Argentina

Pepe Sand continua escrevendo a história de uma lenda pelo Lanús, agora com recorde no Campeonato Argentino

Pepe Sand possui dimensões gigantescas ao Lanús. Formado pela base do River Plate, o atacante rodou por diferentes clubes argentinos e também do exterior, mas nada comparado à história e à identificação que construiu no Granate. O centroavante fez parte de uma equipe marcante entre 2007 e 2009, conquistando o Apertura e emendando duas artilharias consecutivas no Campeonato Argentino, o que não acontecia desde Diego Maradona. O matador voltou para ser campeão nacional em 2016, bem como para levar os grenás ao vice da Libertadores em 2017. E, depois de uma breve estadia no Deportivo Cali, a história continua se ampliando nesta terceira passagem do veterano por La Fortaleza. Neste sábado, aos 40 anos, Sand se tornou o jogador mais velho a balançar as redes pelas competições de elite do país.

VEJA TAMBÉM: José Sand foi o gladiador que encarnou a fúria do Lanús rumo à final da Libertadores

Até então, o recorde pertencia a Ángel Labruna. Reconhecido por sua longevidade nos gramados, a lenda do River Plate balançou as redes pela última vez no fim de 1958 – com 40 anos, um mês e 15 dias. Labruna seguiu no Monumental até 1960, passando depois pelo uruguaio Rampla Juniors e pelo chileno Rangers de Talca, até retornar ao seu país e pendurar as chuteiras pelo Platense. Desde então, nunca um jogador mais velho havia balançado as redes por um torneio de elite na Argentina. Até que Pepe Sand superasse a marca, quase 62 anos depois.

Sand vinha de uma semana especial, ao marcar dois gols na vitória por 3 a 2 sobre o São Paulo na Copa Sul-Americana. Já neste sábado, o centroavante não evitou a derrota por 2 a 1 para o Boca Juniors em La Fortaleza, durante a retomada do Campeonato Argentino. Mesmo assim, fez o tento de honra ao Granate. Carlos Tevez havia aberto o placar aos xeneizes, antes que Sand balançasse as redes na sequência. Foi, inclusive, um gol irregular do veterano: involuntariamente, ele desviou com o braço, mas a infração passou batida pela arbitragem – que não possui o recurso do vídeo na primeira divisão do Campeonato Argentino. Depois, Ramón Ábila fez justiça e determinou o triunfo boquense.

Sand é o maior artilheiro da história do Lanús, com 129 gols, num total de 217 tentos anotados ao longo da carreira. E não se cansa de declarar sua paixão pelo clube, como fez em 2017, ao Olé: “Sou torcedor do Lanús e o amo com toda a minha alma. Quando voltei, senti um pouco de temor, porque no fundo ninguém sabe o que se pode passar. Graças a Deus tudo saiu como eu havia sonhado. O Lanús é tudo para mim. É minha casa, minha família, meu mundo. Sempre dei 100% nos clubes em que joguei, desde o maior ao menor, mas o Lanús é diferente de todos. Não sei como explicar. No Lanús, renasci como jogador”.

O centroavante ainda acumula a marca expressiva de 46 gols contra os cinco grandes do país, seis deles para cima do Boca Juniors. Nas últimas seis décadas, nenhum outro jogador comemorou tantas vezes contra os principais clubes argentinos, com Pepe superando os 40 tentos registrados por Martín Palermo. Apenas lendas do início do profissionalismo estão à sua frente: Arsenio Erico, Manuel Pelegrina, Hermino Masantonio e o próprio Labruna.

Sand é um goleador importante ao futebol argentino neste século e que, sem dúvidas, ponteia a lista de grandes figuras do Lanús. Ainda assim, aos 40 anos e três meses, coloca seu nome com uma marca mais imponente no Campeonato Argentino. Tanto quanto a capacidade goleadora, a longevidade se reforça como uma virtude. “Estou feliz porque fiz uma carreira muito linda. Foi difícil no começo, mas o trabalho que faço e os cuidados que tenho a me ajudam a estar bem. Eu me sinto muito bem, quero jogar por mais um ano”, declararia o artilheiro, depois do triunfo sobre o São Paulo. Ao que parece, o recorde irá se ampliar um pouco mais.

Antes de voltar ao Lanús em 2015, Sand via sua carreira parecer fadada ao ostracismo. Depois de decepcionar por alguns clubes mais tradicionais da Argentina, passou a rodar por equipes menores, como Boca Unidos e Aldosivi. Foi quando passou a se cuidar mais, treinando por conta própria em um complexo a atletas de alta performance. Dobrou a carga de exercícios, assim como passou a arcar com acompanhamento de nutricionista e psicólogo. Assim, sua carreira voltou ao ápice e ele brilhou novamente no Lanús. O recorde deste final de semana recompensa todo o esforço de Pepe.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo