Argentina

Hoje técnico, Palermo reviveu rivalidade com o River aplicando uma caneta em Teo Gutiérrez

Somando suas duas passagens pelo Boca Juniors, Palermo atuou por dez anos com a camisa xeneize. Criou uma identificação tão grande que pensar no atacante é pensar também no Boca. Apesar de ter defendido outras quatro equipes na carreira, sua segunda pele é mesmo azul e amarela. Atualmente, o ex-atacante comanda o Arsenal de Sarandí e, mesmo de terno e gravata, cedeu ao instinto quando sua equipe enfrentava o River Plate.

VEJA TAMBÉM: Nos 50 anos de Mafalda, 11 tirinhas de Quino sobre futebol

À beira do campo, Palermo viu Teo Gutiérrez se aproximando do seu lado, em direção ao ataque. A bola estava tão rente à linha que o antigo matador do Boca, vendo ela chegar em sua direção e observando a camisa branca com a faixa transversal vermelha, não conseguiu evitar colocar o pé no meio do caminho e aplicar uma caneta no atacante dos Millonarios. Fazedor de gols, o atacante nunca teve muita técnica em dribles, mas não poderia deixar de tentar o drible no colombiano.

Gutiérrez ficou bravo com o treinador do Arsenal, virando para o ídolo do Boca com os braços abertos em protesto. Palermo então se justificou afirmando que o juiz tinha marcado uma falta pouco antes. O motivo é bem verossímil, mas é claro que ele quis tirar uma casquinha do River. Quem deve ter gostado é a torcida xeneize.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo