Argentina

O Boca Juniors supera o Talleres nos pênaltis e se sagra campeão da Copa Argentina

Numa final sonolenta, o Boca se segurou após uma expulsão e foi mais competente na marca da cal

O futebol apresentado não foi dos melhores, mas o Boca Juniors termina o ano com mais uma taça em sua galeria. Os xeneizes conquistaram a Copa Argentina nos pênalti, ao superarem o Talleres na decisão realizada em Santiago del Estero. Durante 90 minutos de futebol pobre, o Boca segurou o 0 a 0 após uma expulsão no meio do segundo tempo, com as raras chances concentradas a La T. Na marca da cal, preponderou a precisão dos boquenses, que converteram todos os seus tiros e contaram com uma defesa do goleiro Agustín Rossi para garantir o placar de 5 a 4. Num ano agridoce pela falta de competitividade no Campeonato Argentino, a Copa pelo menos oferece um motivo para festejar.

O começo do jogo até garantiu algumas oportunidades e o Talleres quase fez o primeiro aos 10 minutos, em batida de Rafael Pérez após escanteio que Carlos Izquierdoz salvou ajoelhado. La T, melhor na temporada, mostraria mais consistência no primeiro tempo. Mas não que a emoção rolasse solta, numa final de muitas faltas e cruzamentos a esmo. O Boca oferecia pouco e correu riscos de engolir um frango antes do intervalo. Diego Valoyes chutou no centro da meta, mas Agustín Rossi deixou a bola espirrar em seus braços e quase foi traído.

O segundo tempo seguiu travado, mas o Talleres ganhou uma boa brecha para vencer aos 21 minutos. Juan Ramírez recebeu dois cartões amarelos em curto intervalo e deixou o Boca com dez homens. A partir de então, o jogo seria mais disputado no campo de ataque dos cordobeses. Porém, o abafa não geraria grandes resultados, com muita imprecisão nos arremates. Aos 26, Héctor Fértoli perdeu um lance sozinho na área, sem pegar em cheio o cruzamento. Os xeneizes amarraram o duelo até os pênaltis.

Na marca da cal, o penal decisivo foi o segundo batido pelo Talleres. Agustín Rossi acertou o canto e espalmou o tiro de Fértoli. Guido Herrera ainda quase pegou a cobrança de Izquierdoz na sequência, mas os dois times convertiam um chute após o outro. Isso até que, na série final, coubesse a Eduardo Salvio definir a vitória do Boca Juniors por 5 a 4. O futebol fica aquém do que se imaginaria de uma final, mas os xeneizes soltam o grito de campeões pela primeira vez sob as ordens de Sebastián Battaglia. O destaque da campanha foi a defesa, que sofreu apenas um gol em seis partidas. E uma doce lembrança virá das oitavas, quando os boquenses eliminaram o rival River Plate também nos pênaltis.

O Boca Juniors se isola como maior vencedor da Copa Argentina. São quatro títulos no torneio, contra três do River Plate. Os xeneizes, além do mais, sustentam 100% de aproveitamento em finais da competição. A equipe se confirma na fase de grupos da Libertadores 2022. Já o Talleres também vai para o torneio continental, como terceiro melhor time na tabela agregada do Campeonato Argentino.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo