Argentina

Os portões fechados não impediram um carnaval fora de época do Rosario Central pela vitória no clássico

Pela primeira vez desde 2005, Rosario Central e Newell’s Old Boys se enfrentaram em um jogo de mata-matas. Chance de uma belíssima festa nas arquibancadas rosarinas, certo? Não foi o que aconteceu. Para começar, o clássico sequer foi realizado em Rosário. Diante do regulamento da Copa Argentina, que organiza os jogos únicos em campo neutro, os dois rivais precisaram se encarar em Sarandí. Além do mais, por questões de segurança, os portões do Estádio Julio Humberto Grondona se mantiveram fechados. Assim, os gritos de gol na vitória do Central por 2 a 1 precisaram ecoar em meio ao vazio do concreto. Para compensar, a torcida canalla fez uma tremenda festa em casa.

Os torcedores do Rosario Central se reuniram em diferentes pontos da cidade, sobretudo no Gigante de Arroyito. E a vitória, que rendeu vaga nas semifinais da copa, terminou com uma comemoração digna de título. Centenas de fanáticos foram ao estádio e também Monumento à Bandeira, um dos cartões-postais rosarinos. Além disso, a massa aguardou o retorno dos heróis, realizando uma enorme exaltação – sobretudo a Germán Herrera, protagonista na vitória ao anotar um golaço de calcanhar. O espetáculo não foi como deveria ser, mas nem por isso deixou de existir.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo