Argentina

Investigação da morte de Maradona terá oito pessoas julgadas por homicídio na Argentina

Pessoas envolvidas nos cuidados a Diego em seus últimos dias estão sendo acusadas de negligência

Pouco menos de dois anos após a morte de Diego Maradona, por complicações cardíacas, a Justiça da Argentina iniciará ao longo o julgamento de oito pessoas envolvidas nos cuidados médicos ao craque. Segundo a agência Reuters, um documento de 236 páginas embasa uma acusação de homicídio culposo por negligência.

A equipe que cuidava de Maradona tinha médicos, enfermeiras e um psicólogo. Todos eles estão sendo acusados de negligência, maus cuidados e omissão, que levaram à morte de Diego em novembro de 2020. Em 2021, o inquérito que apurou as circunstâncias do óbito foi concluído, com um parecer de que a equipe médica lidou de forma incompetente com a situação grave de saúde de Maradona.

Após muitos interrogatórios e mandados de busca nas propriedades de todos os profissionais médicos envolvidos, o juiz do caso negou todos os pedidos de arquivamento. Estão sendo indiciados: o neurocirurgião Leopoldo Luque, a psiquiatra Agustina Cosachov, o psicólogo Carlos Díaz, os enfermeiros Ricardo Almirón e Gisella Madrid, o supervisor de enfermagem Mariano Perroni e os médicos Pedro Di Spagna e Nancy Forlini.

Os acusados negaram a alegação de negligência. Em caso de condenação, a pena na legislação argentina para homicídio culposo varia entre oito e 25 anos de reclusão, dependendo dos agravantes. Ainda de acordo com a Reuters, não há previsão para início do julgamento.

Maradona tinha 60 anos e sofria com problemas cardíacos, consequência de seus notórios problemas com álcool e drogas. Após a sua morte, foi descoberto que ele tinha um quadro anêmico. O ídolo argentino passou por uma operação delicada no cérebro por conta de uma hemorragia e ficou debilitado em seus últimos meses de vida. Acima do peso e com problemas nas articulações do joelho, Diego se locomovia com alguma dificuldade, o que pôde ser visto em sua passagem como treinador do Gimnasia La Plata, quando permanecia sentado em um trono na lateral do campo.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo