Argentina

Chega de fila

Quando o Lanús foi derrotado por 5 x 3 pelo Independiente, na primeira rodada do Apertura, ninguém acreditou que a equipe Granate faria um bom papel no torneio. Na partida seguinte, a situação não mudou nada: empate por 1 x 1, em casa, com o recém-promovido Huracán. Mas todos estavam enganados. O Lanús, fundado há mais de 92 anos, sagrou-se campeão argentino pela primeira vez no último domingo, com um empate por 1 x 1 diante do Boca. Sand, segundo colocado na lista de artilheiros, e Palermo, o terceiro, marcaram os gols do jogo. Os Xeneizes, que não tinham mais chances de faturar o título, viram o adversário fazer a festa em La Bombonera. Com esta conquista, o Lanús, invicto em seus últimos 10 compromissos na competição (sete vitórias e três empates), garantiu uma vaga na Libertadores de 2009.

O empate só foi suficiente para o Lanús levantar o troféu porque o Tigre, seu único concorrente, perdeu para o Argentinos Juniors pela contagem mínima, fora de casa. Lanús, Boca e Tigre não entrarão mais em campo no Apertura, já que suas partidas válidas pela última rodada foram antecipadas. Desta maneira, o Lanús pode perder a primeira colocação no quesito ‘melhor ataque’ (34 gols). Em relação à defesa menos vazada, o título tem um dono definido: o Boca (18 gols).

Sem dúvida, o desempenho do Lanús neste ano já entrou para a história. Só não podemos deixar de enaltecer, também, a excelente campanha do Tigre, que disputou a segunda divisão na temporada 2006/7 e já tem garantido o vice-campeonato.

Três vezes três

Se tivéssemos que escolher um número para o jogo Huracán x Racing, realizado no estádio do Argentinos Juniors, com certeza seria o ‘três’. Começamos pelo primeiro gol, marcado aos três minutos pelo Globo. Na parte das expulsões, aparecem três nomes: Claudio López, Sosa e Estévez. Todos atletas do Racing. Estévez, aliás, havia começado a partida no banco de reservas. Ele entrou em campo aos 14 minutos do segundo tempo e recebeu o cartão vermelho aos 37. Quando o árbitro apitou o encerramento do confronto, lá estava o nosso conhecido número no placar: 3 x 0 para o Huracán.

Após a derrota da Academia, Gustavo Costas pediu demissão. O técnico afirmou que deixa o clube descontente com a pouca atitude dos atletas nas últimas rodadas. Não é à toa que ele sequer despediu-se do elenco. O Olimpia, do Paraguai, é o seu novo clube.

Esta segunda passagem de Costas como treinador do Racing teve nove vitórias, cinco empates e 10 derrotas. Atualmente, o time de Avellaneda ocupa o 13° lugar. Desde que assumiu, Costas nunca esteve 100% satisfeito. Ele não gostou, por exemplo, de acompanhar a saída de Maxi Moralez, um dos principais jogadores que o clube possuía – foi vendido ao FC Moscou, da Rússia. Também não ficou nada feliz quando a diretoria demorou a contratar reforços. Inclusive, alguns desses reforços estavam fora de forma. Outro ponto que atrapalhou a trajetória de Costas no Racing está relacionado a Fernando De Tomaso, que é o presidente da Blanquiceleste S.A., empresa que toma conta do futebol do clube. De Tomaso deve quatro meses de pagamento a Costas. Acrescente a tudo isso o desfecho da história, já citado nesta coluna.

Contra o Colón, no próximo sábado, o Racing será comandado por Miguel Micó, coordenador das divisões inferiores. O elenco o conhece bem, pois, no Clausura passado, Micó chegou a ser técnico da equipe. E ficou invicto: um triunfo e três empates.

LIGERAS

– Rosario Central e San Martín empatavam por 1 x 1 até os 35 minutos do segundo tempo, quando Borzani fez 2 x 1 para os Canallas. Depois, mais dois gols seriam marcados: um para cada lado. Terminou, portanto, um jejum de oito jogos sem triunfo do Central no Apertura (três empates e cinco derrotas).

– Fernández foi um dos destaques da partida entre o seu time, o Colón, e o Estudiantes. Ele abriu o placar com um gol contra, aos três minutos da etapa inicial, e recebeu o cartão vermelho no segundo tempo. O Pincha, que atuou como visitante, ganhou por 2 x 0.

– O resultado mais elástico da 18ª. rodada do torneio foi feito pelo Olimpo, diante do River. A equipe de Bahía Blanca venceu por 4 x 0. Além de ter anotado um gol, Lujambio também desperdiçou uma cobrança de pênalti, defendida por Ojeda.

– Em Avellaneda, o Independiente empatou por 1 x 1 com o Vélez. Moreno, que entrou em campo aos 26 minutos da etapa final, marcou o gol do Rojo nove minutos mais tarde.

– Com um gol do zagueiro Schiavi, o Newell´s derrotou o Gimnasia Jujuy pela contagem mínima. Esta foi a primeira vitória dos Leprosos como visitantes na competição.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo