Argentina

No apagar das luzes, o VAR transformou o 2×1 para o Huracán no lance que garantiu o 2×1 para o Barracas Central

A arbitragem flagrou um toque de mão do goleiro fora da área na revisão e acabou beneficiando a equipe do presidente da AFA

O acesso do Barracas Central à elite do Campeonato Argentino gerou muitos questionamentos no país. Os Caminhoneiros possuem seu histórico na primeira divisão, apesar de uma ausência que durava desde 1934. O entrave era a ligação umbilical com Chiqui Tapia, presidente da federação local, que foi de jogador a mandatário dos alvirrubros e dá nome até ao estádio da equipe. O Barracas Central já integra a atual Copa da Liga Argentina depois da promoção. E, nesta segunda, o time chegou à vitória por 2 a 1 sobre o Huracán com uma decisão da arbitragem que fez muita gente remeter a Tapia.

O Huracán balançou as redes aos 45 do segundo tempo e, neste momento, ia arrancando o triunfo por 2 a 1. O VAR entrou em ação para revisar a jogada e flagrou, lá no início do contra-ataque, que o goleiro Marcos Díaz saiu ligeiramente da área com a mão durante a reposição. De fato, a infração aconteceu e teve sua influência direta na jogada, embora bem anterior à conclusão. A anulação do tento é correta, mas gera dúvidas se o parâmetro seria o mesmo se ocorresse com qualquer outro clube que não fosse o Barracas Central. O nome de Chiqui Tapia veio à mente, até porque seu filho Matías continua como presidente dos alvirrubros. O conflito de interesses é óbvio, mas fica por isso mesmo.

Com a marcação da infração do goleiro, o Barracas Central ganhou uma falta no limite da grande área. Teria um lance favorável que só existiu porque saiu o gol do Huracán, ironicamente, já que a revisão não ocorreria sem o tento. A cobrança aconteceu apenas aos 48 do segundo tempo e, adivinhe, terminou nas redes. O batedor mirou o canto do goleiro, rasteiro, e acabou executando um chute cirúrgico. O nome do herói? Iván Tapia, filho de Chiqui e irmão de Matías.

“Foi uma jogada louca. Pensamos que eles ficariam na frente, mas tivemos uma falta e é uma alegria imensa ter convertido”, afirmou Iván Tapia, na saída de campo. “Ninguém imaginava algo assim. Você sonha e creio que merecíamos a vitória. É um desafogo muito grande, porque tivemos uma semana complicada e dura. Devemos superar as adversidades. Isso eu dedico ao meu pai e à família que sempre estão no apoio”.

Com o triunfo, o Barracas Central ficou a quatro pontos da zona de classificação aos mata-matas e deixou o Huracán um ponto atrás na tabela. Os Caminhoneiros venceram quatro dos últimos cinco jogos – a única derrota aconteceu para o Independiente, presidido por Hugo Moyano, sogro de Chiqui Tapia e avô de Iván e Matías, além de importante líder sindical no país.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo