, Santi nunca esmoreceu diante de sua deficiência. Além de praticar esportes, ele tem um bom desempenho no colégio… Exceto em Inglês”, afirma Sabrina.

No entanto, mesmo Santi se aproximando o máximo da realidade de outras crianças de sua idade, ela admite que o filho ainda espera uma prótese para ter uma vida com mais acessibilidade. Ano passado, o Ministério da Saúde da Argentina entrou em contato com ela sobre o caso de uma possível cirurgia para a implantação da prótese, mas não passou de uma promessa do Estado.

Ali, no campo, envolto naquele ambiente que é paixão e é sonho, muitas pessoas diferentes estão ali no estádio. Para Santi, foi mais uma noite de futebol. Para nós, mais uma cena bonita do futebol.

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!