Argentina

O River Plate ganha tarimba no ataque ao trazer Rondón de volta à América do Sul após 15 anos

Rondón estava sem contrato desde que rompeu com o Everton e, aos 33 anos, é um reforço renomado para o ataque do River Plate

O fechamento da janela de transferências acontece na Europa, mas o início de temporada na América do Sul também garante contratações importantes. E o River Plate anunciou um reforço renomado ao seu ataque nesta segunda-feira, com a chegada de José Salomón Rondón. O venezuelano possui uma ampla experiência no futebol europeu, sobretudo na Premier League, com bons momentos pelo West Brom e pelo Newcastle. Pouco aproveitado pelo Everton na atual temporada, o centroavante de 33 anos teve seu contrato encerrado em dezembro e estava livre para assinar com outro clube. Assim, os millonarios garantiram seus serviços sem custos de transferência, em vinculo assinado pelos próximos dois anos. Vai se reencontrar com Martín Demichelis, técnico do River, que foi seu companheiro nos tempos de Málaga.

Nascido em Caracas, Rondón começou sua carreira no Aragua e se destacou muito rápido no Campeonato Venezuelano. Tinha apenas 18 anos quando fez suas malas rumo à Espanha, contratado pelo Las Palmas. O centroavante também se adaptou em pouco tempo e passou a acumular seus gols na segunda divisão. Virou reforço do Málaga em tempos endinheirados do clube, com seu ápice em La Liga entre 2010 e 2012. Foram 27 gols em 72 partidas pelos andaluzes, importante na classificação à Champions League de 2012/13. Entretanto, com uma boa proposta do Rubin Kazan, o garoto se mudou à Rússia.

Rondón se valorizou um pouco mais no Campeonato Russo. Passou um ano e meio no Rubin Kazan, antes que o Zenit pagasse o dobro de seu preço anterior para levá-lo em janeiro de 2014. O venezuelano teve a melhor média de sua carreira nos celestes, com 28 gols em 58 partidas, presente na conquista da liga nacional em 2014/15. Porém, também se tornou vítima de racismo da própria torcida. Em agosto de 2015, o artilheiro se juntou ao West Brom. Rondón vestiu a camisa dos Baggies por três temporadas, sem ter números tão notáveis na Premier League, mas mantendo uma média razoável e contribuindo com seu estilo de jogo mais físico.

Individualmente, a melhor temporada de Rondón aconteceu em seu empréstimo ao Newcastle. Num momento de vacas magras do clube, o centroavante anotou 11 gols e deu sete assistências na Premier League 2018/19. Foi eleito o melhor jogador dos Magpies e teve papel muito importante em evitar o rebaixamento. Então, o West Brom, ainda dono de seus direitos, decidiu vendê-lo ao futebol chinês. Rondón faria seus gols pelo Dalian Professional, antes de ter um curto empréstimo ao CSKA Moscou. Ao final de seu contrato em 2021, o jogador aproveitou a relação construída com Rafa Benítez e assinou sem custos com o Everton.

Entretanto, a passagem mais recente de Rondón pela Inglaterra não foi boa. A demissão de Rafa Benítez logo minou o cenário favorável no Everton. O centroavante já não parecia apresentar a melhor forma física e pouco contribuiu a um clube em crise. Anotou somente três gols em 31 partidas pelos Toffees, com seu contrato encerrado prematuramente em dezembro. A essa altura, as portas na Europa pareciam majoritariamente fechadas ao veterano. Hora então de aproveitar seu renome na América do Sul. Rondón, afinal, é uma figura histórica na seleção da Venezuela e ocupa o posto de maior artilheiro da Vinotinto em todos os tempos, com 38 gols em 92 partidas.

O River Plate aposta que Rondón ainda pode ser dominante no Campeonato Argentino e na Libertadores. O centroavante vem num momento de declínio, mas ainda possui uma experiência que pode ser valiosa e uma capacidade de se impor na área. Não que o mercado dos millonarios oferecesse opções tão melhores. Com as dificuldades financeiras da Argentina e as discrepâncias em relação ao futebol do Brasil, Rondón é um negócio de peso no contexto local. Parece ter condições de contribuir bem mais que Miguel Borja, dono da camisa 9 na estreia do River na liga nacional.

Treinado por Martín Demichelis nesta nova fase, o River Plate é o clube que mais investiu em reforços neste início de temporada na Argentina. A volta de Nacho Fernández foi muito festejada, assim como os millonarios repatriaram Matías Kranevitter do Monterrey. O lateral Enzo Díaz (Talleres) é outra novidade. Mais uma tarefa importante é fazer jogadores que já estavam no elenco renderem mais, a exemplo de Esequiel Barco, por enquanto abaixo das expectativas.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo