Argentina

Corações já foram testados

Argentina e Uruguai se enfrentam no futebol desde julho de 1902. Naquela ocasião, em Montevidéu, a Argentina ganhou por 6 x 0 em um amistoso. De lá para cá, houve mais 172 jogos entre as duas seleções. O predomínio é argentino: 77 vitórias contra 52 do Uruguai. Muitas dessas partidas foram extremamente importantes, como a decisão da primeira Copa do Mundo, na mesma cidade, em 1930. O Uruguai, desta vez, venceu por 4 x 2 e ficou com o título. Na próxima quarta-feira, um novo confronto irá entrar para a lista dos mais importantes, pois ambas as seleções chegam à última rodada das Eliminatórias com chances de garantir uma vaga direta para a Copa do Mundo. O curioso é que Argentina e Uruguai vêm de triunfos de 2 x 1, com gols aos 47 minutos do segundo tempo. A Argentina passou pelo Peru, no Monumental, e o Uruguai pelo Equador, em Quito. Montevidéu, para ‘variar’, irá receber o jogo dos rivais.

Evidentemente, o Uruguai comemora o fato de poder atuar em casa. Aliás, os aproximadamente 57.000 ingressos colocados à disposição em Montevidéu já foram vendidos. Quem leva a vantagem na classificação, no entanto, é a Argentina, quarta colocada e com um ponto a mais que o rival: 25 x 24. Ganhando, a equipe de Maradona garante uma vaga na África do Sul. Todavia, o retrospecto não ajuda. Já são seis encontros em Montevidéu sem triunfo argentino (três empates e três derrotas). Na hipótese de um empate, a Argentina pode conseguir, no mínimo, um lugar na repescagem contra o quarto colocado da CONCACAF – hoje seria Honduras. Aí é que entra o Equador, dono de 23 pontos. Em Santiago, o Equador jogará contra o já classificado Chile, de Marcelo Bielsa. Um triunfo diante do Chile o colocaria lado a lado com a Argentina em número de pontos. O critério que iria desempatar seria o ‘saldo de gols’. Hoje, a Argentina tem dois gols e o Equador, menos três. Então, por enquanto, a Argentina está respirando bem e tem ótimas possibilidades de ir automaticamente para a Copa. O problema seria uma derrota para o Uruguai…

Se perder, a Argentina será ultrapassada pelo próprio Uruguai e já não poderá mais garantir a vaga direta. Faltaria o jogo Chile x Equador. Acontecendo um empate, a Argentina se classifica para a repescagem. E uma vitória do Equador? Nesse caso, o torcedor argentino deverá pensar na Copa América de 2011. Inclusive, a Argentina será o país-sede.

No primeiro turno, a Argentina levou a melhor contra o Uruguai, atuando no Monumental: 2 x 1. Foi a última vitória de Basile como técnico da Argentina. Sua despedida iria ocorrer na partida seguinte, quando o Chile ganhou pela contagem mínima. Para o próximo confronto, Maradona ainda não divulgou os titulares, mas o meio-campo Verón poderá ser um deles. O atleta do Estudiantes ficou de fora da última rodada, devido à expulsão que teve no jogo diante do Paraguai.

É claro que não podemos deixar de falar sobre o triunfo histórico obtido no Monumental diante do Peru, com tempestade e um gol irregular aos 47 minutos do segundo tempo. A Argentina não poderia ter sofrido tanto para derrotar o lanterna da competição, certo? Em relação à arbitragem, o toque de mão de Emiliano Insúa na bola, aos 12 minutos da etapa final, não pareceu ter sido intencional. O lateral-esquerdo se encontrava dentro da área e deu a impressão de que estava apenas se protegendo do chute de Solano. A principal reclamação dos peruanos foi o segundo gol da Argentina. Palermo realmente estava impedido para quem viu o ‘replay’ do lance, mas temos que considerar que o assistente estava sendo atrapalhado pela chuva torrencial. No último lance, mais polêmica: Schiavi cometeu pênalti e Ortubé não marcou. Porém, o jogo já havia sido encerrado. O erro de Ortubé foi ter apitado o término com a bola dentro da área. Embora não tenha conseguido nenhum ponto no sábado, o Peru merece ser cumprimentado pelo desempenho, já que era visitante e ocupava a última posição.

Companhia do atual campeão

Mais uma vez, o Apertura 2009 tem uma divisão na liderança. O Estudiantes, que começou a oitava rodada na primeira colocação, enfrentou o Lanús no estádio do Quilmes e empatou por 1 x 1. Esse resultado fez com que o Pincha subisse para os 17 pontos e ganhasse a companhia do Vélez, campeão do Clausura deste ano. Em casa, o Fortín derrotou o Argentinos Juniors pela contagem mínima. Não foi uma parada fácil, pois o adversário era vice-líder no início da rodada, junto com o Banfield.

O empate com o Granate pode fazer com que o torcedor do Estudiantes coloque a culpa na nova camisa, dourada, onde foram gravados com a cor vermelha alguns títulos já conquistados. Porém, o Estudiantes estava desfalcado de vários atletas. O goleiro Albil havia se machucado na partida anterior, contra o Argentinos Juniors. Cedidos para a seleção argentina, Verón, Braña e Pérez, todos do meio-campo, também ficaram de fora.

Falando em desfalques, Vélez e Argentinos não puderam fugir desse tema. Pelo lado do Vélez, não atuaram os zagueiros Sebá, com sobrecarga muscular, e Otamendi, convocado por Maradona. O Argentinos, em compensação, não contou com o lateral-esquerdo Federico Dominguez, com uma contratura no músculo isquiotibial, e outros dois nomes que estão nas seleções de seus países: o zagueiro uruguaio Scotti e o meio-campo paraguaio Ortigoza. Sem o trio, o Bicho perdeu pela primeira vez no torneio, após quatro vitórias e três empates.

O Banfield perdeu a chance de assumir a liderança diante do Atlético Tucumán, em seu estádio. A partida terminou 1 x 1.Santiago Silva, atacante do Taladro, anotou um gol e continua sendo o artilheiro da competição, agora com sete. Com esse resultado, o Banfield caiu para o terceiro lugar, onde também se encontram o Independiente e o San Lorenzo. Cada um tem 16 pontos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo