Argentina

Gallardo: “Num país onde se suspeita de tudo, no futebol podemos plantar respeito e dignidade”

Gallardo comentou o impacto da vitória do River Plate sobre o Racing, que contribuiu para a conquista do Boca Juniors no Campeonato Argentino

Marcelo Gallardo seria personagem central no Campeonato Argentino mesmo em sua despedida do River Plate, quando não disputava mais nada. Os millonarios, ainda assim, poderiam influenciar os rumos da competição durante a visita ao Racing em Avellaneda, pela última rodada da liga. E foi o que aconteceu, numa vitória por 2 a 1 que se tornou importante para consagrar o Boca Juniors campeão, no empate paralelo com o Independiente. Depois da partida, Gallardo exaltou os seus jogadores, mesmo que muitos torcedores tenham se incomodado com o resultado que ajudou os maiores rivais. Gallardo enfatizou a importância da integridade e da dignidade.

“Principalmente, o que eu gostaria de destacar é que, num país onde todos suspeitam de tudo, onde tudo é tão mesquinho, que parece até vazio de valores… Nós, dentro do futebol, às vezes temos a possibilidade de plantar sementes que signifiquem que, acima de tudo, possa se ter respeito e dignidade pela profissão, pelo futebol, pela paixão que esse esporte nos gera”, afirmou Gallardo.

“Entendo que existam torcedores furiosos ou frustrados, mas é através desses valores que jogamos, além de ganhar ou perder. A dignidade do sentimento sobre o que somos. Isso, eu acredito, tem muito valor. Estou contente, muito orgulhoso de sentir isso, indo além de ter beneficiado nosso eterno rival. É um orgulho ter essa paz interna”, complementou.

Com o empate do Boca Juniors, o Racing precisava de uma vitória simples para ser campeão. Teve uma grande chance depois dos 40 do segundo tempo, mas Franco Armani defendeu o pênalti da Academia. O goleiro, aliás, colecionou ótimas defesas em Avellaneda. Já outro carrasco dos racinguistas foi o atacante Miguel Borja, autor de ambos os gols no Cilindro, inclusive o que sacramentou o resultado nos acréscimos.

Gallardo afirmou que espera que os valores demonstrados em Avellaneda permaneçam no River Plate por mais tempo: “Mais do que não ter um ano bom futebolisticamente, tivemos um processo enorme de coisas vividas. Fechamos dessa maneira, quando não tínhamos nada em jogo, mas precisávamos resguardar nossa integridade e valores. O resto não volta. Se isso se mantiver, o River será maior do que já é”.

O River Plate fechou a campanha no Campeonato Argentino na terceira colocação, com 47 pontos, cinco a menos que o Boca Juniors. Derrotas importantes custaram as pretensões dos millonarios, inclusive no clássico contra os xeneizes. A equipe, ao menos, já tinha garantido por antecipação a vaga na fase de grupos da Copa Libertadores de 2023. Ainda assim, o River fechou o ano sem títulos, após decepções anteriores na Copa da Liga e na Copa Argentina.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo