Argentina

Julián Álvarez continua faminto pelo River Plate e abriu sua conta na Copa da Liga com uma tripleta

O River Plate começou perdendo para o Patronato, mas Álvarez comandou a virada e a goleada no Monumental

A torcida do River Plate sabe que tem pouco tempo para apreciar o futebol de Julián Álvarez. O atacante é provavelmente o maior talento revelado por Marcelo Gallardo e, depois de liderar a conquista do último Campeonato Argentino, acertou sua transferência para o Manchester City. A mudança para a Inglaterra só acontecerá no meio do ano e, enquanto isso, o jovem poderá ampliar suas marcas com os millonarios. Nesta quarta, Álvarez tratou de anotar uma tripleta. Comandou a virada por 4 a 1 sobre o Patronato, pela Copa da Liga Argentina.

O River Plate estreou com derrota na Copa da Liga, batido pelo Unión de Santa Fe por 1 a 0. E as coisas não começaram bem no Monumental nesta quarta, quando um gol contra de Paulo Díaz permitiu que o Patronato saísse em vantagem. A reação comandada por Álvarez começou aos 21 minutos. O atacante marcou um gol de oportunismo, após o cruzamento de Marcelo Herrera. Aos 31, a virada veio de novo com Álvarez. Depois da infiltração, soltou a pancada quase sem ângulo. E o futuro jogador do City completou sua tripleta no início do segundo tempo, com um tiro no cantinho após arrancada. Por fim, o último gol seria de pênalti, o primeiro de Juan Fernando Quintero neste retorno a Núñez.

A quarta-feira na Copa da Liga Argentina também teve a primeira vitória do Boca Juniors. Os xeneizes bateram o Aldosivi por 2 a 1, com grande atuação de Sebastián Villa. O colombiano marcou o primeiro gol aos 16 minutos, driblando até o goleiro, e ampliou aos cinco do segundo tempo, num chute cruzado. Os auriverdes só descontaram nos acréscimos finais, com Martín Cauteruccio. A Copa da Liga é disputada com dois grupos de 14 equipes. Todas se enfrentam em turno único em suas chaves e os quatro primeiros de cada grupo avançam aos mata-matas, com a final marcada para maio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo